Ruins of Elysium: origens, peculiaridades e influências estão entre os temas de nova entrevista concedida

Ruins of Elysium 2015 (1).jpg

O exótico sempre chama a atenção. O diferente gera o que falar, propagando a mensagem. É o que vem acontecendo com a banda mineira Ruins of Elysium e seu diferenciado Symphonic Metal artístico, erudito e, ainda por cima, cantado em técnica vocal tenor.

Nessa última semana de 2016, foi publicada pelo blog Extreme Aggression uma interessante entrevista com o vocalista Drake Chrisdensen e o baterista/tecladista Ícaro Ravelo, onde pontos como as origens, peculiaridades e influências do conjunto foram abordados.

Confira alguns trechos:

METAL AGGRESSION: Como surgiu a banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada?
 
DRAKE: Primeiramente, obrigado pela oportunidade de conceder essa entrevista!
Bom, o conceito da Ruins of Elysium, que é de uma banda de Metal extremamente épico cantado apenas por uma voz operística de tenor, era algo que eu tinha comigo a muito tempo. Depois de muito planejamento, apresentamos a banda em 2013 e lançamos nosso primeiro EP em 2014, que foi super bem recebido.
 
METAL AGGRESSION: O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
 
DRAKE: O meio é bem cruel para artistas independentes. Principalmente no Metal. PRINCIPALMENTE em um estilo de nicho como o Symphonic Metal. Eu acho que um dos problemas é a resistência do público em conhecer coisas novas. Muita banda excelente acaba tendo quase nenhuma visualização enquanto a galera ouve sempre as mesmas 5 bandas. Depois reclamam que o estilo está morrendo. Não está, está bem vivo, vocês é que não dão o devido valor a ele.
 
METAL AGGRESSION: Quais as influências da banda? Videogames, trilhas sonoras, desenhos…
 
DRAKE: Eu sou apaixonado por videogames, então trazer essa paixão para uma banda em que eu sou o vocal e compositor foi algo natural. Séries como Bayonetta, Dragon Quest, Final Fantasy e The Legend of Zelda já inspiraram algumas de nossas canções, sejam na temática ou nas suas épicas trilhas sonoras. A sinfonia ‘Seeds of Chaos and Serenity’, que dá nome ao nosso próximo álbum, é toda baseada em Sailor Moon. Além disso, causas sociais como combate ao machismo e à homofobia são também muito abordadas pela Ruins of Elysium.
 
Para ler na íntegra essa interessante bate-papo, basta acessar o link abaixo:
 
O Ruins of Elysium executa um diferenciado Symphonic Metal cantado em tenor, e cujas letras se direcionam a todos aqueles que se sentem oprimidos de alguma forma, para que se sintam representados, sejam minorias raciais, LGBT, mulheres ou outros. A formação é de nacionalidade mista, já que membros europeus também deixam suas contribuições de modo integral.
 
Vale lembrar também sobre a campanha de crowdfunding que a Ruins of Elysium está realizando para arrecadar fundos para o lançamento físico do EP “Daphne” com faixas bônus e principalmente para materializar o álbum de estreia, que se chamará “Seeds of Chaos and Serenity”
 
Contribua através do link:
 
 
Links relacionados:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s