Crappy Jazz: banda anuncia lançamento do disco de estreia

Crappy Jazz

Capa do primeiro álbum do duo de Rock Noise de Londrina será assinada por Jesse Draxler, que já fez artes para Kendrick Lammar e Deafheaven

“Véspera” é o título do primeiro álbum do duo de Noise Rock Crappy Jazz, com lançamento confirmado para o dia 26 de julho nas principais plataformas de streaming. A distribuição digital será via Tratore.

São 11 músicas, entre elas a recém lançada “Subitamente”, e “Zero”, divulgada em 2017. Yuri Muller (bateria, vocal, percussão e piano) e Silva Leonel (baixo, backing vocal, percussão e ruídos) mostram em “Véspera” a mesma liberdade criativa dos singles, sempre com muito groove, explorando desde sonoridade pesadas com elementos do Metal e do Hardcore, até brasilidades. Nação Zumbi, Sepultura e System of a Down são possíveis referências.

O título “Véspera, de acordo com o duo, tem a ver com expectativas e esperas, várias letras do disco falam um pouco disso, e é um nome que remete tanto ao futuro, quanto ao passado, como lembrar a véspera de algum acontecimento importante ou, ainda, a espera de algo que está pra acontecer.

O álbum, produzido por Yuri, foi gravado e mixado no Pai Muller Studio, em Cambé (Paraná) entre 2017 e 2018. Já a masterização ficou por conta de Chris Hanzsek, no Hanzsek Audio (EUA), o responsável por trabalhos com Melvins, Soundgarden e Far From Alaska.

A capa de “Véspera também é assinada por um artista gringo, Jesse Draxler, quem tem artes para o rapper hype Kendrick Lammar e com a banda Deafheaven.

“Subitamente”, o quarto videoclipe do Crappy Jazz, foi lançado em abril deste ano. Confira:

Do groove das linhas de baixo à batida forte e quebrada da bateria, o Crappy Jazz mostra em “Subitamente” que a criatividade é a base do trabalho.

O videoclipe foi produzido pela própria banda, em conjunto do filmmaker Vitor Ueno.

Mais informações:
(19) 99616-2999
Anúncios

Psilocibina: banda lança vídeo ao vivo da música “LSD”

Psilocibina

Registro audiovisual é apresentado pela produtora Útero após uma live session no Estúdio Mata, em Niterói

Prestes a lançar o primeiro álbum, que será  prensado em vinil pelo selo alemão Electric Magic, em parceria com a Abraxas Records, o power trio de música psicodélica Psilocibina apresentou “LSD” na segunda edição do Sessões Mata. A live, que conta com a participação especial da performer Cexe e de José Vitor do Santos na percussão, pode ser conferida aqui:

Uma das primeiras composições da banda, “LSD” intercala passagens aceleradas e grooves derretidos, preenchida com solos de guitarra complexos e riffs marcantes. Neste registro, é possível perceber em detalhes como a Psilocibina dilui e experimenta a psicodelia, tanto no Rock como no Jazz, com direta influência dos ritmos tradicionais brasileiros. Além de “LSD”, outras duas faixas inéditas da Psilocibina, também capturadas ao vivo no Sessões Mata, serão lançadas nas próximas semanas, “Galho Pt. 1” e “Galho Pt.2”.

O Sessões Mata é uma parceria entre o Estúdio Mata e a produtora audiovisual Útero. Localizado no bucólico bairro de São Francisco, em Niterói(RJ), o espaço idealizado pelo produtor musical Matheus Ullmann funciona como um polo criativo e é cenário de diversas manifestações artísticas.

Neste contexto, o Sessões surgiu como um projeto colaborativo para integrar os habitantes desse espaço, criando uma série de vídeos de shows ao vivo dentro do próprio estúdio com um pequeno público. A ideia é reinventar o espaço a cada edição: com cenografia, iluminação, participações especiais e toda a magia de uma sessão ao vivo.

Mais informações:

Cordillera: dialoga com o enigmático e o abstrato em “Ruptura”

cordillera_002

Disco de estreia tem oito faixas autorais embaladas em sonoridades progressivas entre o Rock e o Metal

“Ruptura” é o debut do Cordillera. A banda de Campinas apresenta oito faixas autorais embaladas num Rock Progressivo marcado pelo contraste entre o refinamento de ambientações atmosféricas e a intensidade do Rock e do Metal, presente na forte carga dramática das canções. O registro ainda tem momentos viscerais de peso e crueza, cuja estética passa pelo abstrato e pelo enigmático. Ouça “Ruptura” nas principais plataformas de streaming: https://ONErpm.lnk.to/Cordillera.

Formado por Victor Oliveira (vocal), Raphael Moretti (guitarra), Pedro Ghoneim (baixo), Tarcísio Barsalini (guitarra) e Matheus Vazquez (bateria), o Cordillera evidencia em “Ruptura” os distintos backgrounds musicais de seus integrantes e a fusão de gêneros que criou a experiência sonora contrastante do álbum. As influências abrangem o Rock Progressivo clássico do Pink Floyd, o Prog contemporâneo de Pain of Salvation e de Steven Wilson e o Rock dos anos 90 de bandas como Soundgarden e Alice in Chains.

O nome do álbum de estreia, no entanto, não se refere somente à fusão de gêneros apresentada, mas também à quebra de expectativa sobre a própria construção musical e ao rompimento com tendências de cenários já conhecidas. “Ruptura” foi criado para transcender – romper com o que está. Isso acontece tanto na sonoridade quanto no mindset do Cordillera, que planejou e criou toda uma estrutura para produzir o material.

O processo de pré-produção do álbum, que foi gravado no estúdio Family Mob, em São Paulo, durou um ano e foi feito pela própria banda, de forma independente. Cada etapa foi cuidadosamente elaborada e trabalhada com dedicação e comprometimento para marcar o público com um som que encante pela sua construção, sensibilidade e contemporaneidade.

Cordilera - Ruptura (capa)

Videoclipe de “Noumenon” – A fusão do Rock Progressivo clássico à estética contemporâneo do gênero pauta a sonoridade do quinteto Cordillera, de Campinas (SP). Do minimalismo ao punch da guitarra, a proposta sóbria e técnica da banda pode ser conferida na música “Noumenon”, que também foi lançada em formato videoclipe. Confira:

O clipe de “Noumenon”, música que também está disponível em streaming no Spotify junto ao single “On the Top of the Wall”, foi escrito, produzido e dirigido pela produtora Muto.

Assim como a proposta sonora do Cordillera, o vídeo tem referências à arte abstrata, com muitas texturas e que dialoga constantemente com o enigmático, seja pelo andamento musical como pelas imagens. Pink Floyd, Porcupine Tree e Pain of Salvation são algumas referências ao trabalho único e criativo da banda.

Cordillera – Formada por músicos profissionais que se conheceram no meio acadêmico, a banda foi criada por Victor Oliveira e Raphael Moretti em 2013. Dois anos depois, a proposta musical original foi transformada com o ingresso de Pedro Ghoneim, Matheus Vazquez e Tarcísio Barsalini. Com novos integrantes e múltiplos talentos, o Cordillera estava pronto para compor e produzir um álbum de estreia marcante que transcendesse a percepção do ouvinte. Esse é Ruptura.

Links relacionados:

 

Machado de Einstein: banda prepara clipe para música “Won’t You” em Santa Catarina

Machado de Einstein

Machado de Einstein prepara clipe para música “Won’t You” em Santa Catarina

A banda Machado de Einstein lançou no primeiro semestre mais um álbum de inéditas, “Novo Rumo”, o destaque do novo álbum ficou para a distribuição (gratuita) que aconteceu no festival pernambucano, Abril pró Rock no Recife (PE).

Paralelo ao lançamento o grupo participou recentemente da primeira edição do treinamento “Gravando Bandas – Produção Audiovisual de Videoclipes” dirigida pelo renomado produtor, Derick Borba, com a realização da produtora ODM Music em Itajaí – Santa Catarina.

E o que resultou nesse curso foi um clipe inédito para a faixa “Won’t You” gravado num ambiente inusitado que tem tudo haver com a letra da canção da Machado de Einstein. “É uma crítica reflexiva, uma referência aos discursos internos do ser humano, acho que encontramos o clima e local ideal pra passar essa ideia.” garante o líder e vocalista da banda, Daniel Siebert.

O clipe está em fase final de edição e a banda promete disponibilizar em breve nas redes sociais e em seu canal oficial no You Tube.

O disco “Novo Rumo” pode ser conferido através do link:

 

O álbum também pode ser adquirido de forma física. Para ter uma cópia, basta entrar em contato direto com a banda, pelo endereço: https://m.facebook.com/machadodeeinstein/

Formação:
Daniel Siebert – (Vocal/Guitarra)
Edgar Gomes de Souza – (Guitarra)
Rodolfo Moura – (Baixo)
Henrique Lopes – (Bateria)
 
Links relacionados:

 

Mayaen: banda vai do Stoner ao Alternativo no EP de estreia

Mayaen onerpm

Nova banda da Abraxas Records reúne integrantes da Lively Watter e do Stone House on Fire

Fábio Mazzeu (guitarra e vocais, Lively Watter) e André Leal (bateria, Stone House on Fire e Carbo) resgatam a verve noventista da fase áurea de Monter Magnet, Fu Manchu, Soundgarden e Alice in Chains ao longo das seis músicas de “Mudlord”, o EP de estreia do duo Mayaen que chega às principais plataformas de streaming pela Abraxas Records. Ouça aqui: https://ONErpm.lnk.to/Mayaen.

Gravado no estúdio Jukebox, em Volta Redonda (Rio de Janeiro), o registro é essencialmente stoner, mas com nuances de rock alternativo. A mistura é sentida nos riffs arenosos, nos vocais graves e energéticos, embalados pela bateria e refrãos marcantes. O próprio duo assina todas as músicas, enquanto a produção do EP teve a colaboração de Kleber Mariano.

O Mayaen, formado neste ano, é a válvula de escape de Mazzeu e Leal, criado para experimentar ideias, sonoridades e revigorar a amizade de longa data. A única regra aqui, explica o duo, é compor com o mínimo de recursos, uma proposital – e bem-sucedida – back to basics. Enquanto Mazzeu é ligado a bandas com propostas mais modernas, apegado ao hype, Leal é quem enaltece e mantém vivo o clássico. “A ideia é misturar tudo”, contam.

Com o EP lançado, o duo cai na estrada a partir de julho em uma mini turnê com datas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e pelo Sul do país. Quando o nome Mayaen aparecer no bar mais próximo, não dê bobeira, compareça e receba uma dose cavalar de Rock chapado de altíssimo nível.

Mais informações:

Magnética: banda apresenta nome e conceito do novo EP

Magnetica - atual

O grupo Magnética lançou no início de 2018 o primeiro trabalho da carreira, o belíssimo disco, “Homo sapiens brasiliensis”, na época a banda tinha uma formação diferente da atual, que por motivos pessoais de alguns integrantes teve que se diluir, perdendo o vocalista que havia gravado o disco logo após o lançamento do mesmo.

O fundador e principal compositor da Magnética, Rafael Musa, não pensou duas vezes e assumiu os vocais do grupo, o mesmo também dividia partes das canções e tem um trabalho paralelo, no qual, ele é o vocalista principal. Tomada essa decisão, a banda, em menos de seis meses, começou a compor novas músicas e vem a público informar o lançamento, ainda para 2018, de um novo trabalho de estúdio, o EP “Frankenstein”, que atualmente está sendo trabalhado no “Under Studio” na cidade de Ribeirão Preto/SP.

“Frankeinstein” terá quatro faixas inéditas e será lançado inicialmente em formato digital, a banda informa que o processo está bem avançado e as músicas ganhando corpo. As músicas já foram gravadas e o processo de masterização está sendo feita pelo renomado produtor Rômulo Ramazini, também guitarrista e vocalista do Necrofobia.

O vocalista e guitarrista, Rafael Musa, explica o que criou para o EP “Frankenstein” e todo sentimento que ele irá carregar: É um álbum que expõe e critica fortemente o comportamento histórico humano em suas diversas ações cotidianas. De cara, Marcas, possível primeira faixa do álbum, retrata o homem como protagonista da própria destruição e responsável por diversas mazelas do mundo. É hora de mudar, antes que seja tarde. Frankenstein expõe a triste natureza humana contextualizada em comportamentos atuais. Sua fraqueza aliada às incertezas do mundo moderno transformam o homem em um ser meticuloso e cheio de interesses pessoais. Locomotivos retrata a violência física e sexual contra mulheres, crianças e adolescente. Traz dados estatísticos alarmantes que expõe está infeliz realidade brasileira. Por fim, a Jornada, cuja parte instrumental é de autoria do ex-membro da banda Elvio Trevizoni, apresenta o problema do homem moderno, escravo das consequências de suas próprias escolhas e, na maioria das vezes, não preparado psicologicamente para elas”.

Ainda não se sabe a data oficial de lançamento, porém, a banda revela que muito em breve estará liberando a arte oficial e o primeiro single para apreciação dos fãs do Rock enérgico e inteligente criado pela Magnética.

Formação:
Rafael Musa – (Guitarra/Vocal)
Kelson Palharini – (Guitarra)
Anderson Pavan – (Baixo)
Marcos Ribeiro – (Bateria)
 
Mais informações:

Astro Venga: lança clipe gravado na avenida Rio Branco, no RJ

Astro Venga (foto - Luiza Machado)

O power trio carioca Astro Venga pertence às ruas. É entre multidões, o caos urbano e a selva de pedra que a banda transborda energia por meio do seu Rock Instrumental. A sinergia entre os músicos e a cidade é a tônica do videoclipe de “Lêmure”, gravado em pleno horário comercial no movimentado calçadão da avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro. Confira a produção aqui:

“Lêmure” é uma das músicas do disco de estreia do Astro Venga, “Transeunte”, lançado em novembro do ano passado pela Abraxas Records. O clipe é visceral e captura – em imagem e som –  um dia comum na avenida Rio Branco. Como revela o guitarrista Christian Dias, esta é uma das últimas composições da banda e representa pontualmente a diversidade sonora proposta.

Os diferentes andamentos da música contrastam com a reação da própria banda e da plateia. Das partes introspetivas às mais diretas e pesadas, o vídeo captura desde a irritação de um homem que tenta impedir – em vão e sem razão – a apresentação do Astro Venga na rua, a um senhor engravatado que aplaude a banda ao fim da música.

O Astro Venga é precursor da música de rua no Rio de Janeiro contemporâneo. O lançamento do clipe, explica o guitarrista, faz parte de um novo momento da banda, focada na profissionalização ainda maior do trabalho. “O clipe é bem direto, né? E ali é o centrão comercial do Rio, cheio de camelô, de transeuntes. Por isso tocamos sempre naquela região”, conta Chris.

astro venga repro

A direção do clipe “Lêmure” é de Diego de La Veja, que também o produziu junto à própria banda e de Luiza Machado. A equipe de filmagem contou com 7 pessoas e foram usadas 11 câmeras ao todo.

A produção foi exibida pela primeira vez na quinta-feira da semana passada, após um show da banda no Rio de Janeiro. “O clipe passou num telão, logo após a nossa apresentação. Deu pra ver a galera curtindo e reagindo às cenas”, fala Chris.

Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)

Living Louder: banda lança clip da música “My Private Wallowtown”. Confira!

Living Louder 2018

O Living Louder acaba de lançar o clip da música “My Private Wallowtown”, segundo single do segundo álbum da banda, a ser lançado ainda em 2018.

Cheia de riffs vintage e um refrão cativante, a música certamente agradará aos fãs do verdadeiro Heavy Rock!

Confira o clip de “My Private Wallowtown”:

O vídeo gravado por Anderson Soares, foi produzido e mixado por Gustavo Gomes no Monkey Hut Studios.

Formação:
Ricardo Cagliari – (Guitarra/Vocal)
Eduardo Assef – (Baixo)
Gustavo Gomes – (Bateria)
 
 
Links relacionados:

 

 

Necro: “Adiante” é lançado em vinil

Necro Adiante capa.jpg

Para deleite dos amantes da bolacha, finalmente um dos discos mais aclamados da nova safra do Rock Psicodélico e Progressivo brasileiro é lançado em vinil: “Adiante”, do power trio maceioense Necro, ganha a forma de 12″ em uma edição nacional prensada pela Polysom em uma parceria entre a banda e os selos Abraxas e Baratos Afins.  Garanta já o seu: https://tinyurl.com/adianteLP.

O estoque será limitado e a Abraxas abrirá pré-venda para aqueles que querem garantir desde já o seu exemplar desta obra que já entrou para a história da música nacional. Confira os kits especiais que preparamos para os nossos clientes, todos eles com um poster da banda de brinde!

– LP “Adiante” + poster: R$ 75
– LP “Adiante” + poster + camiseta com a arte do novo EP “Pra Tomar Chá”: R$ 110
– Kit Iniciado: LP “Adiante” + poster + camiseta com a arte do novo EP ‘Pra Tomar Chá’ + 3 CDs sortidos lançados pela Abraxas Records: R$ 160
 
“Adiante” é o cultuado disco da banda alagoana Necro, lançado em dezembro de 2016 pela Abraxas Records, e que já conta com uma edição em CD. O álbum alçou a banda a um novo patamar no cenário musical brasileiro e, apesar de ter sido lançado no final de 2016, obteve destaque nas listas de melhores daquele ano e críticas mais que positivas da imprensa especializada, nacional e internacional, além de render ao grupo apresentações nos principais palcos do país.
 
* Todos os valores acima serão acrescidos do frete. Navegue pelo nosso site para conhecer os outros produtos da Abraxas. Nas compras acima de R$ 200, o frete é grátis!
** Envio a partir de 01/07/2018.
*** Caso opte pelo Kit Iniciado, os CDs serão enviados aleatoriamente, sendo sempre 1 international e 2 nacionais. Infelizmente não poderemos atender a pedidos por CDs específicos, porém caso já possua algum de nosso catálogo, pode informar ao finalizar a compra que não enviaremos um item repetido para a sua coleção.
 
Mundialmente Aclamado – “Adiante”, a segunda música do terceiro álbum da banda alagoana Necro, não só é a faixa-título como também pode ser entendida como um substrato de sua temática geral. Se por um lado o som do power trio remonta ao hard rock e à psicodelia dos anos 1970, dessa vez menos sombrio e mais calcado no blues-rock e o progressivo, as letras falam sobre pensar à frente.” – Eduardo Ribeiro (Noisey).
 
“Não se trata apenas do melhor disco dos alagoanos, mas é também como uma via de escapismo lisérgico, ‘na transversal, equilibrado no meio-fio do que é real’, tão necessário num ano tão complicado para que, enfim, sigamos adiante.” – Fernando Yokota (Whiplash.net).
 
“Almost immediately, Adiante feels like a moment of arrival. (…) It’s the three-piece’s first record entirely in Portuguese, and it would seem to solidify the approach to classic heavy rock and boogie that the prior two outings and their 2015 split with Witching Altar hinted toward. (…) It’s a difficult balance to strike, but likewise, their take on familiar boogie rock tenets is presented with an entirely clearheaded take, and the results should catch the ears of even those jaded with ’70s worship or who think there’s nowhere left to go with a shuffling groove but in the same circles over and again.” – J J Koczan (The Obelisk – EUA).
 
“El álbum consta de 7 piezas que juguetean libremente entre el rock progresivo, la psicodelia setentera y una amplia gama de sonidos afrobrasileños. Una fluida experimentación sonora que no pone límites que predispongan al oyente. Acá está latente la música original en toda su expresión” – Roberto Fuentes (La Habitación 235 – Espanha).
 
“Este é um álbum de natureza imensamente charmosa e provocante que nos namora do primeiro ao derradeiro tema. Entrem em ebulição ao emocionante e voluptuoso som de Necro e comunguem um dos mais inflamantes discos do ano.” – Nuno Teixeira (El Coyote – Portugal).
 
Mais informações:

Disaster Cities: lança versão intimista de “Right Next to You”

Disaster Cities

“Right Next to You (Revisted) ” traz uma releitura em piano e violino do primeiro single de trabalho da Disaster Cities, do recém lançado álbum “LOWA”. A faixa contou com a produção e arranjos de Rafael Paiola e as linhas de violino por Pedro Florence. O vídeo foi lançado nesta quinta-feira, 7 de Junho, e já está disponível no canal da banda no Youtube:

O quarteto de Heavy Rock acaba de finalizar a primeira parte da tour de divulgação do debut álbum com 12 shows em passagens por SP, SC, RJ e MT ao lado de bandas como Kadavar (ALE), Radio Moscow (US) e Dead Fish.
 
Além desse single a banda já prepara novos lançamentos até o final do e segue na sequência para a segunda parte da “LOWA tour”.
 
Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)