No Gracias: confira apresentação em Programa de TV

No Gracias 1

A banda No Gracias participou recentemente do Programa Radar, da TVE-RS, com transmissão ao vivo na TV aberta para todo o Rio Grande do Sul, além de também ser transmitida ao vivo na internet. A banda executou três músicas, incluindo seu novo single, “Ponte para o Passado”.

O Programa Radar é um tradicional espaço para bandas e músicos gaúchos, artistas em geral e fomentadores da cultura. Apresentado por Domício Grillo, de segunda a sexta, das 18h às 18h30, o programa é transmitido pela TV Educativa do Rio Grande do Sul (TVE-RS), pertencente a Fundação Piratini. Há mais de vinte e cinco anos no ar, é considerado um dos principais apoiadores e divulgadores de movimento artístico e cultural do estado, com espaço para bandas e músicos apresentarem seus trabalhos ao vivo, entrevistas, agenda, reportagens sobre cultura e exibição de videoclipes.

Essa é a segunda vez que a banda No Gracias se apresenta no programa. A primeira foi em 2017, quando divulgava o EP “Vista do Jogo”, que na ocasião foi tocado na íntegra. Agora, o grupo, que está divulgando o videoclipe do seu novo single “Ponte para o Passado”, além de tocá-la ao vivo, também executou as músicas “2016” do EP (Vista do Jogo) e “Valores” do primeiro EP do grupo (No Gracias).

Confira o vídeo do programa:

Links relacionados:
+55 51 98192-7057
Anúncios

No Gracias: discografia disponível nas plataformas digitais

No Gracias 2

Acompanhando as mudanças tecnológicas que influenciam o consumo da música globalmente, a banda No Gracias disponibilizou recentemente a sua discografia nas principais plataformas digitais.
 
Os EPs “2016” e “Vista do Jogo”, além do novo single “Ponte para o Passado”, estão disponíveis para compra e audição nos aplicativos Spotify, Dezzer, Google Play, Amazon Music, Tidal e Youtube.
 
Confira os links:
Amazon Music: https://goo.gl/1FfQzR
 
 
Formada em 2007 pelo guitarrista e vocalista, Pablo Gusmão Rodrigues, e pelo guitarrista Rafael Midugno, a banda No Gracias, que já conta o baterista Rodrigo Corrêa desde 2008, consolidou sua formação atual em 2014, com a entrada do baixista Igor Lopes.
 
Com a formação completa, o grupo resolve entrar em estúdio para gravar seu primeiro registro oficial. O EP “2016” traz quatro composições próprias cheias de atitude e contestação social. O trabalho conta com produção do músico e produtor gaúcho, Egisto Dal Santo.
 
Após diversas apresentações em cidades do Rio Grande do Sul e também no Rio de Janeiro, a banda volta ao estúdio para a gravação de seu novo trabalho. O EP “Vista do Jogo” é lançado em março de 2017 e traz a banda revigorada, expandindo a sua sonoridade. O novo álbum foi gravado, mixado e masterizado no estúdio Hurricane e produzido por Sebastian Carsin. O trabalho foi considerado um dos melhores do ano pelo portal O Subsolo, na categoria EP Rock / Hard Rock.
 
Em junho deste ano, o grupo lançou seu novo trabalho, o single “Ponte para o Passado”. A música repete a parceria com o produtor Sebastian Carsin e traz a banda explorando seu lado mais pesado, unindo a atmosfera sombria da melodia com a acidez e crítica social de sua letra.
 
Mais informações:
 
 

No Gracias: “Para nós, 2016 ainda não acabou”!

No Gracias 1

Independente de ideologias partidárias, não se pode negar que todos ainda sofrem os reflexos dos acontecimentos ocorridos em 2016. Tempos de tormenta, onde o ódio exacerbado e a cegueira seletiva parece tomar conta de pessoas de todas as classes sociais. As mudanças que eram esperadas após o impeachment (ou golpe) surgiram, mas foram para pior. Isso já era denunciado na música “2016”, da banda No Gracias, que retrata os fatos e as possíveis consequências desde fatídico ano.

Esse que mundo quer? Esse espera o quê? Esse o que constrói? Onde quer viver? Conservador do quê? Por qual ideal se move? O coxa que merda de mundo pensa manter?”, um trecho da letra já questionava quais os motivos e quem realmente ganharia com a destituição da presidente eleita de forma democrática em 2014.

Assista o vídeo:

O desemprego segue subindo e as propostas para mudanças nas leis da previdência e trabalhistas se mostraram péssimas para os trabalhadores. O prometido crescimento econômico não aconteceu e o caos toma conta das ruas do país com greves e sucateamento dos serviços públicos.

O vocalista e guitarrista, Pablo Gusmão Rodrigues, fala sobre a temática da canção: “A ideia veio pelo ano conturbado que foi 2016. A letra dessa música é bem direta e  reflete o que víamos e, aliás, continuamos vendo. Estávamos vendo aquela palhaçada de um monte de políticos corruptos com discursos moralistas, incluindo um imbecil homenageando torturador; o STF casuísta em suas interpretações do texto constitucional, e sendo permissivo com uma escalada de abusos jurídicos insuflados pela grande mídia, o que também agravava a crise econômica pela forma como as empresas em si (e não apenas seus dirigentes) eram inviabilizadas, gerando desemprego. Enquanto isso as pessoas faziam declarações de ódio nas redes sociais.Era difícil para nós não nos manifestarmos diante desse cenário” – explica Pablo.

Mais informações:
+55 51 98192-7057

No Gracias: participa da coletânea “A Voz da Cena Independente Vol. 2”

Voz da Cena Independente - Capa Coletânea 3

A No Gracias é uma das bandas que compõem a coletânea “A Voz da Cena Independente Vol. 2”, produzida pela Rock’N John Produtora. O grupo disponibilizou a música “Vista”, gravada e mixada no Estúdio Hurricane e lançada anteriormente no EP “Vista do Jogo”, em 2017.

A coletânea é uma iniciativa do Produtor Cultural e apresentador de programas voltados ao cenário musical independente, John Edvaldo, e traz ao total de vinte bandas de diversas gerações. John fala sobre o objetivo da inciativa: “A importância da coletânea para a cena é manter em atividade algumas bandas que carecem de material físico pra oferecer aos seus fãs e ouvintes. Com esse trabalho coletivo, o que queremos é fortalecer a união da cena” – explica John.

Confira o track list completo:
01 – Aqui Estou Outra Vez – A.N.T.Z
02 – Segredo do Tempo – Arctúria
03 – Nem Tudo São Poesias Ao Pôr da Lua – Bleff
04 – Anarquia – Capa Preta
05 – Leve Embora a Lealdade – Dependência S.A
06 – Simpatia do Amor (Café na Calcinha) – Diego Nassif e Os Brinquedos de Alá
07 – Insanos – Eletroacordes
08 – Sozinho no Mundo sem Você – Stragonoff
09 – Retrato Punk – Geração Final
10 – Maldição – Grafeno
11 – Marque um (X) no seu Coração – Julio Igrejas
12 – Cadê o Ar? – Los Cochos Virados
13 – João Gostoso – Ligante Anfetamínico
14 – Ainda Sou o Mesmo – Marittimus
15 – Cigarros, Cerveja e Contravenção – Moisés Velhinho
16 – Vista – No Gracias
17 – Nenhum Político me Representa – Panorama Social
18 – Jogo Sujo – Piratas Siderais
19 – About You Want – Projeto Alcatéia
20 – Sobrevivo na Cidade – Pupilas Dilatadas

Cada banda participante recebeu uma quantidade de CDs que podem ser comercializados livremente, cópias também estão disponíveis nos coletivos Igara Rock (Canoas) e Mamutes (Porto Alegre).

O lançamento oficial da coletânea acontece no dia 02 de junho, no Viaduto do Brooklyn (Sarmento Leite, 607) em Porto Alegre, no evento “A VOZ da Cena 2”, que contará com shows de todas as bandas presentes na coletânea.

No Gracias: assista o videoclipe da música “Globotomia”

No Gracias

A banda No Gracias acaba de lançar o videoclipe oficial para a música Globotomia. Com direção de Gerson Silva e imagens gravadas durante show realizado em um dos cartões postais de Porto Alegre, o Parque Farroupilha (Redenção), o vídeo traz trechos da performance da banda em um evento elaborado com o intuito de defender o serviço público municipal de qualidade.

Globotomia é a quarta e última música do EP “Vista do Jogo”, lançado no início de 2017. A canção traz em sua letra a visão da banda em relação ao maior grupo de comunicação do país, a Rede Globo de Televisão. Sobre a canção, o vocalista e guitarrista Pablo Gusmão Rodrigues explica: “O nome da música é trocadilho que nos ocorreu (e certamente não é original, porque é bem claro), envolvendo o termo lobotomia, o procedimento cirúrgico que era usado, na realidade, mutilando o cérebro, com a finalidade de acalmar pessoas com certos problemas mentais. De resto, a letra G, tem a ver com essa nossa realidade de meios de comunicação extremamente concentrados. Em vários outros países um mesmo grupo empresarial nem poderia ser dono de jornal impresso, ter várias rádios e ainda emissoras de TV. Aqui as pessoas utilizam todos esses meios e estão sendo informadas sempre pelas mesmas empresas, de meia dúzia de famílias, e que obviamente têm sua linha e seus interesses. Isso é um poder enorme. E boa parte das pessoas fica sem contraponto” – ressalta Pablo.

Assista o videoclipe:

O músico alerta sobre o perigo desse domínio: “Não se pode traduzir isso como mérito na competitividade do mercado, como sendo o que as pessoas querem, porque, assim como em outros setores da sociedade, há um histórico de poderes que formam um sistema que opera se retroalimentando, e que ainda muitas vezes passam por governos e jogo políticos (as mídias são concessões públicas). O campeão de audiência de hoje era a única emissora que pegava em várias regiões e, assim, foi entrando na rotina das pessoas. Na cena musical a gente vê esse tipo de coisa circuito comercial, com os jabás e tal. Aí, ao final do dia, uma rádio faz a sua parada das 10 mais pedidas pelo público… As 10 entre as 15 que tocam 20 vezes por dia (risos). E, na mídia em geral, em termos de informação, o que ocorre é que poucos têm o poder de traduzir a realidade para as pessoas”.

O guitarrista Rafael Midugno ainda destaca o passado do grupo de comunicação com o regime militar que esteve no poder no país durante o período de 1964 até 1985: “Lembrando que Roberto Marinho criou a empresa apoiando e recebendo apoio da Ditadura Militar”. Rafael também explica que diferente do que acontece em outros países, onde os veículos de comunicação assumem posicionamentos ideológicos, no Brasil, existe um apoio velado a determinados grupos políticos, exercido de maneira que o público seja influenciado sem perceber esse tipo de conduta: “Nenhum leitor é enganado quando lê as posições defendidas em editoriais do Washington Post e do New York Times”.

Globotomia é o segundo vídeo oficial da banda, que já havia lançado um clipe para a música “2016”, ambas do EP Vista do Jogo.

Links relacionados:

No Gracias: EP “Vista do Jogo” entre os melhores lançamentos de 2017

No Gracias - Capa do EP Vista do Jogo 4

Um dos maiores portais direcionados à música underground nacional, O Subsolo, escolheu o EP “Vista do Jogo”, da banda No Gracias, como o quinto melhor lançamento de 2017, na categoria EP Rock / Hard Rock. A escolha reforça o excelente ano para o grupo, que além de ter seu álbum muito bem aceito pela mídia especializada, ainda lançou o primeiro videoclipe oficial de sua carreira.

O vocalista e guitarrista, Pablo Gusmão Rodrigues, fala sobre a premiação “Nós não esperávamos. Na sei quantos foram ouvidos, mas acredito que mais de cinco (risos). É muito gratificante. Não pela questão competitiva. A avaliação é inexoravelmente subjetiva e a gente não pensa em ser melhor que ninguém. Mas pelo significado em termos de reconhecimento do trabalho. E ainda vindo de gente que trabalha com música, que ouve muita música… certamente várias bandas de muita qualidade, independente do estilo, mas com sonoridade própria, criativas, com músicas interessantes”.

Sobre a forma de composição da banda, o músico acrescenta: “Nós não fazemos música pensando em agradar… visando ao sucesso comercial… Se fosse assim, tentaríamos seguir algum modismo da época (não é garantia de sucesso, mas é mais provável). Para mim, a criação artística, no caso, o processo de construção de uma música, é indiferente à expectativa de receptividade. Acho que isso pode ser entendido como honestidade artística. A gente se sente realizado por ter realizado (e isso não é exatamente redundante), independente do resultado, em termos de aceitação. A gente expressa o que quer expressar, da forma que quisemos expressar e, se ninguém mais gostou, ok, mas era isso o que queríamos dizer. Vejo isso até como uma liberdade que a arte propicia, já que, na vida em geral, estamos sempre cumprindo regras e convenções, volta meia tendo que se conformar com coisas que não concordamos, etc. Por outro lado, se nos expressamos é para os outros. E aí, se nossa expressão artística, composta honestamente, sem ser moldada para nada, for curtida por outras pessoas, isso gratifica, porque houve identificação! E esse é o sentido de estar aí tocando, fazendo shows e divulgando o trabalho” – conclui Pablo.

Enquanto comemoram a escolha, a No Gracias segue realizando shows para divulgar o EP.

A matéria completa do portal O Subsolo pode ser acessado no link: http://www.osubsolo.com/2017/12/melhores-do-ano-2017.html.

Imagens: Capa do EP “Vista do Jogo” e Arte com os cinco melhores do Portal O SubSolo

Subsolo - melhores-do-ano-rock-ep 4

Mais informações:
+55 51 98192-7057

 

No Gracias: divulga teaser do primeiro videoclipe

No Gracias

A banda No Gracias acaba de divulgar em seu canal no youtube, o teaser do videoclipe da música “2016”. Este é o primeiro vídeo oficial do grupo, que lançou no inicio do ano o EP “Vista do Jogo”.

A direção ficou a cargo Gerson Silva, também responsável pela produção e edição. O vídeo traz imagens da banda em apresentações ao vivo, intercaladas com protestos ocorridos no ano passado. A música “2016” é a terceira faixa do EP “Vista do Jogo” e exibe uma visão critica sobre acontecimentos que ocorreram dentro e fora do país no último ano.

A banda promete lançar o videoclipe completo nas próximas semanas.

Confira o teaser:

Mais informações: