Ann’emic: mistura Stoner e Metal Progressivo no EP “Derash”

Ann_emic - capa

Banda carioca estreia na Abraxas Records com registro de músicas densas e reflexivas

Os andamentos progressivos e riffs Stoner ditam a sonoridade do quarteto carioca Ann’emic, que lança o novo EP “Derash” pela Abraxas Records. As quatro faixas do registro, altamente indicadas para fãs de Tool, Mastodon, Kyuss, e Om, podem ser conferidas aqui: https://ONErpm.lnk.to/Derash.

“Derash” é o sucessor do disco de estreia “Ataraxia”, que mostrava a banda mais calcada no Progressivo tradicional. Neste EP, gravado no saudoso Superfuzz (o Ann’emic foi uma das últimas a gravar lá antes que o estúdio fechasse as portas), é possível ouvir uma massa sonora com guitarras densas, riffs mais arrastados e baixo – um dos grandes destaques deste EP – explorando bastante os graves.

As letras de todas as quatro músicas de “Derash dialogam com a possibilidade da civilização ter nascido por mãos alienígenas e como a raça humana falhou. Reflexões sobre a busca pela iluminação interna contínua também estão presentes nas letras.

Uma das faixas mais lisérgicas do EP é “Descend”que progride a todo instante. É a gênese e síntese do conceito do registro, com ênfase no instrumental, em que deixa clara a influência progressiva. Ambientações futurísticas também são perceptíveis na maioria das passagens de “Derash“.

Annemic

Mais informações:
Anúncios

Projeto Trator: banda lança “Na Órbita do Medo”, 10º registro de inéditas

Projeto Trator onerpm

“Na Órbita do Medo”, o 10º registro do Projeto Trator, exalta tudo aquilo que o duo paulista martela há 12 anos de atividades: músicas fora do senso comum, e muita caoticagem, calibrada a partir da junção de momentos Sludge, Doom, Stoner e Punk. O novo EP tem quatro músicas, que já estão nas principais plataformas de streaming via Abraxas Records. Ouça: https://ONErpm.lnk.to/ProjetoTrator.

Paulo Uedo (guitarra/vocal) e Thiago Padilha (bateria) apresentam, como de costume, uma sonoridade orgânica, com pouquíssimos overdubs, captada junto a Sérgio Ugeda (ex-Hierfofante Púrpura) no estúdio Bem Maior, ainda em 2017. Antes de ganhar a versão definitiva do EP, as novas músicas – “Na Órbita do Medo”, “Asfixia”, “Vermes” e “Absurdos” – foram testadas ao vivo na turnê realizada ano passado na Argentina.

A crítica social nas letras do disco “Fora Temer” (2016) está ainda mais direta neste novo material, sem nunca deixar de lado a estética dadaísta, uma das mais fortes características do processo criativo lírico do duo. “Não é clichê, mas é o que a gente vive no dia a dia. O Fora Temer é uma referência boa pra entender o que se reflete nesse EP. Nada melhora, tudo piora na realidade brasileira”, desfere Paulo.

Já a massa sonora do Projeto Trator traz as habituais referências a bandas como Eyehategod e Electric Wizard. “Na Órbita do Medo’ ainda tem diversas experimentações. “Trouxemos as jams ao estúdio, além de ficar mais perto do punk, com influência de Amebix e Discharge”, afirma Padilha. “Experimentação tem que ter e fazer show igual todo dia é chato. Por isso desta vez usamos loopings e delays. Tentamos nos aproveitar ao máximo”, completa Paulo.

A música homônima ao EP, “Na Órbita do Medo” também estreia em formato lyric-video. Assista:

A concepção gráfica é de Padilha, com animação de Paulo. “Unimos as profissões dos dois para esta produção audiovisual, que recorre a emotions com caveira, símbolo da banda, e à cor verde, numa alusão à cannabis”, contam. Paulo é finalizador de vídeo e Padilha designer gráfico.

Mais informações:

 

Magnética: banda apresenta nome e conceito do novo EP

Magnetica - atual

O grupo Magnética lançou no início de 2018 o primeiro trabalho da carreira, o belíssimo disco, “Homo sapiens brasiliensis”, na época a banda tinha uma formação diferente da atual, que por motivos pessoais de alguns integrantes teve que se diluir, perdendo o vocalista que havia gravado o disco logo após o lançamento do mesmo.

O fundador e principal compositor da Magnética, Rafael Musa, não pensou duas vezes e assumiu os vocais do grupo, o mesmo também dividia partes das canções e tem um trabalho paralelo, no qual, ele é o vocalista principal. Tomada essa decisão, a banda, em menos de seis meses, começou a compor novas músicas e vem a público informar o lançamento, ainda para 2018, de um novo trabalho de estúdio, o EP “Frankenstein”, que atualmente está sendo trabalhado no “Under Studio” na cidade de Ribeirão Preto/SP.

“Frankeinstein” terá quatro faixas inéditas e será lançado inicialmente em formato digital, a banda informa que o processo está bem avançado e as músicas ganhando corpo. As músicas já foram gravadas e o processo de masterização está sendo feita pelo renomado produtor Rômulo Ramazini, também guitarrista e vocalista do Necrofobia.

O vocalista e guitarrista, Rafael Musa, explica o que criou para o EP “Frankenstein” e todo sentimento que ele irá carregar: É um álbum que expõe e critica fortemente o comportamento histórico humano em suas diversas ações cotidianas. De cara, Marcas, possível primeira faixa do álbum, retrata o homem como protagonista da própria destruição e responsável por diversas mazelas do mundo. É hora de mudar, antes que seja tarde. Frankenstein expõe a triste natureza humana contextualizada em comportamentos atuais. Sua fraqueza aliada às incertezas do mundo moderno transformam o homem em um ser meticuloso e cheio de interesses pessoais. Locomotivos retrata a violência física e sexual contra mulheres, crianças e adolescente. Traz dados estatísticos alarmantes que expõe está infeliz realidade brasileira. Por fim, a Jornada, cuja parte instrumental é de autoria do ex-membro da banda Elvio Trevizoni, apresenta o problema do homem moderno, escravo das consequências de suas próprias escolhas e, na maioria das vezes, não preparado psicologicamente para elas”.

Ainda não se sabe a data oficial de lançamento, porém, a banda revela que muito em breve estará liberando a arte oficial e o primeiro single para apreciação dos fãs do Rock enérgico e inteligente criado pela Magnética.

Formação:
Rafael Musa – (Guitarra/Vocal)
Kelson Palharini – (Guitarra)
Anderson Pavan – (Baixo)
Marcos Ribeiro – (Bateria)
 
Mais informações:

Into the Dust: avança com Doom Metal em novo EP cantado em português

abraxas.ITD

Puxado pelo single Peregrinação, lançado na primeira quinzena de maio, a banda de Doom Metal brasiliense Into the Dust, a ITD, acaba de lançar o seu segundo EP. As quatro faixas do registro, disponíveis nas principais plataformas de streaming via Abraxas Records, podem ser conferidas aqui: https://ONErpm.lnk.to/ITD.
 
O novo EP, sem nome, é um complemento natural do EP originalmente lançado em 2014 e disponibilizado ano passado pela Abraxas para streaming. É Doom cantado em português, por diversas vezes escatológico, mas também com duras críticas à avareza e mesquinharia que corrói o homem.
 
A faixa de abertura, “Escolhido”, é uma alegoria sobre o ser humano e sua função social no mundo. A seguinte, “Relíquias do Caos”, retrata Brasília, mais exatamente sobre a destruição moral dos políticos corruptos. Já “Era Sombria” é basicamente sobre egoísmo, emendada a um bônus, “Fraus”, que fala sobre misericórdia.
 
Apesar de Black Sabbath ser o principal norte da ITD, referências além Doom também pontuam este EP, que ora é arrastado, ora aposta no peso cadenciado. Para o baixista Sandro Santos, este novo material tem um aspecto de “volta às origens” da banda, ao mesmo tempo em que continua a incrementar a música com outras possibilidades sonoras. Entre algumas influências, Santos cita os norte-americanos do Eyehategod, lendário nome do Sludge/Doom Metal, na ativa há quase 30 anos, e que se apresentará pela primeira vez no Brasil nos dias 13 e 14 de outubro, no Abraxas Fest.
 
Completam o ITD Humberto (bateria), Nossat (guitarra/vocal) e Glauber (guitarra). O lançamento ao vivo do EP acontece dia 30 de junho, em Brasília, no Ragnarock Cultura Underground (Ceilândia). Para a ocasião, a Into the Dust convida quatro bandas: Soror, A Peste, Device e Lastro.
 
Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)

 

Suffocation Of Soul: adquira agora o EP “Macabre Sentence”!

Suffocation Of Soul 1.jpg

O novo álbum dos ‘thrashers’ do Suffocation Of Soul, “Macabre Sentence”, foi lançado recentemente e já pode ser adquirido ainda mais facilmente.

Após uma grande parceria entre a banda e a Sangue Frio Produções, o EP já poder ser encontrado na loja oficial da produtora (Sangue Frio Records), e pode ser comprado pelo valor de R$ 15,00 (+ frete, via Carta Registrada, PAC ou Sedex), acessando o link a seguir: http://bit.ly/SoS_MacabreSentence

Encontre-o também nas lojas listadas aqui: https://goo.gl/V3RZVp

Confira a faixa “Lifeinvader”, um dos destaques do atual EP:

“Macabre Sentence” é o quarto trabalho de estúdio da banda, e em breve poderá também poderá ser encontrado nas principais plataformas de streaming, junto ao debut álbum “The First Attack”, aguarde!

Em outras notícias, o Suffocation Of Soul confirmou sua segunda turnê na Europa, que será em suporte ao EP supracitado. Algumas datas já foram anunciadas, mas o grupo afirma que em breve estará divulgando o cartaz completo da “Macabre Sentence European Tour 2018”, veja os shows já confirmados aqui: https://sanguefrioproducoes.com/n/1407

Contato para shows: suffocation_of_soul@yahoo.com.br

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Links relacionados:
https://www.facebook.com/SuffocationOfSoul/
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/SUFFOCATIONOFSOUL/60

Beeguas: banda alia Rock Psicodélico à cultura caipira

Beeguas foto 1

Quarteto de Piracicaba (SP) divulga o EP Se Comunicando, o segundo da carreira

De Piracicaba, interior de São Paulo, a lisergia psicodélica encontra a força da tradição caipira na música do Beeguas, que lançou recentemente de forma independente o segundo EP da carreira, “Se Comunicando”, com letras em português e que abordam o cotidiano com uma pitada de ousadia e alucinação. Ouça aqui: https://ONErpm.lnk.to/Beeguas.

Em questão de 12 minutos de “Se Comunicando”, o Beeguas apresenta cinco músicas com riffs certeiros e repleto de efeitos, encorpados por batidas fortes e um vocal envolvente, com uma rouquidão peculiar. A aura do rock sessentista e setentista está também bem marcante neste álbum. Nirvana, Mutantes e David Bowie são algumas referências.

Quem faz o Beeguas é Daniel Lemos (vocal), Victor Miguel (baixo), Maurício Fray (guitarra) e Lucas Campos (bateria), que experimentam música como banda desde 2016 e ano passado lançaram o EP “Corvos Marinhos”com músicas mais viscerais, pesadas do que “Se Comunicando”.

Beeguas cover

O que se propõe, afirma o baixista Victor, é a junção de diversos estilos e sensações. “O Beeguas é a fuga da realidade, um universo paralelo ideal, o encontro de amigos no fim da tarde para um café quentinho. Também é conforto, o bolinho de chuva, uma realização pessoal, e o Do it Yourself faça você mesmo”.

A ideologia do Faça Você Mesmo pauta, mesmo, este início de carreira do Beeguas. Os integrantes são responsáveis pelas artes, letras, composições, mixagens e toda produção dos EPs. O batismo do nome também é uma clara manifestação do DIY. Beeguas deriva dos pássaros Biguás, que habitam as margens do famoso e poético rio Piracicaba, que corta a cidade e diz muito sobre o ser piracicabano.  “A pamonha, o rio e as capivaras sempre fizeram parte da imagem da cidade, nós queríamos relembrar os biguás”, conta Victor.

Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)

 

Escombro: banda lança ‘Eutanásia Social’ na próxima semana

Escombro-2

EP do quarteto paulistano contém o single “Entre Lobos” e mais quatro inéditas

O aguardado novo EP do quarteto paulistano de Hardcore Escombro, que sai pela Artico Music, já tem data para ser lançado. No dia 18 de maio, na próxima semana, o disco estará disponível nas principais plataformas de streaming. Em seguida, a própria banda vai lançar a versão física, em CD.

Intitulado “Eutanásia Social”, o EP contém cinco músicas, entre elas a recém lançada “Entre Lobos”. As outras quatro, inéditas, seguem o cadência e peso do single, tipicamente Hardcore e, ao mesmo tempo, com autênticas linhas instrumentais intensas e vocais agressivos, tão características do Escombro desde o início de carreira. O registro ainda conta com duas participações especiais, que serão reveladas no dia do lançamento.

Junto ao novo EP, a Artico Music e a Escombro lançam uma camiseta de manga longa edição limitada com a arte do single “Entre Lobos”, em pré-venda pelo site do selo – https://www.articoshop.com.br – até 20 de maio.

escombro camiseta

A banda – Uma das formações mais robustas e ácidas do estilo dentro da cena nacional, o Escombro foi formado em 2015 e preza pelas letras em português que abordam temas sociais, além do peso que remete ao Hardcore consagrado por Madball e Terror, ao mesmo tempo em que conversa com a proposta da nacional Oitão (o vocalista Henrique Fogaça é amigo da banda). 
 
Para o primeiro trabalho em parceria da Artico Music, o Escombro gravou o sucessor do elogiado álbum homônimo (julho/2017) no estúdio Dual Noise (o mesmo utilizado pela Paura no “Slowly Dying of Survival”, de 2017) e o resultado é nada menos do que um colossal hardcore, direto e reto, que convoca o ouvinte ao moshpit. 

Links relacionados:

Ladrão: lança EP Demo Cracia pela Monstro Discos nesta sexta, 13

Ladrão

Logo tem material novo do Ladrão na área! O EP Demo Cracia será lançado nesta sexta-feira, 13 de abril, pela Monstro Discos nas principais plataformas de streaming. Ao vivo, o trio de Juiz de Fora – radicado no Rio de Janeiro – divulga as novas músicas na mesma sexta no palco do Ganjah Lapa.

Demo Cracia contém cinco faixas, que de acordo com a banda, dão continuidade ao trabalho que tornou o grupo um dos mais respeitados no atual cenário carioca. O EP foi gravado no Estudio Cantos do Trilho, em Santa Tereza, com mixagem e masterização a cargo de Pedro Garcia (Planet Hemp).

“O EP representa um passo à frente em relação ao potente crossover de Rock, Funk, Groove e Mangue Beat”, destaca o release do Ladrão, formado por Daniel Vitarelli (bateria/vocal), Formigão (baixo) e Farrah Sento Sé (guitarra).

Como de praxe, as letras tratam do cotidiano aloprado em grandes centros urbanos e da conturbada situação sócio-política do país.

Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)

DamageWar: assista ao lyric video para a faixa-título de ‘Dead Skin Devourer’

damagewar_deadskin

Já está online o primeiro vídeo retirado do no EP do DamageWar, “Dead Skin Devourer”, que acaba de ser lançado para download gratuito.

Trata-se da faixa que dá título ao trabalho, “Dead Skin Devourer”, e o trabalho é um lyric vídeo. O belíssimo trabalho de edição do material ficou nas mãos de Marcello Kaskadura (www.facebook.com/kaskadura). Assista:

Facebook: https://www.facebook.com/damagewar/videos/995618430579222/

YouTube:

O EP foi registrado no home estúdio da banda e no Flight Estúdio, a mixagem e masterização ficaram a cargo de Rogério Oliveira do mesmo Flight Estúdio. A capa é uma arte de Tiago Medeiros.

“Dead Skin Devourer” conta com duas participações especiais: Kleber Hora guitarrista da banda Gestos Grosseiros solando em “God of Chaos” e Diego Nogueira Sábio, vocalista da banda Anthares, cantando a faixa “Necrozumbí”.

Para baixar, clique: http://bit.ly/2Bn6Z06

Contato: damagewaroficial@gmail.com

Links relacionados:
www.facebook.com/damagewar
www.metalmedia.com.br/damagewar

Threesome: lança novo EP, “Keep On Naked”

Threesome_Keep On Naked

Formada em 2012 em Campinas/SP, a Threesome é um quinteto de música autoral esteticamente influenciada pelo rock dos anos 60 e 70 e com referências de outros segmentos como o blues, jazz e o indie.

Inerentemente maliciosas, as letras das músicas do Threesome discorrem geralmente sobre as relações humanas pela perspectiva de experiências sexuais, monogâmicas ou não. Mais do que contar histórias clichês, a Threesome quer provocar, romper barreiras impostas pelo preconceito e por setores opressores da sociedade, promovendo a livre reflexão sobre um dos temas centrais dos estudos de Sigmund Freud.

“Get Naked” é o título do álbum de estreia do Threesome lançado em 2014. O disco reúne 11 faixas e está integralmente disponível online através das principais rádios e aplicativos.

Três anos após o lançamento do debute, Juh e Fred Leidl, Bruno Manfrinato, Bob Rocha e Henrique Matos decidiram colocar o álbum sob nova perspectiva, motivados pelo desligamento do antigo vocalista e por novas possibilidades no processo de produção.

O resultado foi o EP “Keep On Naked” que traz regravações de duas músicas do disco de estreia, “Every Real Woman” – agora “ERW” – e “Why Are You So Angry?” – rebatizada como “Sweet Anger” -, além de uma faixa inédita chamada “My Eyes”.

“Este trabalho veio da necessidade que tínhamos de mudar e melhorar algumas coisas em relação ao álbum de estreia”, explica o baterista Henrique Matos. “Get Naked foi concebido em nosso home studio, então tanto em relação à qualidade de gravação ou quanto à própria composição e arranjos, achamos que poderíamos fazer melhor. Com a saída do Bruno Baptista da banda, a Juh Leidl assumiu as vozes principais de algumas músicas e isso causou uma necessidade natural de mudar as linhas vocais, caso da “Every Real Woman”, que agora adquiriu um tom mais provocativo ainda, registrado na nova “ERW”. “Why Are You So Angry” mudou completamente, é outra música, apesar de ter mantido a letra original, mas nem consideramos como regravação, ela se tornou uma das músicas mais fortes e pesadas da banda, agora chamada “Sweet Anger”. Já “My Eyes” é totalmente inédita e nela decidimos usar o vocal agressivo e doido do Fred Leidl, e o resultado foi excelente”.

Se “Get Naked” foi concebido a partir de uma estética artesanal, para “Keep On Naked” o Threesome buscou um caminho absolutamente inverso. Captação, mixagem e masterização levam a assinatura de ninguém menos que Maurício Cajueiro, renomado produtor brasileiro que já trabalhou com alguns dos nomes mais relevantes do mundo como Linkin Park, Steve Vai, Glenn Hughes, Gene Simmons, Stephen Stills, entre outros. Todo o processo aconteceu no estúdio Cajueiro em Campinas e a banda gravou as músicas ao vivo direto na fita de rolo.

“Sempre quisemos gravar de forma analógica”, acrescenta Henrique. “Alcançamos o resultado esperado e, de fato, ficou diferente em relação a uma gravação digital. A performance ficou muito natural, e a fita casa melhor todas as frequências, tudo soa mais orgânico, parece que todos os instrumentos têm o seu espaço sem conflitar. É um deleite.”

“Keep On Naked” já está disponível para audição streaming e download nas principais plataformas digitais: