Escola Alemã: grupo libera clipe com imagens fortes das atrocidades cometidas pelo Exército alemão durante a segunda guerra mundial

Escola Alemã 07

Alguns pontos precisam ser ressaltados para aqueles que ainda não conhecem a banda Escola Alemã, o primeiro deles é deixar bem claro que o grupo não faz nenhuma apologia ao nazismo. Outro ponto importante é informar que as músicas compostas pelo conjunto de músicos, abordam temas sobre os males que as guerras trazem ao mundo e ao ser-humano.

Formado por músicos da velha guarda do Metal nacional, o Escola Alemã tem em sua formação Professores de História, Policia Civil e profissionais gabaritados em várias profissões. Todo esse conhecimento é utilizado para tratar de forma artística uma das maiores atrocidades que o mundo sofreu, a segunda guerra mundial, assim como fazia o Motorhead.

Dito isso, a banda apresenta oficialmente seu primeiro vídeo clipe oficial da carreira. A música “Reichsführer” acaba de ser lançada no YouTube oficial da banda e nas imagens do vídeo, é feita uma compilação de imagens reais das inúmeras atrocidades que o exército alemão cometeu com judeus e várias nações que foram devastadas durante a segunda guerra mundial.

Confira o clipe de “Reichsführer”:

O baterista do Escola Alemã, Acir Júnior, explica o que aborda a letra de “Reichsführer” e sobre a ideologia do grupo: “A letra e o vídeo mostram os perigos da idolatria e do fanatismo. Nos mostra as consequências nefastas de se seguir cegamente pessoas e suas ideologias. São imagens fortes que sempre deverão ser mostradas para que nunca nos esqueçamos os horrores do Holocausto… para que nunca mais permitamos acontecer algo semelhante.”

Essa música é a primeira que foi gravada em formato profissional e estará fazendo parte do primeiro full da carreira do grupo, ainda sem data oficial para seu lançamento. “Reichsführer” pode ser conferida em todas as plataformas de Streaming.

Formação:
Allan Paulino – (Vocal)
Carlos D’Boa – (Guitarra/Backing Vocal)
Cláudio Bezerra – (Guitarra)
Breno Pessoa – (Baixo)
Acir Júnior – (Bateria)
 
Mais informações:
Anúncios

Honra: escute um dos álbuns mais pesados do Deathcore brasileiro, “Maldita Inocência” é liberado no Spotify

Honra capa

Toda a essência e peso de uma das mais importantes bandas do Deathcore brasileiro, o Honra, pode ser conferido no álbum “Maldita Inocência” lançado oficialmente em 2017.

O Honra buscou apresentar aos fãs, um trabalho diversificado onde as composições abordam temas diversificados, mas explorando no cotidiano do cidadão, os temas principais das letras. Contendo sete faixas, o material possui uma produção perfeita e consegue transmitir com exatidão toda a fúria e peso, mesclados com a técnica e destreza dos músicos do grupo.

Confira o álbum “Maldita Inocência” nas principais plataformas de Streaming, abaixo deixamos o link do material no Spotify.

 

Tracks:
01 – Intro
02 – E.L.A.
03 – Maldita Inocência
04 – Ligados pelo Absinto
05 – Escolhas da Vida
06 – Pecado Imortal
07 – Lagrimas de Prazer
 
Formação:
Luidi Pussente – (Vocal)
Luan Vianna – (Guitarra)
Juan Rodriguez – (Guitarra)
Daniel Santos – (Baixo)
Renato Bacelar – (Bateria)
 
Mais informações:

Rumbora: banda anuncia volta com shows e novas músicas em 2019

Rumbora

A influente banda brasiliense Rumbora está de volta e não são poucas as novidades que ela irá apresentar aos seus fãs. Celebrando 20 anos do lançamento do seu disco de estreia, “71”, os fundadores Alf Sá (voz, guitarra e baixo) e Beto Loureiro (baixo e voz) caem na estrada a partir de abril de 2019 com o reforço poderoso de Marcelo Vourakis (Maskavo Roots, Supergalo) na segunda guitarra e vocais de apoio, e Iuri Rio Branco (parceiro de Alf em seu projeto solo desde 2013 e produtor do aclamado álbum “Eletrocardiograma” de Flora Matos) na bateria. A estreia já está marcada para o dia 18 de Abril no SESC 24 de Maio, em São Paulo, e ainda terá a participação muito especial de Leandro Barbosa (baterista do terceiro álbum do Rumbora, “Trio Elétrico”).

Parado desde o final de 2005 quando encerrou as atividades, o Rumbora ensaiou o retorno algumas vezes mas sempre se viu no meio de agendas que não batiam e desencontros que impossibilitavam um retorno efetivo. Mesmo assim, ao mesmo tempo em que a vontade não esmorecia, ano após ano os fãs seguiam pedindo a volta da banda através da hashtag #VoltaRumbora, sedentos pelo retorno do grupo e de suas canções que invadiram as rádios e canais de TV de todo Brasil.

Eis que, justamente no ano em que o primeiro álbum do Rumbora completa duas décadas de lançamento, finalmente poderemos vê-los de volta à estrada entoando hits de seu primeiro disco como “Chapirous”, “Skaô” e “O Ó do Borogodó” além de sons que marcaram o Rock Nacional do início dos anos 2000 como “O Mapa da Mina”, “Mal do mundo” e ”O Passo do Azuílson” (de seu sucessor, “Exército Positivo Operante”) e “Freio de Mão” e “Mó valor” (de seu terceiro álbum, o independente “Trio Elétrico”) .

A volta:

A mensagem é clara: “mais que uma banda, o Rumbora é um bando”. E é com esse espírito que o grupo não só volta para uma celebração de sua história como segue em frente cheia de gás. Os fãs podem ficar ligados para as novidades que virão na sequência. Shows intensos, participações em festivais, clássicos da carreira e até novas músicas farão parte dessa volta do grupo que é um dos mais importantes da última grande onda de Rock Nacional que saiu do underground e invadiu o mainstream brasileiro.

E #VoltaRumbora é, felizmente, coisa do passado. Agora é #BoraRumbora, porque o futuro promete. O Rock Ensolarado está de volta.

Mais informações: