Genocide Fest III: traz Rebaelliun pela primeira vez a Curitiba

genocidefest3

Festival contará com lenda do Death Metal nacional e três bandas da cidade

A terceira edição do Genocide Fest é histórica antes mesmo da música começar a rolar. Como atração principal de seu cast, pela primeira vez em Curitiba, está o Rebaelliun.

Grande nome do Death Metal nacional, o grupo gaúcho voltou a ativa em 2015 e lançou no ano seguinte o aclamado The Hell’s Decrees.

Completam o lineup do festival, que acontece dia 06 de abril (sábado) no Jokers, as bandas Divulsor, Ethel Hunter e o veterano Imperious Malevolence.

Os ingressos já estão à venda, a partir de R$ 25, no site Sympla. As compras online podem ser parceladas em até 12x.

Rebaelliun

O veterano trio Rebaelliun conta com diversas turnês pela Europa e pelo Brasil, sendo considerado uma referência no Death Metal. O último álbum dos caras é The Hell’s Decrees (2016), que marcou o retorno do grupo a ativa depois de anos de hiato. O último trabalho dos caras saiu em 2017: trata-se do “Bringer of War (The Last Stand)”, que mescla 4 músicas inéditas na época, com 4 músicas vindas do EP Bringer of War, de 2000.

Após uma turnê pela Europa, em fevereiro de 2018, o guitarrista Fabiano Penna contraiu uma infecção bacteriana generalizada de origem desconhecida. O músico faleceu dias após chegar ao Brasil, aos 42 anos. Na época Lohy Silveira, baixista e vocalista do grupo, comentou: “Foi tudo muito rápido e chocante. Em cinco dias perdemos um irmão”. Mesmo após a tragédia, Lohy e o baterista Sandro Moreira seguiram em frente com o Rebaelliun. O guitarrista Evandro Passos entrou no grupo ano passado, mantendo o trabalho do grupo na ativa.

Bandas de abertura

O Imperious Malevolence surgiu em Curitiba em meados dos anos 90, e lançou seu primeiro álbum em 1999, auto intitulado. Três anos mais tarde “HateCrowded” levou a banda a fazer diversas turnês pela Europa. A banda ainda lançou “Where Demons Dwell “(06), “Doomwitness” (2013) e seu mais recente petardo é “Decades of Death” (2018), que compila inéditas com regravações de sons antigos. A formação atual conta com Antonio Death (bateria), Fernando Grommtt (baixo e vocal), e a novata dupla de guitarristas Will Aguiar e Rodrigo Kiataque.

O Ethel Hunter surgiu em 2012, tendo lançado seu primeiro trabalho dois anos depois: “No Man Is Truly Free”. Após um tempo para reformulação, o grupo de Death Metal retornou com força total, tendo em sua formação o membro fundador, baixista e vocalista Hernan Oliveira (que no começo era guitarrista), o baterista Weliton Lisboa, e os guitarristas Gerson Watanabe e Alexandre Antunes. No repertório a banda deve apresentar sons de todas as suas fases, incluindo músicas inéditas.

O Divulsor é uma one-man-band liderada por Bruno Schmidt, e que tem no EP “Defiled Corrridors of Ruptured Oblivion” (2018) sua estreia discográfica. O Brutal Death Metal com temática gore deve ser contemplado com seu primeiro disco completo em breve. Enquanto isso, o Divulsor segue se apresentando incessantemente pelo Brasil e Argentina, e em maio fará sua primeira aparição na Europa, como número de abertura do Carnation em Londres.

Conheça mais em:
 
Serviço:
Genocide Fest III com as bandas Rebaelliun, Ethel Hunter, Divulsor, Imperious Malevolence
Data: 06 de abril de 2019 (sábado)
Local: Jokers Pub
Endereço: Rua São Francisco, 164 – Centro
Horário: 20h (abertura da casa) / 21h (início dos shows)
Ingressos: R$ 25 (meia e promocional)

Anúncios