Black Moon Riders: grupo lança single com participação de Iuri Sanson

Black Moon Riders Capa Edward Mordrake

A banda de Heavy Metal, Black Moon Riders, acaba de lançar seu novo single, a música “Edward Mordrake”. Gravada no From Hellcords Studios, com arranjos de Magnus Wichmann, a canção conta com a participação do vocalista Iuri Sanson (ex-Hibria), que também assina a produção vocal. O single é o primeiro a ser lançado pelo selo Loop Discos e servirá como temática de ação social por parte do grupo. A arte da capa foi criada por Diego Dias.

Edward Mordrake conta a história de um aristocrata do século XIX, que de acordo com a publicação “Anomalies and Curiosities of Medicine”, dos médicos norte-americanos George M. Gould e Walter L. Pyle, de 1896, teria nascido com o rosto de seu irmão gêmeo em sua nuca. Uma face perversa que o atormentava com falas maldosas e o incentiva a cometer suicídio. Na canção, o vocalista e compositor, Átila Ferrarez, utiliza as duas faces de Edward como metáfora, para falar sobre problemas mentais, abuso sexual infantil e assédio psicológico. Fatos que muitas vezes são jogados para baixo do tapete de famílias que preferem manter o status de seu nome e não expor a realidade que vivenciam, as vezes por décadas.

Átila fala sobre o single: “Talvez essa seja a letra mais autoral da que fiz. Ao trazer assuntos tabus como abuso sexual infantil, loucura e depressão, o single se torna um desabafo e um convite à reflexão” – afirma Átila.

 

Iuri Sanson também fala sobre a canção: “Edward veio com a proposta de ser mais teatral. Então na parte de produção vocal, eu puxei muito o Átila para passar ao ouvinte a sensação de estar dentro de uma sala de cinema ou de um teatro. Acredito que ele teve uma performance excelente, usou texturas vocais diferentes, praticamente como um ator que interpreta um papel. Em relação a minha participação, eu achei bem legal. É em uma parte da música que funciona como uma narração, com sons que lembram brinquedos de um parque de diversão, como carrossel, e eu pude usar uma voz mais agressiva. Modéstia a parte, eu gostei muito de como ficou. Não só a minha participação, mas a música como um todo, com o grande arranjo do Magnus e tudo mais. O Átila e a Black Moon Riders estão de parabéns” – ressalta Iuri.

Confira o single:

 

Utilizando a forte temática da canção, a Black Moon Riders se disponibiliza, através de sua página oficial, para ser o elo entre profissionais, voluntários, de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras, e pessoas que sofreram ou sofrem distúrbios, como esquizofrenia e o mal de Alzheimer, ou abuso sexual infantil e outros tipos de assédios psicológicos. A intenção da ação social é promover encontros, bate papos e facilitar o acesso a possíveis consultas, para tornar a ajuda mais próxima. Além de encorajar a busca por tratamentos para indivíduos que ainda não o fizeram, seja por motivos financeiros ou de caráter pessoal. A banda organizará encontros assim que ambas as partes interessadas na ação começarem a entrar em contato.

Imagens:
Diego Dias e Strat Comunicação

Mais informações:
https://www.facebook.com/blackmoonriders/

 

Death Chaos: grupo libera single “Gloomy Days” em seu canal de YouTube

Death Chaos - 01

Uma das faixas mais progressivas escritas pelo Death Chaos, “Gloomy Days”, acaba de ser oficialmente liberada para audição completa no canal de YouTube da banda.

Mesclando Death Metal com melodias progressivas, a faixa em seus mais de 7 minutos, é uma excelente ferramenta para você que ainda não conhece a obra desses curitibanos.

Com letras que abordam histórias de seriais killers e filmes de terror, o Death Chaos é uma das principais fontes de força, agressividade e peso do Metal brasileiro. A faixa que acaba de ser disponibilizada, encerra uma etapa importante do grupo. Com essa liberação, todas as faixas do disco, Bring Them to Die, podem ser conferidas individualmente no canal de YouTube da banda.

Escute:

Death Chaos é formado por:
Denir “Deathdealer” – Vocal
Julio Bona – Guitarra
Gabriel Maciel – Guitarra
Edson “Mamute” – Baixo
Ueda – Bateria
 
Mais informações:

Arte Kerosene: grupo traz leveza e filosofia em novo single “Motivo”

arte_kerosene

Música, que também ganhou um lyric video, conta com parceria de Bia Barbar e produção do baixista do Skank, Lelo Zanetti

Um power-trio com uma sonoridade das mais autênticas do rock nacional, a Arte Kerosene lança neste fim de ano o single “Motivo”, em parceria com a cantora Bia Barbar e participação especial do baixista do Skank, Lelo Zanetti, além de Paulinho Santos. A música chega às principais plataformas de streaming e pode ser conferida aqui: https://spoti.fi/363lG4R.

“Motivo”, composição de Gabriel de Oliveira (guitarra/vocal), foi produzida por Lelo em parceria de Cris Simões, que já trabalhou em estúdio com o Jota Quest. É um Pop Rock leve, até dançante, mas também filosófico, com arranjos que destacam melodias tranquilas e calmas. Bia Barbar, que recentemente lançou o álbum à frente da banda Mohara e está iniciando carreira solo, é a voz suave deste single.

Leve, alegre e com certo grau de profundidade, “Motivo” aborda as doses diárias de alegria em meio às dificuldades de existir. “Existir é um desafio, mas devem encontrar a leveza neste processo. Quando a vida convida é melhor dizer sim, o destino e o acaso ficam juntos no fim. Antagônicos que, de alguma maneira, devem andar de mãos dadas”, fala Gabriel, citando um trecho da canção.

Junto ao single no streaming, a Arte Kerosene lança o lyric-video de “Motivo”, uma produção dinâmica com roteiro do próprio Gabriel e direção de Bruno Dini (guitarrista da banda 3 Pipe Problem). Para ilustrar a atemporalidade do que a banda canta na letra da música, o lyric-video aborda a transformação da comunicação escrita.

Confira aqui o lyric video de Motivo:

“É uma linguagem romantizada da escrita, que mostra a evolução da forma de escrever desde os tempos do homem nas cavernas até hoje. Da tabla ao tablet”, conta.

Para 2020, dois singles estão garantidos, “Quais são as condições?” e “Qual é a sua?”, que em breve também serão lançados via Orangeira Music. E Gabriel revela que vem mais coisas por aí. “Só ainda não da pra falar”, brinca o frontman.

Mais informações:

 

Laudany: grupo retoma processo criativo e anuncia novo EP

Laudany_Capa Now

“Trials And Punishments”, disco de estreia da banda lançado em 2006, agora também foi disponibilizado para as plataformas digitais

Originalmente formada no interior de São Paulo em 2002, a Laudany é uma banda de metal autoral que sempre logrou êxito enquanto esteve ativa. Tanto em termos de shows como em estúdio.

O grupo estreou nos palcos fazendo logo uma apresentação no Music Hall durante a “Expomusic 2003”. Também fez shows de abertura para respeitadas bandas como Shaman, Moonspell e participou de alguns dos principais eventos de arte gótica do país na época, como a Thorns Gothic Rave, Gótico SP Fest, entre outros.

Depois do single “Invisible”, o grupo lançou em 2006 seu disco de estreia, “Trials And Punishments”. Produzido por Aldo D’Isep (Endrah, Queiron, Threat), o álbum reuniu 10 faixas e foi muito bem recebido pela imprensa na época. “Um ótimo trabalho, com alto nível musical e sonoro” (Revista Roadie Crew); “Heavy rock bem trabalhado, com nuances góticas e progressivas que surpreendem positivamente” (Revista Shopping Music); “Sentimos orgulho pelo fato de uma banda nacional, e de maneira independente, chegar a um nível tão alto quanto o apresentado aqui.” (Whiplash); “Pinta de banda experiente, com boa técnica, ótimas composições que grudam na cabeça.” (With Every Tear A Dream). “O profissionalismo dos caras salta aos ouvidos, com músicas muito bem elaboradas, arranjos que passam a sensação de terem sido muito bem pensados e discutidos, execução impecável e uma produção excelente.” (MetalSplash). Essas foram algumas resenhas publicadas na época sobre “Trials And Punishments” que também chegou a ser indicado ao Prêmio Toddy de Música Independente de 2007 na categoria “Melhor Álbum de Heavy Metal”, onde também concorreram Sepultura, Angra, Krisiun, Violator, Witchhammer, entre outros.

Embora nunca tenha anunciado seu fim, a Laudany permaneceu inativa entre 2009 e 2018, até que neste ano de 2019 anunciou a retomada de seu processo criativo.

Formada atualmente por Moyses Prado (vocal), Hooligan (guitarra), Netto Carvalho (bateria) e Eliton Tomasi (baixo), a banda está em estúdio gravando um novo EP. Intitulado “Now”, o trabalho vai reunir quatro composições inéditas; “Now”, “Holy Wisdom”, “Timeless”, “Evolution” e uma versão para “Strength To Endure” dos Ramones.

“Now pretende continuar de onde a Laudany parou e disponibilizar a banda ao futuro”, conta o guitarrista Hooligan. “Nesse hiato, sempre que compunha algo – e depois de algum tempo parava para ouvir -, tudo soava como se tivesse sido feito para a Laudany. É como se eu nunca tivesse parado de produzir conteúdo para a banda! As músicas desse novo EP preservam a nossa essência, mas trazem certo ar de renovação. Estamos mais abertos e amadurecidos para absorver influências e incorporar vários elementos artísticos no conceito geral da banda”.

De autoria da artista visual Vera Araújo, para a capa de “Now” o grupo decidiu usar uma pintura a óleo sob tela.

“A capa do EP está num quadro na parede aqui da minha casa”, conta Eliton Tomasi que desde o início do grupo exercia o papel de manager e agora passa a ser o baixista da banda. “A opção por uma pintura a óleo sob tela reflete um desejo da banda de se expressar artisticamente em cada detalhe. Isso não significa que subestimamos as artes digitais, muito pelo contrário – o disco de estreia da Laudany traz uma arte incrível desenvolvida nessa linguagem -, mas é que nesse momento queremos buscar novos significados para alguns aspectos da produção criativa de uma banda, e para a capa achamos legítimo resgatar a técnica da pintura sob tela. A ausência do logotipo da banda e título do EP é um ato de desobediência diante dos padrões de mercantilização de trabalhos artísticos. Por fim, a Vera Araújo conseguiu traduzir muito bem a ideia conceitual desse EP como um todo que sugere ao observador, e ouvinte, uma total imersão no momento presente.”

O novo EP “Now” da Laudany deve ser lançado no início do primeiro semestre de 2020. Enquanto o novo trabalho não fica pronto, o grupo convida o público a conferir seu álbum de estreia, “Trials And Punishments”, que agora também está disponível em todas as plataformas digitais de música.

Chromeskull: grupo abre oficialmente sua agenda de shows para divulgação de “Screams In The Night”

CHROMESKULL_Lo_Res3

O mês de novembro foi agitado para os paulistas do Chromeskull, a banda lançou de forma oficial o single “Screams In The Night” dentre as principais plataformas de streaming.

Agora, visando divulgar ainda mais este novo trabalho, a banda abre oficialmente sua agenda de shows para o restante de 2019 e para 2020. Produtores interessados em mais informações sobre como leva-los para sua cidade, escrevam para chromeskull@outlook.com.br ou pelo WhatsApp/Telegram em (46) 98838-7204 – Sangue Frio Produções.

Ouça “Screams In The Night” na íntegra aqui:

Spotify: https://open.spotify.com/album/40HMQC6e02ZTs0QNy85VIE
Deezer: https://www.deezer.com/en/album/119132362
iTunes: https://music.apple.com/br/album/screams-in-the-night-single/1487977498
Claro música: https://www.claromusica.com/album/9990644/BR
Napster: https://us.napster.com/artist/chromeskull/album/screams-in-the-night

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Links relacionados:
https://facebook.com/ChromeskullSpeedMetal/
https://www.instagram.com/_chromeskull_/
https://www.youtube.com/channel/UCy49QeJxPU7xbQGe9PtEZWw
https://sanguefrioproducoes.com/bandas/CHROMESKULL/73

Unabomber: nome histórico do underground carioca, retrata convulsões sociais em novo clipe

Unabomber 1_Crédito Marcos Hermes

“A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina” tem performance explosiva

O caos social do Rio de Janeiro ganha força nas canções do Unabomber. Tradicional banda do underground no estado, eles continuam a surpreender após muitos anos de estrada. Em “A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina”, o grupo canta a relação distópica entre modernidade e natureza cada vez mais atual. O vídeo já está disponível no canal oficial de YouTube e a faixa integra o EP “O Mal da Máquina Morre”, lançado em 2019.

Assista a “A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina”:

Ouça o EP “O Mal da Máquina Morre”: https://album.link/br/i/1449042045

Contrastando imagens de arquivo da internet com a banda ao vivo, o registro busca demonstrar os atuais conflitos entre o mercado, a produtividade e meio ambiente presentes na letra, composta por Ayam Ubrais Barcos.

“É uma poesia política com metáforas. A máquina representa o sistema e o molotov é a consciência, de repente iluminada. O saber que se está dentro desse sistema e como ele funciona. A consciência, antes nas trevas, está incendiada, iluminada”, reflete o compositor.

No início da história do Unabomber, se reuniram para tocar despretensiosamente o baterista Paulo Stocco (com passagens por Jason, Mandril e Perdidos na Selva), os irmãos Sandro Luz (guitarra) e André Luz (vocais) e o baixista Alan Vieira, responsável pela produção do novo vídeo. Após alguns shows, resolveram recrutar mais um guitarrista e Jeff Barata assumiu a posição.

A estreia da banda foi em 1995 com uma demotape auto-produzida homônima. A repercussão foi grande, chegando a todos os zines especializados da época. A segunda tape, “R”, teve produção de Rafael Ramos (Pitty, Titãs, Dead Fish) e foi lançada em 1998. No ano seguinte, o Unabomber encerrou suas atividades.

18 anos depois eles voltaram com o EP “Massas & Manobras S/A”, com produção musical de Celo Oliveira, além de projeto visual do fotógrafo Marcos Hermes. E em meio ao xadrez sócio político vivido no presente, a banda compôs e gravou “Silêncio”, também produzida por Celo Oliveira e lançada no final de 2017, como primeira faixa inédita após o retorno. Jeff, o segundo guitarrista, deixou a banda pouco após esse single.

Voltando às origens em sua formação de quarteto, o Unabomber lançou uma versão de “Pesadelo”, composta por Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós, gravada originalmente pelo MPB4 em 1972. A letra é atual e passeia por velhas preocupações ressurgidas e a necessidade de novas perspectivas, em meio à maior polarização política, social e ideológica jamais vista no país.

Isso se reflete em “O Mal da Máquina Morre”, EP lançado esse ano e que conta com “A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina”. O lançamento vem para somar a uma história que se estende por quase um quarto de século de arte e luta.

Unabomber é formado por:
André Luz – Vocal
Sandro Luz – Guitarra
Alan Vieira – Baixo
PC Stocco – Bateria
 
Mais informações:

Broken & Boned: confira vídeo ao vivo de “Puz of a Sick World”

broken&boned

Enquanto o Brasil se preparava para festejar a data da Proclamação da República, a Broken & Boned e as bandas Killer Attack, Chico Doido HC e FSM organizaram na Arena Broken, em Marabá/PA, o “Garagem Aberta 2019”.

Durante o set da Broken & Boned foram registradas três performances ao vivo que o grupo formado por Rômulo Portela (vocal), Carlos Nava (guitarra e vocal), Marcelo “Marshall” (guitarra), Lúcio de Paula (baixo) e André Cecim (bateria) publicará no decorrer dos próximos dias, mas a primeira que é a execução da música “Puz of a Sick World” do álbum “Hypocrisy Hymns” (2018), você já pode conferir no YouTube da banda:

Aproveite se inscreva no canal e curta os outros vídeos.

Infelizmente, a Killer Attack e Chico Doido HC não puderam tocar pela interrupção de fiscais da prefeitura que barraram o evento.  Depois desta data, a Broken & Boned rumou para Palmas/TO, onde fez show no dia 16/11 para promover o seu full-length e apresentar canções do novo álbum que está em produção.

Ouça o álbum “Hypocrisy Hymns” pelas plataformas digitais:
 
Links relacionados:
 
Shows:
+55.85.9.9690.7536
 
Assessoria Brauna Music Press: