Montanee: grupo lança intenso clipe “Weak Like a Needle”

Montanee_Crédito Artur Medina_Rafael Hansen

Faixa integrará o primeiro EP da banda carioca

Após chamar atenção com as intensas “Burning Man” e “Keep Falling”, a banda Montanee entrega mais um gostinho de seu EP de estreia com o single e clipe “Weak Like a Needle”. Ao contrário do que o nome sugere, a faixa entrega a potência do quarteto carioca em uma performance pesada. A canção está disponível para streaming e o clipe já está no canal de YouTube oficial do grupo.

Assista a “Weak Like a Needle”:

Ouça “Weak Like a Needle”:

http://smarturl.it/WeakLikeANeedle

A Montanee traz em seu DNA vertentes do Rock Alternativo com tons de Indie, Stoner e Post-Punk revival. Enquanto os primeiros singles revelados potencializavam essas influências, o novo clipe foca na força da presença de palco dos músicos, com uma câmera nervosa acompanhando cada acorde e batida em movimentos que simulam a energia do público nos shows. Pela primeira vez, a banda foge à estética do preto e branco estabelecido nos vídeos anteriores para se entregar às cores de “Weak Like a Needle”.

“O clipe é um exemplo visual de como é tocar e ouvir essa música, a câmera e o público pulsando junto. ‘Weak Like A Needle’ é, simplesmente, rock n’ roll”, avalia o baterista Teo Kligerman. Além dele, completam a banda Felipe Areias (vocal e guitarra), Raphael Cardoso (baixo) e Pedro Domicio (guitarra).

O grupo retornou recentemente de uma mini turnê americana, onde apresentou versões minimalistas para suas canções com shows pela costa oeste dos EUA. Agora, a Montanee foca em concluir seu primeiro EP, a ser lançado em breve, e outras surpresas para o público.

Assista a “Burning Man”:

Assista a “Keep Falling”:

Ficha técnica vídeo:
Direção e Edição: Felipe Areias
Direção de Fotografia: João Rocha e Artur Medina
Produção: Anna Maués e Felipe Areias
Assistente de Produção: Lucas Cardoso
Tratamento de Cor: Pedro Erthal
 
Música:
Felipe Areias – Voz e Guitarra
Raphael Cardoso – Baixo
Teo Kligerman – Bateria e Voz
Pedro Domicio – Guitarra
Gravado por – Raphael Stolnicki, Alexandre Griva, Pedro Domicio e Diogo Panico
Mixado e Masterizado por – Raphael Stolnicki
 
Mais informações:

Seu Juvenal: grupo anuncia novo disco “Brincando com Ódio”

Seu Juvenal 2019

Com recursos do edital Funcult, o sucessor do elogiado “Rock Errado” de 2015 começa a ser gravado em Novembro no renomado estúdio Sonastério em Nova Lima/MG

“Brincando com ódio será um disco dos dias de hoje. Essa época onde o amor é menos popular.”É assim que o baterista Renato Zaca define, em linhas gerais, “Brincando com Ódio”, o novo álbum de estúdio do grupo mineiro de Rock errado Seu Juvenal.

“Brincando com Ódio” será sucessor do elogiado “Rock Errado” de 2015 e reunirá oito músicas. Todas as faixas serão gravadas ao vivo, a partir de Novembro, no estúdio Sonastério em Nova Lima/MG, um dos maiores estúdios em qualidade sonora e área construída do Brasil, por onde já passaram artistas renomados como Skank, Milton Nascimento, Ney Matogrosso, Seu Jorge, Criolo, Iza, Gal Costa, entre muitos outros.

“Brincando com Ódio” será financiado com recursos do Funcult, edital de fomento à produção artística e cultural do Fundo Municipal de Cultura de Ouro Preto/MG, do qual o Seu Juvenal foi vencedor.

Para o guitarrista Edson Zacca, “Brincando com Ódio” pretende consolidar uma busca sonora que vem desde o primeiro álbum do Seu Juvenal, “Guitarra de Pau Seco” de 2004.

“Optamos por gravar ao vivo em estúdio pois desde nosso primeiro álbum a intenção era produzir um disco que chegasse mais próximo possível da forma como o Seu Juvenal soa ao vivo. E uma grande referência para esse novo trabalho será nossa primeiro demo tape lançada em 1997, “Cyberjecas no Sertão da Farinha Podre”, cujas bases foram gravadas ao vivo em estúdio e que nos soa muito bem até hoje, passados 20 anos. Escolhemos também o Sonastério por ser um estúdio grande, plural em termos de tecnologia analógica, nos possibilitando uma gama de opções. Vamos atrás de uma sonoridade crua, punk, madura e verdadeira, que não se esconde atrás de plug-ins ou afinadores. Brincando com Ódio será um disco que mostrará uma banda real.”

“Brincando com Ódio” será lançado no primeiro semestre de 2020 tanto no formato físico (CD Digipack) como para todas as plataformas digitais de música. A capa será mais uma vez assinada pelo talentosíssimo artista plástico brasileiro Dinho Bento, responsável pela arte da capa do disco anterior “Rock Errado”.

Enquanto o novo álbum não é lançado, assista o videoclipe de “O Pior Cego”, o mais recente single do Seu Juvenal lançado no início do ano.

Além do guitarrista Edson Zacca e do baterista Renato Zaca, o Seu Juvenal também é formado pelo baixista Fabiano Minimim e pelo vocalista Bruno Bastos.

Mais Informações:
www.seujuvenal.com.br
www.facebook.com/seujuvenalmg
www.twitter.com/seujuvenalmg
www.soundcloud.com/seujuvenal
www.youtube.com/seujuvenalmg

 

Enchantya: grupo lança videoclipe da nova música “Downfall to Power”

dowfal

A banda portuguesa de Metal Melódico Enchantya lançou um novo videoclipe para a música “Downfall to Power”. Faixa retirada do seu tão esperado segundo álbum “On Light and Wrath”, lançado em 24 de maio de 2019 pela Inverse Records.

Assista o videoclipe de “Downfall to Power”:

A vocalista Rute Fevereiro fez o seguinte comentário sobre o vídeo:
“Downfall to Power” “é a música perfeita para refletir o conceito do álbum” On Light and Wrath ” de Enchantya. Pensei numa história em que a decepção com o mundo dos contos de fadas se funde com a dicotomia irrealista do bem e do mal. Este vídeo dirigido por Carlos Guimarães, da G Media, contou com a participação de Diana Rosa e Lee AN como atrizes, com o trabalho de maquilhagem da Ana Filipa Ferreira e foi filmado na floresta encantada de Sintra.”

Ouça o álbum “On Light and Wrath” pelo streaming:
Spotify: https://spoti.fi/2WqlNWM
Deezer: https://www.deezer.com/us/album/91589852
Tidal: https://listen.tidal.com/album/106523879
Amazon: https://amzn.to/2VLq9TW
Apple Music: https://apple.co/30CDoKp

O álbum foi gravado, mixado e masterizado por Fernando Matias (Moonspell, Bizarra Locomotiva, We Are The Damned, Sinistro, etc.) nos Pentagon Audio Manufacturers.

Arte da capa por: Phobos Anomaly Design

Enchantya - Sobre a Luz e a Ira

Track List:
01. Turn of The Wheel
02. Last Moon of March
03. The Beginning
04. Poet’s Tears
05. Near Life Experience
06. Alma
07. Downfall to Power
08. Hide Me
09. Deception (Since you Lied)
10. Once Upon a Lie
11. From the Ashes

Enchantya é formado por:
Rute Fevereiro – Vocal
Bruno Santos – Guitarra
Fernando Campos – Guitarra
Fernando Barroso – Baixo
Bruno Guilherme – Bateria
Pedro Antunes – Piano, Teclado e Orquestrações
 
Links relacionados:

NUDZ: grupo faz um convite à curtição no provocador clipe “Time For Recreation”

NUDZ - Time For Recreation 5

Faixa integra o EP de estreia da banda, “The Watcher”

Após chamar atenção com a intensidade do seu EP de estreia, “The Watcher”, lançado no primeiro semestre, a banda NUDZ divulga mais um clipe do álbum. Em “Time For Recreation”, o grupo surge cantando em meio a um ônibus onde os assentos deram lugar à diversão sem limites, um ambiente de liberdade onde as amarras sociais não exercem efeito. O vídeo já está disponível no canal de YouTube oficial da NUDZ.

Assista a “Time For Recreation”:

Enquanto a letra confronta noções de realidade e devaneio, em versos como “Have you ever got so high that you need to put shackles in your mind?” (você já ficou tão louco que precisou colocar algemas na sua mente?), o clipe se desprende de qualquer convenção ao fazer um convite à curtição, onde um estilo de vida fora do convencional é regado a exageros, arrependimentos, agonias, e estados alterados de consciência.

“Queremos representar, com esse lançamento, a diversidade e a resistência, principalmente!  Assim como no título, convidar a um ‘tempo pra recreação’. A vida não está fácil pra ninguém, portanto, é uma forma de sublimar as dificuldades dos tempos políticos e sociais atuais”, reflete o guitarrista Fred Chamone, que também colabora nos backing vocals. Além dele, a banda é formada por Gabriel Lisboa (bateria), Felipe Valente (baixo) e Filipe Dutra (vocal e guitarra).

A locação inusitada é nada menos que um antigo ônibus escolar em estilo americano que faz parte do Jeca-Tatu, museu cultural e bar de estrada no trajeto entre Belo Horizonte e Lavras Novas. No veículo adaptado, o espaço para os bancos vira uma pista de dança e a iluminação de LED azul e colorida dá uma sensação quente e intensa. Tudo para combinar com o instrumental pesado da faixa, que alia guitarras a um clima Stoner, Post-Grunge e Nu Metal que permeia “The Watcher”, primeira amostra autoral da NUDZ.

Foi a partir da entrega emocional e musical feita ao projeto que surgiu a banda, iniciada com jams em estúdio realizadas pelo ex-baterista Aldrin Salles e Chamone em 2017. “Nós fazíamos aquilo despretensiosamente, pensando só em expurgar pra fora do corpo todos os nossos demônios. O som foi ganhando cada vez mais carga sentimental, o que nos fez considerar fazer daquilo uma banda de verdade”, reflete Salles.

Junto do EP, a NUDZ lançou o primeiro clipe, para a música “Occasional Mistake”, dirigido por Bruno Paraguay, da banda Eminence. O vídeo trazia a banda em estúdio simulando a experiência vibrante e de entrega que inspirou o projeto desde o começo.

Ouça “The Watcher”: http://bit.ly/TheWatcherEP

Veja o clipe “Occasional Mistake”:

A NUDZ passou o ano de 2018 solidificando sua formação e criando o EP “The Watcher”. O trabalho foi produzido por Fred Chamone no Studio Independente, lar daquelas sessões primordiais. O álbum está disponível em todas as plataformas de música digital.

Mais informações:

 

Cigana: grupo se entrega à psicodelia no clipe “Existem Coisas Que Não Dá Pra Explicar”

Cigana-ECQNDPE 3

Faixa integra o álbum “Todos Os Nós”, lançado em 2019 pela Sagitta Records

Uma gama de sensações guia a sonoridade plural de “Todos Os Nós”, álbum de estreia que a banda paulista Cigana lançou em 2019 pela Sagitta Records. A faixa “Existem Coisas Que Não Dá Pra Explicar” é uma das mais intensas do trabalho, calcada em uma psicodelia ao mesmo tempo vibrante e melancólica, e acaba de ganhar um clipe que traduz esses diferentes espectros. Sob direção de Rafael Souza (Lavanderia Estúdio), o vídeo já está disponível no canal de YouTube da banda.lançamento

Assista a “Existem Coisas Que Não Dá Pra Explicar”:

Cigana mergulha no desconhecido neste clipe. O roteiro mescla momentos de introspecção, de cenários bucólicos acompanhando o quinteto, passando por fases da composição protagonizados pela vocalista e multi instrumentista Victoria Groppo, até desembocar na força de uma apresentação ao vivo, onde a canção ganha forma na coletividade. Tudo isso é guiado por uma música quase totalmente instrumental, com os vocais surgindo apenas no minuto final.

“Essa faixa ganhou um clipe por demonstrar um sentimento muito importante pra gente,  que é o êxtase. Aquela sensação que preenche o corpo, faz sentir a vida, de uma intensidade gradual, até se tornar gigantesca. E o pouco da letra que tem nela é uma reflexão, sob o efeito desse êxtase intenso e de como existem sentimentos inexplicáveis. Em resumo, acredito que essa música, pra todos nós da banda, carrega paz”, reflete Caique Redondano, autor da letra.

“Existem Coisas Que Não Dá Pra Explicar” aparece no álbum “Todos Os Nós” após o também single “Maldita, pt. 2”. Se a faixa anterior percorre um caminho de pedras, aqui se chega ao vazio. Da turbulência ao silêncio, a música entrega um olhar interior alheio ao que acontece do lado de fora, buscando calar o que aflige.

Ouça o álbum“Todos Os Nós”:

http://smarturl.it/CiganaTodosOsNos

“Essa música vem pra mostrar o lado introspectivo do álbum, um lado reflexivo e o êxtase quando se consegue expressar um sentimento em forma de arte. Ela foi durante muito tempo apenas instrumental, até que o Caique chegou com uma letra que, apesar de curta, falava o que precisava ser dito, como uma conclusão de toda a introspecção que antecede”, finaliza Victoria. Completam a formação da Cigana Matheus Pinheiro, Pedro Baptistella e Felipe Santos. O quinteto assina coletivamente a autoria de “Existem Coisas Que Não Dá Pra Explicar”.

Formada em 2014 em Limeira (SP), a banda tem em sua discografia os EPs “Sinestesia” (2014) e “A Torre” (2015). Eles lançaram também o single “Natureza”, pela Laboratório Fantasma dentro do projeto “Original’s Studio”, e trabalharam no álbum “Todos Os Nós” ao longo de três anos ao lado do produtor Cosmo Curiz. As canções vão do indie ao jazz passando pelo post-rock e pela MPB como uma viagem interna profunda e de autoconhecimento. O disco já está disponível nas principais plataformas de música pela Sagitta Records.

Ficha técnica:
Dirigido por: Rafael Souza do Lavanderia Estúdio
Compositores:
Victoria Groppo, Matheus Pinheiro, Caique Redondano, Pedro Baptistella e Felipe Santos
Intérprete: Cigana
Produzido por: Cosmo Curiz
Mixado por: Hugo Silva
Masterizado por: Rodrigo Deltoro
Gravado entre 2016 e 2019 em Limeira/SP nos estúdios DSTN Garage, CatPee Records e no home studio da banda
 
Letra:
Quando a paúra bate
Não é fácil de esconder
Existem coisas que não dá pra explicar
Olhar a volta para fora
Logo agora que eu fui perceber
Que eu me alterei
Esqueci de avisar
Que eu não durmo em casa hoje
Vou entre as ruas me achar
Só não me lembro se senti saudade alguma vez
Prefiro não pensar
 
Links relacionados:

Spiritual Hate: mais informações sobre novo álbum em entrevista ao site Cultura em Peso

SPIRITUAL_HATE_Lo_Res3

Com um segundo semestre intenso, os paulistas do Spiritual Hate ganharam destaque em mais um site brasileiro: o Cultura em Peso.

Em entrevista, conduzida pelo redator Iuri Cremo, o baterista, Malus Peior Pessimus, falou sobre o início da banda, discografia, formações, projetos futuros – que inclui o lançamento de um single e um novo álbum – e muito mais.

Leia o bate-papo completo aqui:

http://culturaempeso.com.br/2019/09/25/spiritual-hate-grupo-trabalha-em-proximo-album-e-da-entrevista/

Em paralelo, recentemente o Spiritual Hate esteve na seção cenário da revista Roadie Crew, onde o guitarrista “F. Blackmortem” conversou com exclusividade com uma das maiores publicações impressas da América do Sul, veja: https://sanguefrioproducoes.com/n/2341

Produtores interessados em levar o grupo para seus respectivos eventos, escrevam para spiritualhate@bol.com.br ou no WhatsApp/Telegram em (46) 98838-7204 – Sangue Frio Produções – e solicitem mais informações.

Assista ao videoclipe de “Awaiting Fucking Jesus”:

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Links relacionados:
http://www.facebook.com/SpiritualHateBand/
https://www.youtube.com/channel/UCy6YTf6Y9cGi7qgw3BF5AVg
https://www.instagram.com/spiritualhate_official/
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/SPIRITUALHATE/64

Direito De Defesa: participe do projeto Palco Aberto para a banda tocar com Pitty em sua “Turnê Matriz”

Direito de Defesa _ Daniela Barros Fotografia @danielabarrosrj (12)

No dia 26 de outubro Pitty fará um show no Rio de Janeiro e convidará uma banda local para tocar de acordo com a indicação de fãs. Para isso, a cantora com o patrocínio da TNT Energy Drinks lançou o projeto Palco Aberto que funcionará como um termômetro dessas indicações.

Se você é fã da Direito De Defesa e deseja vê-la no palco da “Turnê Matriz” da Pitty, digite #PALCOABERTO e #PITTYNORIODEJANEIRO nos comentários de fotos, vídeos e tudo que for relacionado ao Direito De Defesa em suas redes sociais. Quanto mais você comentar, mais aumenta as chances de a banda carioca receber o convite, participe!

 
Confira vídeos da Direito de Defesa no Canal do YouTube:
 
Escute o álbum “Cultura da Impunidade”, lançado em 2019, pelas plataformas digitais:
 
E em muitas outras.
 
Confira o vídeo ao vivo da música “Bala Perdida”:

 

Visite o site da Direito de Defesa:
 
Shows:
(85) 9.9690-7536