Roadie Metal: coletânea vol.04 é lançada em todas as plataformas de streaming

Roadie Metal 04

Eis que mais uma coletânea da Roadie Metal chega em todas as plataformas de streaming. A quarta edição conta com a participação de 34 bandas do país, sendo vários estilos diferentes e propostas autorais.

Lançada oficialmente em 2015, a coletânea foi um sucesso após sua distribuição física. Inúmeras resenhas e críticas positivas sobre o trabalho foram divulgadas massivamente pela mídia especializada. Todas as bandas envolvidas receberam cópias físicas e em menos de 30 dias, a coletânea Roadie Metal vol.04 já estava esgotada.

Agora você pode conferir essa épica edição em todas as plataformas de streaming, acesse seu link favorito e escute as excelentes bandas nacionais.

 
Tracks:
 
CD 01:
01 – SuperSonic Brewer – Society in Ruins
02 – Dancing Flame – Warrior’s Path
03 – All Seven Days – Hurricane
04 – Cassino.357 – Hot Rod
05 – Overdose Nuclear – 333
06 – Haiting Evil – Rotten Inside
07 – White Death – Red Star
08 – Kalonia – …then You’re a Freeman!
09 – Hell Gun – The Wolfman
10 – Vigilianonima – Pare e Repare
11 – Demons Inside – Alcohool
12 – Outlanders – Black Flag and Beer
13 – ArcharD – Now is the Time
14 – Delta 7 – Displicente
15 – Codmorse – Nuclear Fear
16 – The Walkins – Só Tem Falso
17 – Soul’s Guardian – Soldier’s Truth
 
CD 02:
01 – Mistrut – Sands of War
02 – Maua – Resist
03 – Carpe Diem – Resistência
04 – Prison Bäit – Born to Win
05 – Sephion – Fucking War
06 – Consequência – Sistema Oculto
07 – Midnight Order – Rise
08 – Rocksteria – Veneno
09 – Ender 7 – O Tempo
10 – SC16 – Bang Bang
11 – Basttardos – Nem Agoniza
12 – WearBlack – Slaves of Power
13 – Iluminácidos – Não Tô Afim
14 – Thoryk – Afterline
15 – Covil de Antelon – Dias
16 – Banda 80 Rock – Conquista
17 – Rhuan Carvalho – Breaking and Wore
 
Conheça nossos canais:
Roadie Metal Assessoria: http://roadie-metal.com/press

Anúncios

TS5: banda lança EP “Cidade dos Pecados” em todas as plataformas de streaming

ts5 - capa CD encarte frente-02

O balanço e magia do Rock Nacional dos anos 80, ressurge com um grupo autêntico e que não se limita e sempre busca ousar em suas composições autorais. O grupo paulista TS5, em atividade desde 2013, acaba de disponibilizar seu primeiro EP em todas as plataformas de streaming.

O registro “Cidade dos Pecados” possuí cinco faixas autorais e cantadas em português. O grupo comunica que o material se encontra disponível no Spotify, Deezer, ITunes, Tidal, Google Play, Amazon e várias outras plataformas.

Mesclando Rock, Blues e Pop Rock, o material acerta em cheio em sua proposta de resgatar o melhor momento que o Rock Nacional obteve em seu auge nos anos 80. Abaixo deixamos o material disponível para audição completa no Spotify e no Deezer:

 
Tracks:
01 – Cidade dos Pecados
02 – Estrada do Blues
03 – Procurado
04 – A Onde o Amor nos Encontrou
05 – Assíntotas do Medo
 
Formação:
Douglas Rafael – (Vocal)
João Luiz de Oliveria – (Guitarra)
Thiago Souza – (Guitarra)
Thiago Melli – (Baixo)
Luiz Flávio Rotta – (Bateria)
 
Mais informações:

Desert Crows: revelação do Stoner Rock goiano, apresenta seu disco de estreia

desertcrows2019_01

Uma das maiores revelações do Stoner Rock goiano – que já produziu nomes como Black Drawing Chalks, MQN e Hellbenders -, a Desert Crows lança seu disco de estreia. “Age of Despair” traz um Hard Rock repleto de fuzz e com influências de Grunge e Rock n’ Roll. O álbum, preparado desde 2017, chega às plataformas de streaming e em CD pelos selos Monstro Discos e Milo Records, com arte gráfica do fenomenal Cristiano Suarez.

desert_crows_capa

“Age of Despair” foi gravado no Estúdio Resistência e conta com oito faixas de Stoner tradicional, com uma produção moderna, envolvidas por uma avalanche de riffs pesados e viajantes, com batidas certeiras e empolgantes.

Quem conhece o single “Loose Me”, de 2018 (ainda em versão lyric vídeo), sabe o poder de fogo do power trio Vitor Mercez (guitarra e vocal), Raul Martins (baixo) e Pedro Nascimento (bateria). A música, presente em “Age of Despair”, é densa, cadenciada e com uma melodia que gruda na cabeça. Os outros singles previamente lançados, “Even The Devil Cries” e “Skin”, também estão no álbum.

O lema “fuzzy and heavy tones” faz mesmo jus à proposta dos jovens corvos desérticos, que lançam um debut vigoroso, com a promessa de fazer ainda mais barulho quando executado ao vivo nos shows que anunciarão em breve. Altamente indicado para fãs de Kyuss, Stoned Jesus, Sleep e Uncle Acid and the Deadbeats.

Ouça em:
iTunes/Apple Music: https://apple.co/2VBkUXQ
 
Para adquirir o CD acesse: 

War Industries Inc.: grupo realiza extensa e inédita turnê pelo Nordeste

war_tour_nordeste

Power trio garage punk de Santo André divulga o ousado e pesado segundo disco, WWIII (Abraxas Records)

A turnê de divulgação do poderoso segundo disco “WWIII” (Abraxas Records) – Hot Outta the Barrel Tour – continua intensa e mantém o War Industries Inc. constantemente na estrada. Neste início de abril, o destino é o Nordeste, onde o power trio de Garage Punk – conhecido pelos shows energéticos e performáticos – se apresenta pela primeira vez. O giro é composto por 10 shows, em sete estados diferentes.

Jim Boone (guitarra e vocal), Carlos Motta (baixo) e Will Paiva (bateria) começam a turnê nesta quinta-feira, 4, em Salvador (Bahia), no Porão do Buk. Ainda na Bahia, a War Industries Inc. viaja a Feira de Santana para tocar dia 5/4 na Cúpula do Som, além de shows dia 6/4 em Jequié (A Toca do Raul) e dia 7/4 na fervorosa Camaçari (Praça Abrantes).

Em seguida, a “Hot Outta the Barrel Tour” chega a Aracaju, capital do Sergipe, no dia 9 de abril. O show será no Lado B Estúdio Bar. No dia seguinte, 9/4, a War Industries Inc. já estará em Maceió, no Alagoas, para tocar na Casa da Música.

Recife, em Pernambuco, também está na rota. A apresentação será dia 10 de abril e o local será anunciado em breve. Na sequência, dia 11/4, a banda vai para João Pessoa, capital da Paraíba, para show no Djaba Pub, e dia 12/4 em Mossoró (Rio Grande do Norte), em local a ser definido.

O show derradeiro da tour pelo Nordeste acontece em Fortaleza, no Ceará, onde o War Industries Inc. participa do Quintura Rockfest, um dos eventos mais esperados do Rock independente neste primeiro semestre na capital cearense. Outros nomes de peso estão no lineup, como Paura e Desalmado, além de Corja!, Bull Control, In No Sense e Criminal Lie. O festival acontece no Havana 1884.

Mais informações:

 

 

Akasha Rock Fest: festival reúne novos nomes da cena independente na Lapa

Codinome Winchester por Sarah Outeiro 3

Codinome Winchester (MS), Little Room, Radio Front e EMET se apresentarão no La Esquina

A edição de abril do Akasha Rock Fest ocupa o La Esquina, na Lapa, no dia 14/04 (domingo) a partir das 17h30. As bandas Codinome Winchester (MS), Little Room, Radio Front e EMET se apresentarão no evento que contará também com exposições, flash tatoo e body piercing. Os ingressos variam entre R$ 10 e R$ 15.

A sul-matogrossense Codinome Winchester é sucesso nas plataformas de música digital com seu Rock Lisérgico e Psicodélico. O repertório do show trará canções do novo álbum “Reunião Entre Céu e Inferno”. A banda é Fillipe Saldanha (voz), Arthur Maximilliano (guitarra e teremim), Guilherme Napa (bateria), Luciano Armstrong (guitarra, backing vocal e sintetizador) e Thiago Souto (baixo).

Formada pelos irmãos Ana Júlia e Gabriel Braga, a banda de Indie Pop e Garage Rock Little Room vai apresentar as faixas do seu homônimo EP de estreia e composições inéditas que formarão um futuro lançamento do grupo.

A Radio Front sobe ao palco com Felipe Nova (voz), Bruno Moreira (guitarra), Yuri Correa (guitarra) e Leonardo Bourseau (bateria) e as canções de vibe Grunge e Stoner. A banda mostra o primeiro disco de inéditas, “Into the Rain”, que mistura diversos elementos do Rock Alternativo noventista. Com um estilo que mescla o Hard Rock e o Grunge, o quinteto carioca EMET (que significa “verdade”, em hebraico) apresenta canções autorais, como o single recém-lançado “Look In Your Eyes”.

Alaska

Serviço:
Akasha Rock Fest
Data: 14/04/2018 (domingo)
Horário: 17h30h
Local: La Esquina
Endereço: Avenida Mem de Sá, 61 – Rio de Janeiro/RJ
Ingressos: R$ 10 | R$ 15
Classificação etária: 18 anos (acima de 16, acompanhado de responsável)

Desert Crows: banda lança o debut “Age of Despair” neste mês de abril

desert_crows_capa

Álbum da banda de Stoner Rock de Goiânia sai dia 12/4 pela Monstro Discos

O Stoner Rock do Desert Crows, repleto de fuzz e com influências de grunge e Rock n’ Roll, enfim será pulverizado em grande escala a partir do dia 12 de abril, quando a banda goiana lança o disco de estreia “Age of Despair”. O álbum, preparado desde 2017, primeiro chega às plataformas de streaming pelos selos Monstro Discos e Milo Records, com arte gráfica do fenomenal Cristiano Suarez.

“Age of Despair” foi gravado no Estúdio Resistência e trará oito faixas de Stoner tradicional, com uma produção moderna, envolvidas por uma avalanche de riffs pesados e viajantes, com batidas certeiras e empolgantes.

Quem conhece o single “Loose Me”, de 2018 (ainda em versão lyric video), sabe o poder de fogo do power trio Vitor Mercez (guitarra e vocal), Raul Martins (baixo) e Pedro Nascimento (bateria). A música, presente em “Age of Despair”, é densa, cadenciada e com uma melodia que gruda na cabeça. Os outros singles previamente lançados, “Even The Devil Cries” e “Skin”, também estão no álbum.

O lema “fuzzy and heavy tones” faz mesmo jus à proposta dos jovens corvos desérticos, que lançarão um debut vigoroso, com a promessa de fazer ainda mais barulho quando executado ao vivo nos shows que anunciarão em breve. Altamente indicado para fãs de Kyuss, Stoned Jesus, Sleep e Uncle Acid and the Deadbeats.

Links relacionados:

 

Grindhouse: banda lança o disco de estreia “Built in Obsolescence”

grindhouse

“Built in Obsolescence” marca a estreia do quarteto paulistano de Stoner no selo da Abraxas

A música produzida pelo Grindhouse está longe de ser obsoleta – o conceito do ultrapassado, no entanto, é refletido nas letras do disco de estreia, “Built in Obsolescence”. O Stoner Rock executado pelo quarteto paulistano – que fará a abertura para o aguardado show dos suecos do Graveyard dia 18/5 em São Paulo – é visceral, encorpado, com doses de fuzz, riffs empolgantes e atmosferas atemporais. O álbum contém 11 faixas e acaba de ser lançado de forma independente em CD e nas principais plataformas de streaming pela Abraxas.

Ouça Built in Obsolescence aqui: https://www.onerpm.com/al/4615138030.

“Built in Obsolescence” foi gravado no requisitado Estúdio Costela, com produção de Gabriel Zander (Zander, Radical Karma). O Grindhouse está na ativa desde 2009 e, antes deste álbum completo, a banda tinha lançado o 7 polegadas “Chosen One” pela Monstro Discos. Hoje, a banda é Leandro Carbonato (voz e guitarra), Roger Marx (baixo), Luiz Natel (voz e guitarra) e Bart Silva (bateria).

built

O conceito do disco gira em torno da obsolescência programada, um termo usado para definir algo que já nasce com prazo de validade, como uma televisão em preto e branco, uma fita VHS, relações interpessoais abusivas e sensações de prazer. As artes gráficas também refletem sobre a obsolência: no encarte, os filhos do vocalista Leandro aparecem vestidos com fantasias que eles mesmos confeccionaram a partir de objetos obsoletos, achados em nichos de reciclagem.

O Grindhouse tem shows memoráveis no currículo: foi eleito o melhor show nacional no Goiânia Noise Festival de 2012, pelo jornal O Globo. Também incendiaram a plateia na abertura para os norte-americanos do Red Fang, que estreou no Brasil em 2012 pela Powerline (produtora de Leandro Carbonato) e reafirmou o poder de fogo junto ao público Stoner na abertura para os alemães do Kadavar, em 2018.

 
Mais informações:

 

 

Black Moon Riders: confira a versão para o clássico “Romaria”

Black Moon Riders - Romaria Capa Single

Os gaúchos da Black Moon Riders acabam de lançar seu novo single, uma versão para o clássico “Romaria”. Com arranjos de Magnus Wichmann e produção vocal de Victor Wichmann, a nova versão para a canção composta pelo cantor e compositor Renato Teixeira foi gravada no From Hellcords Studios e está disponível nas plataformas digitais via Zabauros Agência. Repetindo a parceria do primeiro EP do grupo, Diego Dias é o responsável pela arte da capa.

A princípio, a canção faria parte do EP auto-intitulado da banda, que foi lançado recentemente, mas por se tratar de uma música especial para o vocalista Átila Ferrarez, teve seu lançamento em formato de single para que o mesmo tivesse mais tempo para trabalhar em suas linhas vocais.

“Romaria é uma música que minha mãe cantava em casa para nós. Cantava para eu dormir. Desde pequeno a letra me toca profundamente. O tempo passou e toda vez que a ouvia pensava: que balada metal daria esse som. Um dia falei da minha ideia para o Magnus Wichmann, guitarrista e produtor, e ele criou um arranjo poderoso para minha versão. O vocal levou seis meses para ficar pronto e teve a coordenação do grande Victor Wichmann, que soube tirar de mim toda a emoção que a letra carrega. Eu fiz questão de manter a melodia de voz da Elis Regina, em respeito a essa grande cantora. A versão da Black Moon Riders tem muita alma, dor e solidão. Gosto de trazer para o metal elementos estranhos a ele. Às vezes penso em cantar algo da Mercedes Sosa, numa versão metal. Vamos ver, né!”  destaca Átila.

Confira a canção:

Composta em 1977, Romaria tornou-se uma das canções mais conhecidas da Música Popular Brasileira (MPB). Regravada por diversos artistas, incluindo a cantora Elis Regina, com sua versão servindo de inspiração para a Black Moon Riders. A banda divulgou um pequeno vídeo para apresentar o single em suas redes sociais, com fotos de Henrique Ribeiro e edição de Isaque de Brito. O teaser pode ser conferido abaixo:

 

Após o lançamento do novo single, o quarteto formado por Átila Ferrarez (voz), Victória Reali (bateria), Paulo Guimarães (baixo) e Demi Junior (guitarra), volta suas atenções para a gravação do primeiro videoclipe oficial do grupo, para a canção “Alice”, que deve ser lançado em breve.

Mais informações:

 

 

Barril De Pólvora: banda se apresenta no “Camping Rock 2019”, em Araçaí/MG

Barril de Polvora

O maior festival de música independente de Minas Gerais, “Camping Rock”, comemora vinte anos de criação em 2019 e, para esta edição, o evento levará à Estância Veredas, em Araçaí/MG, dezenove bandas distribuídas nos dias 20, 21, 22 e 23 de junho.

Harmonia, Interatividade e Rock’n’Roll. Camping & Rock é um festival brasileiro de Rock’ n Roll que acontece anualmente no estado de Minas Gerais, desde 1998. Tem duração de quatro dias, geralmente coincidindo com o feriado. O evento surgiu tímido, um embrião que, aos longos dos anos, tomou forma e conquistou um público fiel, que transformou o Camping Rock numa referência de festival de Rock no mato no Brasil. Música e Natureza O festival atrai pessoas de várias regiões do estado de Minas Gerais e do Brasil, de todas as idades e tribos diferentes no cenário do Rock, de forma harmônica, no qual todos têm como objetivo curtir muito som junto à natureza e, consequentemente, ‘se isolar’ um pouco da urbanização e da rotina”, diz publicação na página do evento no Facebook.

Entre as bandas confirmadas, a Barril De Pólvora tocará no primeiro dia do festival, com um set list que promove o álbum “Barril de Pólvora”, lançado em 2018. A banda ficou conhecida no Brasil e países vizinhos pelos estilos Blues Bock e Heavy Metal das oito faixas do CD. Formado por músicos veteranos de Belo Horizonte/MG, o grupo já está em processo de composição do novo álbum que deverá sair no próximo ano, ou antes, dependendo da agenda de shows que a cada instante recebe novas datas.

A ordem do cast do “Camping Rock 2019”está dividida da seguinte forma:
 
Dia 20/06
Blues Horizonte Band/MG
Metalzone/MG
Pesta/MG
Barril De Pólvora/MG
Uai Heep/MG
 
Dia 21/06
Ablusadas/MG
Exorddium/MG
Calix/MG
Mantra/MG
Apple Sin/MG
More Beer/MG
 
Dia 22/06
Parafernália/DF
Alexandre Araújo Prog/Blues/MG
By the Pound/MG
Blind Horse/RJ
Wild Leather/MG
Bullet Train/MG
 
Dia 23/06
Lançamento Banda Rock Progressivo Autoral/MG
Honky Tonk/MG
 
O ingresso para o festival já está em seu segundo lote e é válido para os quatro dias de programação. A entrada que custa R$ 180,00 pode ser comprada através de depósito bancário ou pela plataforma do PagueSeguro em até dezoito parcelas. As orientações e informações estão no site: www.ahoradodinossauro.com.br.
 
Serviço:
Camping Rock 2019
Bandas: Ablusadas – Alexandre Araújo Prog/Blues – Apple Sin – Barril de Pólvora – Blind Horse – Blues Horizonte Band – Bullet Train – By the Pound – Cálix – Exorddium – In Rock – Honky Tonk – Mantra – Metalzone – More Beer – Parafernália – Pesta – Uai Heep – Wild Leather
Data: 20,21,22 e 23 de junho, 8h00 (abertura dos portões)
Local: Estância Veredas, Estrada de Araçaí para Sete Lagoas, km 2,5 – Araçaí/MG
Entrada: R$ 180, 00 (segundo lote)
Realização: Programa A Hora do Dinossauro

Obey!: banda fala sobre novo clipe e do bem sucedido disco “Da Tempestade ao Sol”

1

Obey! é uma banda de Juiz de Fora, Minas Gerais, criada em 2011 formada por Igor Santos (voz), Douglas Rodrigues (guitarra), Ge Alvarenga (baixo e voz), Marcel Melo (guitarra) e Lipe Tedeschi (bateria).

Com um CD lançado, dois EP’s, quatro videoclipes produzidos, participação na final do Arnette Garage Festival em Porto Alegre em 2013, participação no programa Breakout Brasil do canal Sony em 2014 e vários shows pela região nestes 6 anos, a banda segue na promoção do seu primeiro full álbum “Da Tempestade ao Sol”.

A imagem pode conter: texto

Sua sonoridade passa pelos riffs mais pesados e carregados até as levadas mais leves e serenas. O disco foi produzido e gravado por conta própria e também graças a ajuda dos fãs que apoiaram projeto de crowdfunding direcionado para sua finalização e masterização, superando a meta de arrecadação em mais de 30%.

A banda acaba de lançar o clipe da faixa “Atrás da Casca”, uma das faixas mais fortes do disco, tanto em letra quanto no instrumental.

A música fala que não adianta a gente querer se esconder de quem a gente é, mais cedo ou mais tarde a vida cobra a sua verdade, de maneira voluntária ou numa explosão de sentimentos. O clipe conta a historia de um professor saturado de sua profissão em um dia que ele resolve dar um basta na situação em que ele se encontra. Sem precedentes ele sai atônito e desesperado em busca de se encontrar no lugar em que ele se sente mais a vontade, em busca do seu refúgio.

Assista o videoclipe de “Atrás da Casca”:

Conversamos com a banda para entender de onde vem suas influências e inspirações,  que culminam no som avassalador do Obey!.
 
Toda banda tem sua influência. Vocês se inspiram em alguma banda?
 
Obey!: “A Obey! acaba por ouvir muita coisa diferente, cada integrante é apaixonado por musica e escuta vários gêneros e bandas, mas em conjunto a gente tem por influencia bandas como A Day To Remember, Four Year Strong, Bring Me The Horizon e também bandas nacionais que crescemos escutando como CPM22, Dead Fish e muito da cena do Rock brasileiro anos 90”.
 
De ondem vêm esse nome “Obey”?   O que levou a banda a esse nome?
 
Obey!: “O nome da banda, depois de muita procura, veio de uma guitarra que a Squier produzia junto com a marca OBEY. Na época, la pra 2011, nem imaginamos que aquilo era uma marca de roupa, e na tínhamos acesso ao movimento que ela também levava para as ruas já que pouco chegava aqui no Brasil. Gostamos do nome que vimos, nos identificamos com a maneira irônica que soava junto da arte da guitarra que dizia ‘Obey Propaganda’, e escolhemos adotar o nome pra banda recém formada”.
 
O Disco “Da Tempestade ao Sol”  foi muito bem recebido, e a banda acaba de lançar a faixa ‘Atrás da Casca’ em  video-clipe.  O que podemos esperar desse clipe e faixa nova?
 
Obey!: “Atrás da Casca é uma das faixas que mais caracterizam a pegada mais pesada da banda. Com letra e instrumental bem fortes o clipe não poderia ficar pra trás. Nele a gente apresenta um personagem numa situação de vida extrema em que ele explode e precisa pegar as rédeas de novo e se expressar fazendo o que realmente gosta. O clipe ta muito rico imageticamente, muito forte e cheio de confrontações. Vale ressaltar que o videoclipe foi produzido grande parte pela banda, desde o roteiro a produção, direção e edição. As imagens foram captadas pelo grande diretor de fotografia e amigo Durso, aqui mesmo na cidade de Juiz de Fora”.
 
Suas letras passam uma mensagem muito forte, de onde vêm as ideias para as composições? Existe alguma composição que é mais especial para vocês? 
 
Obey!: “As letras vem de experiências de vida e são representadas nas músicas muitas vezes de forma metafórica e indireta. Quanto a preferência, cada membro tem suas preferidas. Temos um apreço grande por músicas novas nossas, é bom ouvir um som novo sempre. No geral procuramos trabalhar mais nas música que estão tendo uma melhor resposta do público e acaba que algumas viram “queridinhas” como Atrás da Casca, Tudo no Seu Lugar, Dança,  Somos Dois, Assim que vai ser e por ai vai”. 
 
De quem é a arte da capa do Disco e por que escolheram esse artista?  
 
Obey!: “A arte é do nosso amigo Guilherme Melich, famoso Guina. O cara é um artista nato, trabalha com vários meios dentro das artes visuais. Inclusive varias partes do clipe são filmadas dentro do Atelie dele, o Estudio Lithos, onde da pra ver vários quadros pintados por ele, inclusive o usado no videoclipe. Além do talento visual, o Guina também toca na banda Traste, um power trio com uma pegada bem punk core trash e que vale muito a pena dar uma olhada e acompanhar o trabalho. Os caras mandam muito! Fica aqui o jabá da galera @guilherme_melich @estudiolithos @trasteoficial
 
Como anda a agenda de shows e a divulgação do trabalho? O que esperam para 2019?  
 
Obey!: “A banda entra agora em processo de composição já estudando um possível novo disco, além de participar uma coletânea de bandas de Juiz de Fora e uma faixa em parceria com uma banda amiga que também começa a se desenhar. Agora pós carnaval a gente se prepara pra divulgar o videoclipe e rodar com o show 2019 por MG, RJ e SP”.
 
Para saber mais sobre as atualizações do Obey! curta e siga a banda: