Leeds: banda anuncia lançamento do 3º disco, “Tormenta”

leeds

Quando retomaram as atividades no ano passado, a Leeds tinha muito bem definido o planejamento para os meses subsequentes. Voltar aos palcos, compor e ir a estúdio gravar um novo disco. Cada etapa foi cumprida e, no dia 29 de março, o power trio de Santo André/SP enfim lança o terceiro álbum, “Tormenta”, que sai nas principais plataformas de streaming pelo renomado selo carioca Abraxas Records. As novidades não param por aí: no dia seguinte, 30/3, a banda faz o show de lançamento de “Tormenta” no 74 Club (Santo André).

leeds 1 - cartaz

Gravado em um formato ao vivo em abril de 2018, “Tormenta” foi produzido pela própria banda e conta com a engenharia de som, mixagem e masterização de Alexandre Fontanetti e Leandro Henrique no estúdio Space Blues, em São Paulo.

Em tons fortes de vermelho e preto, a arte da capa traz uma gravura de Karl Alexander Wilke (Leipzig, Alemanha, 1879/1954), que trabalhou como ilustrador da Die Muskete, revista semanal humorística editada durante a Primeira Guerra Mundial. A ideia, enfatiza a Leeds, é retratar o imaginário obscuro da banda refletido em todas as composições contidas no álbum.

“O que temos aqui é um álbum espontâneo e raivoso. Algumas faixas foram capturadas no primeiro take. Para mim é o melhor álbum que já fizemos juntos, pois todos participaram intensamente de todo o processo de composição e produção”, comentou o baterista Willian Paiva.

O baixista Leandro Sant’anna destaca a novidade do teclado e sintetizador à sonoridade visceral do rock da Leeds, cantado em português. “Conseguimos captar nas músicas a luz e sombra que vínhamos trabalhando em conjunto e também a sensação ao vivo para elas, humanas com suas imperfeições”.

Já o vocalista e guitarrista Renan Paiva revela que existem pertinentes mensagens ao longo das cinco faixas de Tormenta. “A forma como foi produzido realmente captura o que somos no palco e ficamos bastante satisfeitos”.

Assista o videoclipe oficial de “Pra Sobreviver”, single do segundo álbum do grupo “Geração Roubada”:

Mais informações:

Leeds: anuncia retorno aos palcos e confirma show em maio

Leeds Foto por Renan Facciolo.jpg

Power trio Rock n’ Roll de Santo André atualiza selvageria e feeling do The Who

As referências ao The Who vão além do nome – Leeds, inspirado no álbum do lendário grupo chamado ‘Live at Leeds’ – e na pegada Rock n’ Roll clássica, cercada por diversas vezes de uma aura vintage. Assim como os heróis britânicos, Renan Paiva (guitarra e voz), Willian Paiva (bateria e backing vocal) e Leandro Sant’ana (baixo, teclado e sintetizador) persistem na música e, após um ano longe dos palcos para cuidar de projetos paralelos e pessoais, mas sempre em comunicação e reuniões para compor músicas novas e debater ideias para a banda, reagrupam neste mês de abril, já com compromissos para maio. Data, local e horário do show especial no próximo mês serão anunciados em breve.

Formada em Santo André no ano de 2012, a Leeds lançou dois álbuns (homônimo e Geração Roubadacantados em português) e tem aparições nos principais eventos de Rock de São Paulo no currículo, entre elas a apresentação no projeto “Estúdio Sete Cidades – SESC Santo André”.

As lembranças dos dias juntos em estúdio, compondo e gravando, mais os compromissos em palcos, foram a faísca para mais uma rodada de Rock n’ Roll, confirma Willian. “Estamos preparando um novo show para esse retorno, estamos preparando algo que nos motive a subir em cima do palco”, conta o baterista – hoje também nas baquetas do Hammerhead Blues e do War Industries Inc. – sobre o evento já agendado para o início de maio que vai oficializar o retorno da Leeds. Mais informações em breve.

O último álbum da banda e que deve ser o ponto de partidas para as novas músicas que o trio em breve apresentará, “Geração Roubada”, mostra uma Leeds entrosada em 11 faixas de Rock direto e reto, ousado, mas com elementos aqui e ali do Blues, um riff ou outro mais pesado, e uma sensação de que tudo é uma grande jam session extremamente bem articulada.

No ano em que a Leeds ficou na retaguarda da cena autoral nacional, analisa Willian, algumas coisas mudaram, mas tudo numa cadeia natural de acontecimentos e que são absorvidas de maneira positiva pela banda. “É difícil se manter no cenário underground, é difícil sobreviver. No entanto estamos aqui, um tanto positivos e prontos para nos misturar com a galera que tem feito boas músicas por aí”.

Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)