Növa: banda piauiense comemora 15 anos! Veja registros do show no Palácio da Música…

Növa - Foto de Diego Iglesias (1)

Növa é um quarteto de Rock Alternativo formado por Rubens Lerneh e João José em 2004 no cidade de Teresina, capital do Piauí. A banda mistura o barulho das guitarras cheias de noise com a melodia de canções em inglês, bebendo na fonte do guitar rock tão presente no indie brasileiro daquela época, com pitadas de shoegaze. Logo na primeira demo lançada no mesmo ano da formação do projeto, a canção “Surfhoney” figurou de forma despretensiosa em uma coletânea do selo potiguar Solaris Records.

Desde então, o grupo tocou nos principais eventos de Teresina e parte do nordeste do Brasil. Alternando pouco na formação, a Növa lançou quatros trabalhos entre EPs, demos e álbum. São eles: o EP “Al Dente” (2008), um “SMD Növa” em 2013, o EP “Keep The Tracks” (2018). Em 2019 a banda soltou o single “Symetry”, que foi bem recebido pelo público local.

No final de 2019, a banda comemorou 15 anos de vida se apresentando no projeto Terça Maior, evento da prefeitura de Teresina e que acontece no Palácio da Música. Desta apresentação, o grupo lançou o álbum “Ao Vivo no Palácio da Música” no mês de janeiro deste ano. Com 10 faixas, a apresentação passeia por toda a história da Növa, além de apresentar algumas canções inéditas.

Você pode ouvir o álbum ao vivo nos streamings, clicando no link e escolhendo seu player favorito: https://sl.onerpm.com/9283694042

Agora, o quarteto solta três vídeos. O primeiro com uma música da primeira demo da banda, de 2004. Os outros dois com canções ainda não gravadas em estúdio, apresentadas em primeira mão neste registro ao vivo no Palácio da Música. Os vídeos foram gravados e editados por Cleiton Santos (@eumudo). O áudio foi gravado pela equipe técnica do Palácio da Música e mixado e masterizado no Dombily Records. Rubens, guitarrista e frontman da banda, fala um pouco das canções dos vídeos, confira:

“The Real Life” foi uma das primeiras composições da banda. Está na primeira demo e foi escolhida para ganhar uma nova roupagem nesse show de 15 anos.

“Dracula’s Song” é uma música nova. Já tínhamos todo conceito dela, como o riff do início e o uso de uma afinação diferente. Mas nunca chegamos a um formato definitivo. Com a chegada da Raylanne na banda, ela ganhou corpo com as ideias para a segunda guitarra, e o solo no final.

“Abstinence” é novíssima! Ela nunca havia sido ensaiada antes. Foi uma das últimas a entrar no set. Achamos que ela ficou uma música “forte” e perfeita para encerrar o show.

Para esse ano de 2020, a banda pretende lançar um novo álbum, com seis versões de estúdio de faixas presentes neste registro ao vivo, mais quatro canções inéditas. Eles também estão na coletânea “Snoozing All This Time”, com a música “Bubblegum Voice”, do grupo alagoano Snooze.

A Növa atualmente é formada por Rubens Lerneh (guitarra e voz), Fernando Castelo Branco (baixo), Raylanne Leal (guitarra) e Lucas Di Matos (bateria). Quinze anos se passaram e a banda segue entortando as guitarras com muito fuzz e noise!

Conheça a discografia da banda: https://noovaband.bandcamp.com/

Instagram: @noovanoise

contato: noovaband@gmail.com

 

Explain Away: grupo fecha com selo e anuncia lançamento de disco

Explain Away

Power-trio acaba de assinar com a Electric Funeral Records

Trio formado em 2014, mistura Punk, Grunge e Alternativo dos anos 90 com uma pegada própria e visceral. Letras realistas e reflexivas sobre as consequências do nada fácil cotidiano das grandes cidades e saúde mental, com um instrumental agressivo que correspondem aos temas tratados.
 
A banda lança o disco de estúdio intitulado, “Collective Loneliness”, com 9 faixas que demonstram isso do começo ao fim, e apresentações potentes e altas, resgatam o espírito do bom e velho underground independente com uma equação diferenciada de boas referências em cada acorde.
 
O lançamento do disco está previsto para o dia 6 de abril em todas as plataformas digitais via Electric Funeral Records.
 
Mais informações:
Phone: +55 21 996292220

Nothing But Sunshine: grupo lança um novo single do seu álbum de estréia

zw-HaBwg

Preparando-se para lançar seu álbum de estréia, a Nothing But Sunshine, de Helsinque, na Finlândia, acaba de lançar seu novo single “Parade”. Nothing But Sunshine é uma banda de sintetizador que tem raízes em Helsinque e Toronto, com membros de grupos alternativos finlandeses como Murmansk.

“Parade é uma das nossas primeiras músicas, e trabalhar nela foi realmente uma das coisas que deu início a toda a banda. No entanto, a música encontrou sua forma final apenas recentemente, bem a tempo deste lançamento. A música fala sobre tolerar incertezas, sobre como isso pode ser intolerável e sobre a ingênua sensação de liberdade que a imaginação pode, na melhor das hipóteses, proporcionar a você ”, descreve o vocalista e guitarrista Jaakko Suni.

Ouça o single “Parade” pelo streaming:
Spotify: https://spoti.fi/2J7TUe9
Apple Music: https://apple.co/2WnKGlN
Youtube: https://youtu.be/mAspVcPHHto
Amazon Music: https://amzn.to/2QrFsl3
Deezer: https://www.deezer.com/en/album/135633052
Tidal: https://listen.tidal.com/album/133891539

“Parade” prenuncia o lançamento do álbum de estréia da banda, ainda em 2020. Embora Nothing But Sunshine seja uma banda relativamente nova, seus lançamentos até agora levaram a turnês em vários países e a tocar a maioria de seus shows fora da Finlândia. Além de terminar o próximo álbum, durante o último ano a banda se apresentou na Rússia, nos países bálticos e, mais recentemente na Índia, no Saarang World Festival em janeiro de 2020. O lançamento de “Parade” foi precedido pelo single “Color In A Nightmare” e o EP “White Lies”.

“Parade” foi mixado por Mikko Gordon, conhecido por seu trabalho com Thom Yorke, Gaz Coombes, Pete Townshend e vários outros artistas. O single é lançado pela Secret Entertainment.

Nothing But Sunshine é formado por:
Jaakko Suni – Vocal/Guitarra
Kalle Pekkala – Guitarra
Jari Käkelä – Guitarra
Kalle Keski-Orvola – Baixo
Dylan Broda – Bateria
 
Mais informações:

Explain Away: grupo celebra o amor em single e fortalece a causa animal em clipe

explain

Marcando a nova fase do power-trio, o Explain Away lança o single e clipe da faixa “Cause We”, mostrando um caminho de composição, melodia e reflexão diferentes da intensidade e distorções do último material lançado, o disco “Collective Loneliness”.
 
A faixa trata de uma fraternal ao sentimento de estar lá para quem é importante e quem se importa reciprocamente, independente das condições mais adversas que a vida arma pelo caminho, especialmente em dias difíceis como os que temos vivido ultimamente. Um triunfo do amor incondicional sobre a desesperança.
 
A banda assina a co-produção do single, juntamente com Billy Comodoro na gravação, mixagem e masterização.   

O videoclipe da banda foi gravado em parceria com a ONG Aliança com a Vida, onde o grupo foca na adoção de animais, que são a fonte mais pura de amor incondicional que existe. O objetivo da peça audiovisual é mostrar não só o amor ao próximo, mas também com intuito de fortalecer a causa animal, trazendo relevância para esta causa e ajudar a ONG da melhor maneira possível.

Assista ao videoclipe de “Cause We”:

Confira “Cause We” pelo Spotify: 

https://spoti.fi/3cXR3C8

O grupo que foi formado em 2014, mistura Punk, Grunge e Alternativo dos anos 90 com uma pegada própria e visceral. Letras realistas e reflexivas sobre as consequências do nada fácil cotidiano das grandes cidades e saúde mental, com um instrumental agressivo que correspondem aos temas tratados. Lançaram seu primeiro trabalho de estúdio no final de 2017, intitulado “Collective Loneliness”, com 9 faixas que demonstram isso do começo ao fim, e apresentações potentes e altas, resgatam o espírito do bom e velho underground independente com uma equação diferenciada de boas referências em cada acorde. 
 
Explain Away é formado por:
Eduardo Sabaté – Vocal/Guitarra
Antonio Cattuzzo – Voz/Baixo
André Prates – Bateria
 
Mais informações:

 

 

Autoclismo: a loucura, o profano e a ruína econômica e social são o fio condutor de “Page”, primeiro clipe do trio instrumental piauiense.

Autoclismo

O Autoclismo é um trio instrumental formado em Teresina no ano de 2018 por Lucas Barbosa (guitarra), Fernando Castelo Branco (baixo) e Jarrel Santos (bateria), com influência de Rock Alternativo, Hardcore e nuances experimentais. A banda já lançou três registros online, o “Autobootleg” e a “Autojam” (ambos de 2018) e o EP “Apocrita” (2019), com duas faixas gravadas no Orange Estúdio e disponível nos streamings.

A loucura, o profano e a ruína econômica-social são o fio condutor de “Page”, faixa inédita escolhida para o primeiro videoclipe do projeto piauiense. As imagens foram gravadas nas ruínas da sede e capela do antigo sanatório Meduna, onde durante três décadas habitaram loucos e pessoas “socialmente indesejáveis”. Falido e decadente, o sanatório foi vendido a um conglomerado imobiliário para construção de um shopping.

Assista ao videoclipe de “Page” no youtube da banda:

“Page” tem roteiro, produção, edição e colorização de André Leão (@geminiagencia) e foi
gravado em Teresina no final de janeiro de 2020.

“Page” também pode ser ouvida em todos os serviços de streaming!

Autoclismo é formado por:
Lucas Barbosa – Guitarra
Fernando Castelo Branco – Baixo
Jarrel Santos – Bateria
 
Mais informações:

Yamasasi: grupo destila Noise, Surf Rock e Alternativo noventista no primeiro álbum, “Colorblind”

Yamasasi

Quarteto lança sucessor do EP “Hungry/Pace”, que levou a banda a festivais pelo país

Após circular por festivais como Bananada (Goiânia), Locomotiva (Piracicaba) e Do Sol (Natal) com seu  EP de estreia, “Hungry/Pace”, o quarteto Yamasasi amadurece sua sonoridade inspirada pelo noise e Surf Rock em seu primeiro álbum cheio. “Colorblind” reúne 10 faixas que refletem sobre distâncias, frustrações, isolamento e questões existenciais sobre as dores de crescer. O trabalho já está disponível para audição e download nas principais plataformas de streaming e lojas de música online.

Ouça “Colorblind”: http://smarturl.it/ColorblindAlbum

Fundada em 2017 na cidade de Piracicaba (SP), Yamasasi é formada por João Pedro Matos (voz e baixo), João Fernando Vieira (guitarra), Benetton (guitarra) e Gustavo Ferrari (bateria). O projeto surgiu de modo descompromissado pensando em criar letras e riffs fáceis e diretos. O nome da banda, único, também traz esse espírito no DNA. Yamasasi é uma palavra inventada compartilhada com Matos por um amigo venezuelano. Os jovens inserem o termo nas conversas onde gostariam de incluir um palavrão, do tipo “do caramba” e “hell yeah”. Mais que a ideia por trás da palavra, Yamasasi soava também com um nome de banda.

Com o EP “Hungry/Pace”, eles mostraram o primeiro gostinho de seu Rock de inspiração noventista, bebendo de fontes como o Emo,  o Alternativo, o Garage e o Punk sob influências que vão de Wavves e Bass Drum of Death a Best Coast, Fidlar e The Growlers.

Ouça o EP “Hungry/Pace”: https://youtu.be/gIZHXXc0N28

Assista ao clipe “Pace”:

Assista ao clipe “Hungry”:

As canções já traziam uma mescla de arranjos enérgicos e letras repletas de angústia jovem que viria a ser ampliada em “Colorblind”. “Pode se dizer que o álbum está bem mais complexo que o EP ‘Hungry/Pace’. As músicas do primeiro EP são muito mais simples em termos de sonoridade, devido às novas influências que adquirimos ao longo da caminhada da banda. Nosso interesse por Math Rock acabou fazendo com que incluíssemos mudanças rítmicas típicas desse estilo em algumas faixas do disco, sem perder a pegada suja do Garage Rock e Surf Punk”, reflete o baixista e vocalista João Pedro Matos.

“Colorblind” foi antecipado com o single “Pancho”, uma canção dedicada aos questionamentos sobre como a vida seria caso fossem tomadas decisões diferentes. O pensamento sobre outras possibilidades também norteia “Tell Me What To Do”, faixa inspirada pela série Girlboss que imagina uma tentativa de recuperar um relacionamento após uma traição. As aparências superficiais dão o tom de “Breathe In/Out”, cuja letra reflete sobre mascarar os problemas e usar a diversão como escape. Outras temáticas sobre amadurecimento, como o ócio (“Lost Boy”), despedidas (“Song #1’’) e fracassos (“Clever”) permeiam todo o disco.

Além das letras, todas compostas por João Fernando Vieira (Magrão) e João Pedro Matos (JP), Yamasasi assina coletivamente os arranjos de “Colorblind”. O álbum foi gravado por Franco Torrezan no Casarão Music Studio, mixado e masterizado por Torrezan e Fabiano Benetton e já está disponível em todas as principais plataformas.

yamasasi-colorblind

 

Faixa-a-faixa, por João Pedro Matos:
 
Song #1:
A música que abre o álbum foi a primeira da banda a ser escrita, foi no início de 2017 pelo Magrão. Ele me mandou logo depois de me perguntar se eu sabia como escrever uma letra de noise/surf rock, e já tinha essa praticamente pronta. Segundo ele, é sobre deixar de gostar de alguém.
 
Breathe In/Out:
Essa é a mais nova, eu escrevi ano passado, mas só começamos a trabalhar nela depois de ter gravado todas as outras. É basicamente sobre o hábito de descontar as frustrações da vida amorosa/social/profissional no álcool, esconder seus problemas dos amigos e sair pra se sentir melhor.
 
Clever:
Essa foi a primeira que eu escrevi. Em 2016 tinha acabado de me mudar de Manaus, onde morava com meu pai, e não tinha muitos amigos até conhecer os meninos da banda e uma galera muito massa que vai sempre morar no meu coração (awn). No ano seguinte muitos deles foram fazer faculdade em outras cidades, começaram a trabalhar e tal, enquanto eu lidava com a frustração de não ter passado na faculdade e a sensação de todo o resto da minha vida estar dando errado. É sobre estar cansado de fracassar.
 
Pancho:
Eu passo bastante tempo pensando nas coisas que eu poderia ter feito ou deixado de fazer e como minha vida poderia estar melhor do que está agora se as tivesse feito… ou não feito. Também tenho saudade de ser criança e não ter nenhuma preocupação. Quem não tem, né?
 
Miles Away:
Minha ex-namorada estava no México, a gente já tinha terminado mas tava com saudade e tesão acumulado.
 
Tell Me What To Do:
Assistindo uma série de TV (Girlboss, perdoa o spoiler) eu pensei no que eu escreveria se eu tivesse traído alguém e quisesse a pessoa de volta. Se eu fosse a pessoa, não voltava, a letra não me convenceria muito, mas fiquei satisfeito com o resultado da música.
 
Cigarro:
A gente gosta muito de fumar cigarro.
 
Lost Boy:
Foi uma das primeiras a serem escritas também. Em 2017 era mais comum o Magrão me chamar pra ir na casa dele em dias de ócio pra tentar escrever, e essa foi uma das melhores composições nossas, eu acho. É um retrato do adolescente perdido que gasta maior parte do seu dinheiro em bebida e cigarro e não faz ideia do que fazer/pra onde ir.
 
Socks:
Numa dessas tardes ociosas eu levei esse refrão e fomos
escrevendo o resto juntos. É sobre esse cara que teve uma transa muito boa e ficou apaixonadinho, não que realmente tenha acontecido.
 
She Screams:
A gente juntou um verso do Magrão com um refrão meu
e ficou assim. Até dá pra tentar imaginar alguma relação entre as duas partes, só não foi proposital. Mas soa bem, é o que importa.
 
Mais informações:

Rocket Bugs: grupo lança disco de inéditas cheio de influências do Rock Alternativo noventista

rocket

Full álbum é distribuído via Dinamite Records

O power trio formado em São Paulo, por Rodrigo Leite(Guitarra/Voz), Bruno Costa (Baixo/Voz) e Gilson Ramos (Bateria),  apresentam nesse novo trabalho vocais melódicos, guitarras sujas e uma pitada de anos 90 com muitos backing vocals a la The Vines, marcando o retorno do Rocket Bugs, um trio que carrega influências da cena alternativa americana dos anos 90 de bandas como Pixies, Sonic Youth, Pavement e Yo La Tengo.
 
A banda acaba de lançar via Dinamite Records um full álbum de inéditas, contendo 11 faixas cheias de influências do Rock Alternativo noventista.

Visualização da imagem

Totalmente DIY, as baterias e vozes foram captadas no estúdio Gelatina Trêmula, enquanto baixo e guitarra foram gravadas em casa pelo vocalista Rodrigo Leite, responsável também pelo processo de mixagem e masterização. 
 
Confira aqui “Seat Belts On”:

 

Mais informações: