Lethal Sense: “Underground We Trust 6” acontece neste fim de semana em Montenegro/RS

Lethal Sense 2

A ‘podridão’ em forma de Death Metal do Lethal Sense chegará a Montenegro/RS neste final se semana. Isso por que o grupo se apresenta no “Underground We Trust 6”, ao lado das bandas Losna, OssoS, Troll, Ilegível, Methodos e Nonconformity.

O evento, que acontece dia 26/05 (sábado), tem seus ingressos sendo vendidos nos valores de R$ 10,00 (+ 1Kg de alimento), ou R$ 15,00 no local, confira:dea

Link do evento no Facebook para mais informações: https://www.facebook.com/events/1819651911671760/

Em outras notícias, o Lethal Sense anunciou recentemente sua nova linha de camisetas oficiais do atual trabalho “Toxic Zumbie”. Com os tamanhos P, M, G e GG disponíveis, e no valor de R$ 30,00 (+ frete) as camisetas podem ser adquiridas acessando o link a seguir: https://sanguefrioproducoes.com/n/1418

Ouça todos os álbuns do Lethal Sense no Bandcamp: https://lethalsense.bandcamp.com/

Contatos para shows: contato@sanguefrioproducoes.com | lethalsenseofficial@gmail.com

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Links relacionados:
https://www.facebook.com/lethalsenseband/
http://lethalsense.com/
https://lethalsense.bandcamp.com/
https://sanguefrioproducoes.com/bandas/LethalSense/54

Torture Squad: lança novo clipe “Dont Cross My Path” nessa sexta no programa “É Noize”

Torture & Paulinho Heavy

Sexta-feira (25/05) vai ao ar mais uma edição do programa “É Noize” com o comando de Paulinho Heavy. O Programa terá nessa edição o renomado grupo de Death Metal, Torture Squad, os músicos irão apresentar algumas músicas da carreira da banda em formato ao vivo e conceder entrevista exclusiva para o apresentador.

Uma das principais novidades que o programa irá oferecer ao público, é conferir em primeira mão o lançamento oficial do novo clipe do Torture Squad, “ Dont Cross My Path”.

O programa terá início às 20 horas com transmissão pelo canal de Web-Tv, “All TV”, responsável pela transmissão do “É Noize”. Para assistir essa entrevista e conferir o Torture Squad executando no estúdio os maiores clássicos e as mais recentes músicas, basta estar conectado no link: http://alltv.com.br/

Logo após o programa “É Noize” o novo clipe do Torture Squad estará disponível no canal oficial da banda para os fãs.

 

Formação
Mayara “Undead” Puertas – (Vocal)
Rene Simionato – (Guitarra)
Castor – (Baixo)
Amilcar Christófaro – (Bateria)
 
Mais informações:

Black Pantera: sentando o dedo na ferida dos problemas sociais

Black Pantera 04

Um dos pontos fortes do Black Pantera é seu engajamento social, não que a banda atue demarcando ideologia em sua musicalidade, mas sim na exposição de grandes problemas gerados pelo homem. Seja pelos comandantes que estão no poder, como na divisão das esferas de cima para baixo, no qual o estado domina o militar que por sua vez domina o homem que por sua vez desfere suas desigualdades no crime.

Uma das músicas mais importantes do álbum é a faixa “Agressão”, a letra dessa canção consegue retratar o que é o álbum da banda, expressando revolta em uma dura crítica as ameaças sobre as tensões criadas entre os países da Coreia do Norte, Estados Unidos e Irã, que juntos, deixaram o mundo atônito e receoso de um início de uma terceira guerra mundial. O Black Pantera aponta para a ferida e consegue sintetizar que esse problema é muito mais complexo do que se possa parecer, desigualdade financeira, ganância, educação e ignorância, geram o monstro que sucumbe o homem ao seu próprio pesadelo, ou a sua própria destruição.

Confira o clipe de “Prefácio” do Black Pantera:

Recentemente o Black Pantera se apresentou ao lado do Brujeria e na Virada Cultural de São Paulo. O grupo mineiro vem crescendo e se consolidando como um dos nomes mais importantes do Crossover/Hardcore do país. Um novo clipe está sendo trabalhado e muito em breve será lançado oficialmente no canal oficial da banda no YouTube.

Formação:
Charles Gama – (Vocal – Guitarra)
Chaene Gama – (Vocal – Baixo)
Rodrigo “Pancho” Augusto – (Bateria)
 
Mais informações:

NervoChaos: anunciando desligamento de músico

nervo_pressfront

O NervoChaos anuncia o desligamento de Lauro Bonometti, que deixa a banda por motivos pessoais. O músico era guitarrista e vocalista da banda e participou do último álbum lançado, “Nyctophilia”, e das gravações da demo-tape “Of Evil and Men”, que será lançada nas próximas semanas.

Até segunda ordem, a banda seguirá como um trio, com o guitarrista Guiller reassumindo os vocais. Todos os shows da turnê serão mantidos.

A banda agradece todos os serviços prestados pelo músico e deseja sucesso em seus projetos pessoais.

Em breve novidades sobre a Demo, o novo álbum e mais uma grande turnê do grupo pelo mundo.

Contato: nervo666@hotmail.com

Links relacionados:
www.nervochaos.net
www.facebook.com/NervoChaos
www.metalmedia.com.br/nervochaos

The Warriors: clássico filme inspira festival Punk em São Paulo

warriors

No Espaço 555, Warriors Festival reúne 10 bandas da nova e velha geração do Punk, Hardcore e Crossover no dia 21 de julho

Nos últimos instantes da década de 1970, Warriors – Os Selvagens da Noite lotou cinemas e logo causou frenesi como um dos mais eletrizantes filmes de ação do momento, mostrando a realidade violenta das ruas e o engajamento de jovens em gangues para lutar contra o sistema. Não à toa as ideias do filme ganharam notoriedade na ainda incipiente cena Punk Rock brasileira nos anos seguintes e, como uma homenagem e reverência à época, a Agência Sobcontrole criou o Warriors Festival, que acontece dia 21 de julho no Espaço 555, com 10 bandas!

Periferia S.A., Skamoondongos, DFC, Surra, Cosmogonia, Norte Cartel, Direction, Faca Preta, Santa Muerte e Eskröta são as bandas escaladas para a primeira edição do Warriors Fest, cujos ingressos já estão à venda online e, a partir do dia 17/5 também em pontos físicos, sem taxa (mais informações no serviço abaixo).

Assim como a gangue Warriors, protagonista do filme, que se aventurou pelas ruas de Nova Iorque para defender a integridade dos integrantes e escapar de armadilhas dos grupos rivais, as bandas do festival – da nova e velha geração Punk/Hardcore/Crossover – representam a resistência da música de protesto ante modismos e as adversidades em estar na linha de frente do sempre sólido e persistente underground brasileiro.

Periferia S.A. – Jão, guitarrista e membro fundador da banda de Hardcore/Crossover Thrash Ratos de Porão, também canta e toca guitarra no Periferia S.A com antigos integrantes do RDP, Jabá (baixo e vocal) e Dru (bateria). É um ícone nacional do Punk de protesto que nasceu nos anos 80, ficou inativo por 23 anos e, reformulado desde 2014, está firme na proposta de executar um som intenso e agressivo com letras que colocam o dedo na ferida da sociedade e do retrógrado tradicionalismo.

periferia-sa

Skamoondongos – O Warriors Fest recebe a primeira banda paulista de Ska, formada em 1995. Os incontáveis shows dentro da cena Punk e a perseverança para se consolidar levou o Skamoondongos a um incrível contrato com a gravadora Paradoxx, e assim chegaram e conquistaram fama além de um nicho. MTV, paradas de sucesso da rádio 89 são apenas alguns dos veículos por onde circularam constantemente nas décadas passadas. Reativada em 2014 por Axl Rude e Wellington Mello da formação clássica original, a banda é composta também por músicos experientes no cenário nacional, com passagens no Cólera, Radio Ska, Maleducados, Falsones, Nokaos, entre outras.

DFC – Molecada 666, Igreja Quadrada do Triângulo Redondo e O Mal Que Vem par Pior são títulos de músicas e álbuns desta lendária banda do Distrito Federal que permeiam o imaginário de qualquer fã de hardcore/crossover. Desde o início da década de 1990 fazem uma autêntica mistura de D.R.I., Attitude Adjustment, Varukers, Cryptic Slaughter, Dead Kennedys, Agnostic Front, Discharge, R.D.P., com canções cantadas em português repletas de sarcasmo.

Surra – Thrash Punk antifascista, assim se autodeclara o Surra, que desde 2012 é mesmo uma porradaria – das boas. Os paulistas é hoje uma das bandas mais ativas e requisitadas da música pesada, com álbuns elogiadíssimos pela crítica e público: Bico na Cara (2012), Tamo na Merda (2016) e o EP Ainda Somos Culpados (2017). Já dividiu o palco com grandes nomes como Sepultura, Ratos de Porão, Project46, Dead Fish e Claustrofobia e tocou em grandes palcos e festivais, como o Hangar 110, Carioca Club, Oxigênio Fest e Roça’n’Roll.

Surra (credito Estevam Romera)

Cosmogonia – Representante do Riot formada em 1993 em Osasco (SP) só por mulheres, a feminista Cosmogonia faz punk/hardcore agitado e energético. Entre 1998 e 2006 a banda gravou alguns singles e participou de coletâneas. Voltou em 2017 após um hiato de 12 anos com Gabi nos vocais, Maria Esther na guitarra e Dani na bateria, oriundas da formação de 2005 a 2007. Farol no baixo se junta à banda no final do ano passado. Ouça ‘O Sentir que Violenta’, uma música que resume a criatividade e ferocidade das mensagens da banda.

Norte Cartel – O Hardcore rápido e ácido dos cariocas ecoa há mais de 10 anos pelo mundo, oriundo das cinzas da seminal Solstício e cujo norte é sempre as raízes nova-iorquinas eternizadas por Madball, Sick of it All e Warzone. O debut Fiel à Tradição e o segundo álbum, De Volta ao Jogo, são registros que colocam o Norte Cartel no alto escalão do HC nacional que prega respeito, amizade e união.

Direction – Banda nova, velhos conhecidos do Punk/Hardcore no Brasil. O Direction foi formado em 2016 por Thiago de Jesus, André Vieland, Rafael Stringasci e Fausto Oi, que tocam ou tocaram em bandas seminais da cena, como Good Intentions, Inspire, Live By The Fist e Dedication. O time de peso lançou o debut Mesmo Horizonte no mesmo ano em que nasceu, onde apresentam 10 músicas calcadas numa sonoridade old school, com muita melodia.

Faca Preta – O autêntico Street Punk do Faca Preta está em plena crescente e hoje a banda é uma das mais empolgantes da cena. Foi formada em 2013 por experientes músicos do underground nacional e tem, hoje, Marcelo na bateria, que também é baterista do Chuva Negra. Na bagagem, um EP de 2016, com o hit São Paulo, e o single “Vida Dura”, que saiu na coletânea “Para Incomodar Vol.2”, organizada pela Hearts Bleed Blue e Semper Adversus.

Santa Muerte – É latente a influência do Thrash Metal e do Crossover oitentista na música do Santa Muerte, banda formada por três meninas na capital paulista em 2012. O som rápido e cru, popularmente apontado como “direto e reto”, ganha autenticidade pela voz estridente de Marília Massaro, também a guitarrista.

Eskröta – Mais uma representante do Thrash 80 formado apenas por mulheres, o Eskröta aposta em riffs metalizados e na verve Punk. O power-trio está na ativa desde o ano passado e atualmente divulgam o EP “Eticamente Questionável”, masterizado por Prika Amaral (Nervosa) e mixado por Leeo Mesquita (Surra).

Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)