Casa das Máquinas: grupo lança single e revela nome do novo álbum

Casa das Máquinas iniciou sua carreira em 1973, em São Paulo, e é uma das bandas mais importantes para a história do Rock brasileiro e autoral. Com sonoridade que transita nos estilos Hard Rock e Rock Progressivo, o grupo influenciou várias gerações de músicos.

Testoni (voz e teclados) e Marinho (voz e bateria) estão na banda desde o início das atividades, e os integrantes Cadu Moreira (voz, guitarra e violão), Geraldo Vieira (voz e baixo) e Ivan Gonçalves (voz) completam o Casa das Máquinas.

Após 44 anos sem lançar novos trabalhos, Casa das Máquinas disponibilizou o single “A Rua”, e agora lança “Brilho nos Olhos” em todas as plataformas digitais, música que leva o nome do álbum completo que será lançado até o último semestre de 2020.

Confira o novo single da banda Casa das Máquinas, “Brilho nos Olhos”, em parceria com a Monstro Discos!, pelo endereço: https://ditto.fm/casadasmaquinas-brilhonosolhos

“Brilhos nos Olhos” surgiu de um bate-papo de Testoni com Ernst Kurt Clauss, direto da Irlanda. A melodia foi criada em parceria com Cadu Moreira.

Links relacionados:
Instagram: https://www.instagram.com/casadasmaquinasoficial
Facebook: https://www.facebook.com/bandacasadasmaquinas
YouTube: https://www.youtube.com/casadasmaquinasoficial
Spotify: http://tinyurl.com/spotifycasa

Ghost Toast: grupo lançou o primeiro videoclipe, “Frankenstein’s”, do seu próximo quarto álbum!

Ghost_Toast-promo_pic-2020_1

A banda experimental de Rock Progressivo húngaro Ghost Toast está prestes a lançar seu quarto álbum de estúdio “Shape Without Form” em 3 de março de 2020 pela Inverse Records.

A banda lançou um videoclipe para o primeiro single “Frankenstein’s”, que pode ser visto abaixo:

O guitarrista  Rózsavölgyi Bence comentou:

Frankenstein’s é principalmente inspirado em trilhas sonoras. A introdução teatral aparentemente diferente para piano e a parte mais pesada e estranha da assinatura do tempo são costuradas no final. Desta vez, queríamos fazer um videoclipe para uma música mais curta, e achamos que é uma peça muito boa para começar a jornada que as outras seis músicas do Shape Without Form oferecerão a você. O videoclipe é sobre monstros. Os que criamos e os que vivemos no mesmo planeta através dos tempos; sejam apenas criações da nossa imaginação ou reais. A lista não está completa, é claro … A história tem milhares de monstros, fato que deve ser pensado. Usamos filmes de terror e documentários antigos para a produção deste vídeo.”

Ouça o single pelo streaming:
Youtube: https://youtu.be/-gh-HXLk_hk
Spotify: https://spoti.fi/2RxA7tx
Deezer: ttps: //www.deezer.com/us/album/126961632
Tidal: https://listen.tidal.com/album/128493922
Apple Music: https://apple.co/38Nktjx

A arte do álbum foi desenvolvida por: Antal Miklós Tod

Tracklist:
01. Frankenstein’s
02. Eclipse
03. Y13
04. Hunt of Life
05. Follow
06. Before Anything Happens
07. W.A.N.T.
 
Ghost Toast é formado por:
Bence Rózsavölgyi – Guitarra
János Stefán – Baixo/FX
János Pusker – Violoncelo/Teclado
László Papp – Bateria
 
Links relacionados:

Necro: “Adiante” é lançado em vinil

Necro Adiante capa.jpg

Para deleite dos amantes da bolacha, finalmente um dos discos mais aclamados da nova safra do Rock Psicodélico e Progressivo brasileiro é lançado em vinil: “Adiante”, do power trio maceioense Necro, ganha a forma de 12″ em uma edição nacional prensada pela Polysom em uma parceria entre a banda e os selos Abraxas e Baratos Afins.  Garanta já o seu: https://tinyurl.com/adianteLP.

O estoque será limitado e a Abraxas abrirá pré-venda para aqueles que querem garantir desde já o seu exemplar desta obra que já entrou para a história da música nacional. Confira os kits especiais que preparamos para os nossos clientes, todos eles com um poster da banda de brinde!

– LP “Adiante” + poster: R$ 75
– LP “Adiante” + poster + camiseta com a arte do novo EP “Pra Tomar Chá”: R$ 110
– Kit Iniciado: LP “Adiante” + poster + camiseta com a arte do novo EP ‘Pra Tomar Chá’ + 3 CDs sortidos lançados pela Abraxas Records: R$ 160
 
“Adiante” é o cultuado disco da banda alagoana Necro, lançado em dezembro de 2016 pela Abraxas Records, e que já conta com uma edição em CD. O álbum alçou a banda a um novo patamar no cenário musical brasileiro e, apesar de ter sido lançado no final de 2016, obteve destaque nas listas de melhores daquele ano e críticas mais que positivas da imprensa especializada, nacional e internacional, além de render ao grupo apresentações nos principais palcos do país.
 
* Todos os valores acima serão acrescidos do frete. Navegue pelo nosso site para conhecer os outros produtos da Abraxas. Nas compras acima de R$ 200, o frete é grátis!
** Envio a partir de 01/07/2018.
*** Caso opte pelo Kit Iniciado, os CDs serão enviados aleatoriamente, sendo sempre 1 international e 2 nacionais. Infelizmente não poderemos atender a pedidos por CDs específicos, porém caso já possua algum de nosso catálogo, pode informar ao finalizar a compra que não enviaremos um item repetido para a sua coleção.
 
Mundialmente Aclamado – “Adiante”, a segunda música do terceiro álbum da banda alagoana Necro, não só é a faixa-título como também pode ser entendida como um substrato de sua temática geral. Se por um lado o som do power trio remonta ao hard rock e à psicodelia dos anos 1970, dessa vez menos sombrio e mais calcado no blues-rock e o progressivo, as letras falam sobre pensar à frente.” – Eduardo Ribeiro (Noisey).
 
“Não se trata apenas do melhor disco dos alagoanos, mas é também como uma via de escapismo lisérgico, ‘na transversal, equilibrado no meio-fio do que é real’, tão necessário num ano tão complicado para que, enfim, sigamos adiante.” – Fernando Yokota (Whiplash.net).
 
“Almost immediately, Adiante feels like a moment of arrival. (…) It’s the three-piece’s first record entirely in Portuguese, and it would seem to solidify the approach to classic heavy rock and boogie that the prior two outings and their 2015 split with Witching Altar hinted toward. (…) It’s a difficult balance to strike, but likewise, their take on familiar boogie rock tenets is presented with an entirely clearheaded take, and the results should catch the ears of even those jaded with ’70s worship or who think there’s nowhere left to go with a shuffling groove but in the same circles over and again.” – J J Koczan (The Obelisk – EUA).
 
“El álbum consta de 7 piezas que juguetean libremente entre el rock progresivo, la psicodelia setentera y una amplia gama de sonidos afrobrasileños. Una fluida experimentación sonora que no pone límites que predispongan al oyente. Acá está latente la música original en toda su expresión” – Roberto Fuentes (La Habitación 235 – Espanha).
 
“Este é um álbum de natureza imensamente charmosa e provocante que nos namora do primeiro ao derradeiro tema. Entrem em ebulição ao emocionante e voluptuoso som de Necro e comunguem um dos mais inflamantes discos do ano.” – Nuno Teixeira (El Coyote – Portugal).
 
Mais informações:

Cordillera: novo nome do Rock Progressivo, lança videoclipe de “Noumenon”

Cordillera (foto Divulgacao)

Banda de Rock Progressivo de Campinas experimenta entre o clássico e o contemporâneo; álbum de estreia sai em junho

A fusão do Rock Progressivo clássico à estética contemporânea do gênero pauta a sonoridade do  novato quinteto Cordillera, de Campinas (SP). Do minimalismo ao punch da guitarra, a proposta sóbria e técnica da banda pode ser conferida na música “Noumenon”, que também foi lançada em formato videoclipe. Confira:

O clipe de “Noumenon”, música que também está disponível em streaming no Spotify junto ao single “On the Top of the Wall”, foi escrito, produzido e dirigido pela produtora Muto.

Assim como a proposta sonora do Cordillera, o vídeo tem referências à arte abstrata, com muitas texturas e que dialoga constantemente com o enigmático, seja pelo andamento musical ou pela colagem das imagens. Pink Floyd, Porcupine Tree e Pain of Salvation são algumas referências ao trabalho único e criativo da banda.

O lançamento de “Noumenon” é o prenúncio de “Ruptura”, o disco de estreia da banda campineira formada em 2013 por Victor Oliveira (vocal), Raphael Moretti (guitarra), Pedro Ghoneim (baixo), Tarcísio Barsalini (guitarra) e Matheus Vazquez (bateria). O álbum de estreia está totalmente gravado e tem previsão de ser lançado em junho de 2018.

 

Links relacionados:

Ophicina de Sonhos: de Alagoas vem o novo Progressivo do Brasil

Ophicina dos Sonhos

A Ophicina de Sonhos é uma banda de Rock Progressivo, formada em 2008, na capital das Alagoas (Maceió). Seu som é uma mistura de ritmos ancestrais, com muito Rock N´Roll e Metal.

Em 10 anos de existência a banda carrega com muita firmeza a bandeira da música autoral e nesse tempo a O.D.S vem se apresentando em importantes shows e festivais de Alagoas.

Formada como um power trio, atualmente tem em sua formação os músicos: Thiago Franja (Baixo, vocal e sintetizadores), Thiago Trindade (Guitarra e violão) e Théo Oliveira (bateria e percussão) musicistas experientes que atuam acompanham diversos artistas em shows, gravações e apresentações.

Em janeiro de 2018 a banda lançou o single “Caos sem fim, parte-1” de forma independente nas principais plataformas digitais (Deezer, Spotify, Googleplay, Itunes, aplemusic, amazon music, bandcamp, Soundcloud) e com isso vem aflorando a curiosidade da imprensa especializada, de rádios e webrádios de Rock e Metal.

Ophina de Sonhos - capa_single

Pronta para invadir o Brasil e o mundo com sua musicalidade e diversidade musical, o power trio alagoano está preparando um novo single, para em seguida começar uma agenda de apresentações pelo país.

Ophicina de Sonhos é:
Thiago Franja (Baixo/Vocal/Sintetizadores)
Théo Oliveira (Bateria/Voz/Efeitos)
Thiago Trindade(Guitarra)
 
Links relacionados:

Origens: lança “Adaptação”, um álbum de muitas texturas

Origens - 2018-04-13 at 13.39.59

Parte dois da trilogia iniciada ano passado está nas plataformas de streaming pela Abraxas Records

Chega às principais plataformas de streaming nesta sexta-feira o álbum “Adaptação”, segunda parte da ousada e alucinante trilogia do projeto Origens, idealizado pelo alagoano Alessandro Aru.  Ouça as cinco faixas aqui: https://ONErpm.lnk.to/Origens.

Carregado de diversas texturas de Hard Rock, Rock Progressivo e a psicodelia, além de claras referências à música brasileira, Adaptação direciona à sonoridade ao cotidiano, tanto nas harmonias como nas letras.

Assim como na primeira parte da trilogia, Alessandro convocou um time de peso do novo rock brasileiro para gravar Adaptação: Daniel Gontijo, Daniel Queiroz, Dinho Zampier, Fernando Coelho, Fred Hollanda, Hélio Pisca, Jeff Joseph, João Paulo, Leonardo Luiz, Nardel Guedes, Ney Guedes, Pedro Salvador, Phillipe Hollanda, Railton Sarmento, Renan Carvalho, Ricardo Lopes, Rogério Cavalcante e Ronaldo Rodrigues contribuíram de forma inspirada com suas interpretações e arranjos.

Acesse o site da Abraxas e fique por dentro das novidades de todas as bandas nacionais e internacionais do cast, além de ter acesso aos produtos à venda na loja virtual: www.abraxas.fm

Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)

Medusa Trio: álbum “Medusa Trio 10 Anos!” é lançado cheio de participações especiais

Medusa Trio (Foto Deca Pertrini) (2)

Robertinho do Recife, Sergio Hinds, Mozart Mello, Fernando Cardoso, Willie de Oliveira e André Cristóvam participam do novo trabalho do trio

Em 2017, o grupo instrumental Medusa Trio completa 10 anos de sua formação e, para comemorar este feito, está lançando um CD com vários convidados, que participarão, também, dos shows de lançamento deste. A formação atual é composta por: Milton Medusa, guitarra, Luis Pagoto, bateria, e Fernando Tavares, baixo.

O Trio do guitarrista santista Milton Medusa foi formado em 2007, em Santos, já se apresentou no Programa do Jô, na Rede Globo de Televisão, e acompanhou diversos artistas, como Frejat, Wander Taffo, Serguei, Percy Weiss, Willie de Oliveira, Kid Vinil, Mozart Mello, entre outros. Tem um CD lançado, em 2009, pela gravadora Som Original, com 3 músicas próprias no estilo Blues Rock, e já se apresentou nas unidades do SESC Santos, Bertioga, Presidente Prudente e Birigui, além de eventos realizados pelas prefeituras da Baixada Santista e São Paulo. Em 2014, foi destaque do 3º Santos Jazz Festival.

Seus integrantes são reconhecidos professores de música  e constantemente realizam workshops, além de terem matérias publicadas nos meios especializados. Em 2016 passaram a se dedicar à pré-produção de seu CD completo, que foi gravado entre abril e agosto deste ano e contou com a presença de vários convidados consagrados, que têm relação com a trajetória do Medusa Trio. O CD foi produzido no estúdio Purosom, em São Paulo, que possui os mais modernos equipamentos de gravação, assim como instrumentos e amplificadores de ponta  para registrarem com precisão a performance dos músicos.

Medusa Trio Capa

A arte gráfica foi desenvolvida por Michel Camporeze, que já fez trabalhos para bandas como Dr. Sin e Patrulha do Espaço. O álbum apresenta dez composições próprias, tendo na faixa “Blues do Medusa”  um bônus, lançada no CD anterior. Tendo como base inicialmente o estilo blues rock, as composições mais antigas, como “O Blues do Rock” e “Sábado de Sol”, seguem esta linha. Nas mais recentes e que foram compostas nos últimos 3 anos, como “Ondas Rolando no Mar” e “Libertadora”, outros estilos que influenciam o Trio estão presentes, como o Rock Progressivo, Hard Rock, Fusion, Clube da Esquina, Instrumental em geral, além da música brasileira feita por guitarristas brasileiros.

O cantor Willie de Oliveira (ex-Rádio Táxi e Tutti-Frutti), com quem o Medusa Trio se apresenta há vários anos,  participou na música “Ganhar e Perder”(Mílton Medusa), um autêntico Hard Rock brasileiro. Já o tecladista Fernando Cardoso (Violeta de Outono e Som Nosso de Cada Dia), especialista em órgão Hammond, participou nas faixas “Libertadora”, “Ganhar e Perder” e “6 Cordas & Muitas Alegrias”. Para celebrar a parceria, amizade e conexão com renomados guitarristas, Milton Medusa compôs a música “6 Cordas & Muitas Alegrias”, que contou com a participação de Sérgio Hinds (O Terço), Robertinho de Recife, Mozart Mello (Terreno Baldio e o maior professor de guitarra do Brasil) e André Christóvam, pioneiro bluesman brasileiro, que reside na Escócia, atualmente. Para a participação de cada um destes guitarristas, foi composta uma parte de acordo com seus estilos e, ao final, todos solam alternadamente num clima de jam total!

Links relacionados:

Gods & Punks: repercute sucesso do debut “Into the Dunes of Doom”

Gods & Punks (foto Victor Mancebo)-3.jpeg

Apenas um mês após lançado em serviços de streaming e em formato físico (CD), “Into the Dunes of Doom”, o primeiro full length do Gods & Punks, recebeu somente críticas positivas da mídia brasileira e estrangeira, que destacaram principalmente a capacidade da banda carioca em apresentar composições que fundiram com precisão os gêneros Stoner, Doom e Progressivo a partir de andamentos bem sacados e muitos riffs. As músicas do disco também funcionaram ao vivo e a repercussão veio na mini turnê realizada entre os meses de outubro e início de novembro.

Unânime quanto à relevância do trabalho do Gods & Punks na ainda em formação cena stoner nacional, as resenhas divergiram, no entanto, sobre os destaques do álbum. “Achei muito legal que o pessoal diversificou ao apontar as suas músicas favoritas. Ouvi todas sendo apontadas como favoritas em algum momento. A receptividade foi muito melhor do que a gente esperava, tanto em resenhas quanto opiniões de pessoas que ouvimos”, comenta o vocalista Ale Canhetti.

A volta aos palcos com material novo também promoveu sentimentos exaltados à banda, que é completada por Pedro Canhetti, Rafael Daltro (guitarra), Danilo Oliveira (baixo) e Arthur Rodrigues (bateria). “Agendar a mini turnê do disco foi muito mais trabalhoso que gravar ele. Foi muito bom tocar as músicas pro pessoal, elas foram super bem recebidas e nossos melhores shows foram nesse tempo”, destaca o vocal.

Na opinião de Canhetti, a música de “Into the Dunes of Doom” que melhor funciona ao vivo é “Subatomic Wormhole”. “O peso dela ao vivo é outra coisa. Em termos de contagiar o público, acho que seria ‘Mushroom Cloud’. Quando a gente toca Mushroom, eu costumo sair do palco e falar com o pessoal, beber uma água etc., e eu sempre fico observando as pessoas nesse momento, e vejo elas bem animadas”.

O entusiasmo do sucesso imediato de “Into the Dunes of Doom”, disponível em CD e online pelo esforço da banda junto às gravadoras Abraxas, Dinamite Records e Red House (Chile), animou o quinteto a já pensar em novas composições, e consequentemente, um novo álbum que deve trazer novas referências musicais ao Stoner Progressivo.  “O plano é lançar o próximo disco no primeiro semestre do ano que vem. Já começamos a compor e queremos fazer algo diferente. Dunes teve muito prog, muito Stoner. Vamos pegar o núcleo do nosso som, que a gente apresentou no EP, e misturar com outras influências tipo Doom, Thrash, space etc. A gente não quer deixar a bola cair, além disso, nos divertimos muito compondo”, enfatiza Canhetti.

Gods & Punks – “Into the Dunes of Doom”
(Abraxas/Red House/Dinamite Rec.)
Ouça aqui: https://onerpm.lnk.to/GodsAndPunks

Gods & Punks - Into the Dunes of Doom capa (Cristiano Suarez)

Faixas:
1. Dunes of Doom (05:31)
2. Civilization (06:59)
3. Rise from the Sand (00:54)
4. Signs of Life (03:57)
5. Mushroom Cloud (04:16)
6. Subatomic Wormhole (06:03)
7. The Encounter (14:01)
 
Todas as músicas compostas por Gods & Punks 
Todas as letras escritas por Alexandre Canhetti 
Mixado por Arthur Rodrigues 
Masterizado por Andre Leal e Kleber Mariano no Estúdio Jukebox 
Gravado ao vivo no Estúdio MATA (RJ) em 29 e 30 de julho de 2017
 
Mais informações:
55 (19) 99616 2999

Gods & Punks: lança “Into the Dunes of Doom” em CD e streaming

Gods & Punks - Into the Dunes of Doom capa (Cristiano Suarez)

Quando os riffs marcantes e envolventes da fase setentista do Black Sabbath se encontram com nuances progressivas do Rush, traduzidos aos tempos atuais na estética do stoner, o resultado é “Into the Dunes of Doom”, o primeiro full length da banda carioca Gods & Punks. São sete músicas dinâmicas, de instrumental marcante e vocalizações ora arrastadas, ora melódicas, que podem ser conferidas por meio do selo da Abraxas nas principais plataformas de streaming: https://onerpm.lnk.to/GodsAndPunks.

Em comparação ao EP lançado em 2016, “Sounds of the Earth”, o Gods & Punks mostra amadurecimento ao apresentar canções em “Into the Dunes of Doom” que definem o estilo da banda em definitivo como stoner progressivo desértico. A banda preza neste lançamento pelos diferentes andamentos, com referências musicais do proto-doom, passando pelo rock setentista e psicodélico até certeiras incursões de riffs metálicos e climatizações sofisticadas com o blues.

O conceito gráfico do álbum, mais uma vez assinada pelo ilustrador Cristiano Suarez, complementa a temática espacial desértica do single “Dunes of Doom”, que assim como a sonoridade criada pelo Gods & Punks, traz uma perfeita simetria entre o novo e o clássico.

Como parte do lançamento, “Into the Dunes of Doom” foi enviado para dois conceituados sites especializados, October Doom e Void: Stoner Doom Worship, que ouviram com exclusividade as faixas e produziram resenhas das boas impressões do álbum. “O que era promessa e potencial no EP, se torna mais concreto e sólido com versatilidade e cérebro no álbum. Lançamento imperdível para quem curte um bom rock progressivo e stoner rock”, escreveu Matheus Jacques, da October Doom. Já o resenhista do Void, que publica em inglês, escreveu: “Em ‘Into the Dunes of Doom’, somos abduzidos e levados à uma fantástica experiência através de cenários invocados por complexa e fascinantes sonoridades”. 

Uma das mais ousadas faixas do álbum, ‘The Encounter’, também a mais longa e que constroi com exatidão a proposta do stoner psicodélico desértico, conta com a participação do tecladista Ronaldo Rodrigues. O carioca, mente criativa de bandas renomadas da cena progressiva, como Arcpélago e Caravela Escarlate, reproduz nesta música o clássico som do órgão Hammond. Escolhido a dedo pela Gods & Punks para este trabalho, Ronaldo também aparece como convidado do elogiado álbum de estreia do Blind Horse, ‘Patagonia’, outro lançamento da Abraxas.

O álbum também ganha versão física em CD pelos selos Abraxas e Red House (Chile), além de fita K7 pela Dinamite Records. Pedidos podem ser feitos por meio das mídias sociais da banda: facebook (/godsandpunks) e instagram (/gods_and_punks).

No início do mês, a banda lançou o lyric video para a faixa “Dunes of doom”, confira:

Mais informações:

Maestrick: mais de 20 músicos envolvidos nos corais e orquestrações de novo álbum

maestrick_2016_low

“Espresso Della Vita: Solare” está sendo produzido por Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar)

Falta pouco para o grupo de rock/metal progressivo Maestrick lançar seu novo disco de estúdio, “Espresso Della Vita: Solare”.

O novo trabalho será sucessor do aclamado álbum de estreia, “Unpuzzle!”, e do EP “The Trick Side Of Some Songs” que o grupo lançou recentemente reunindo versões para clássicos dos Beatles, Yes, Jethro Tull, Pink Floyd, Queen e Rainbow.

Previsto para o segundo semestre, “Espresso Della Vita: Solare” é a primeira parte de um disco duplo conceitual e traz uma observação da vida humana na perspectiva de uma viagem de trem.

O disco tem a produção de Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar) que também é o encarregado de gravar todas as guitarras do álbum.

Parte importante da musicalidade do Maestrick, as orquestrações ganharam uma atenção especial em “Espresso Della Vita: Solare”, ainda mais que no primeiro álbum. No total, 23 músicos diferentes participaram de gravações de instrumentos e corais que dão forma as partes orquestradas e sinfônicas do álbum.

Gravação de Tímpanos e Gran Casa.jpg

Segundo o vocalista e pianista Fábio Caldeira, a necessidade pelos momentos orquestrados e sinfônicos nasceu de forma natural em consequência às intenções emocionais das composições.

“Essa primeira parte do Espresso Della Vita é muito emocional. Em algumas partes específicas tínhamos que ter mais do que o timbre dos instrumentos. Precisávamos registrar a emoção dos instrumentistas e cantores. Mais do que um coro de vozes, mais do que uma orquestra, tínhamos que ter a soma de todas as intenções desses músicos e cantores brilhantes, que enriqueceram o trabalho cada um do seu jeito. Sempre achávamos importante explicar o contexto onde as partes se inseriam na história e no período do dia para que eles então interpretassem. Não temos palavras para agradecer a todos que participaram e temos certeza que quem ouvir o disco vai sentir tudo de bom que foi depositado nele.”

Gravação de Coral.jpg

Entre os convidados do que ficou conhecida como “Solare Orquestra”, estão Adriano Reis, Ana Camila Castilho Bordino, Camila Schneck e Eduarda Temi Ito nos Violinos; Guilherme Caldas na Viola e Walisson Higor da Cruz no Cello. Todas as partes de cordas foram gravadas no  Estúdio Prime Mídia em São José do Rio Preto/SP. Gravações de Tímpano e Gran Casa foram feitas pelo percussionista Elvis no Teatro Cine Barretos, na cidade de Barretos. As Flautas ficaram a cargo do músico peruano Pablo Alayza, da banda Flor De Loto, e as gravações ocorreram em Lima. Por fim, mas não menos importantes, fizeram parte do Coral: Danielle Castro, Maria Lúcia Arruda e Michelle Maia (Sopranos); Carolina Penhavel, Audrey Sarraceni, Camila Souza, Mayara Martinelli e Fernanda Barban (Contraltos); Paulo Camillo, Kelvin Miura, Will Matos, Daniel Oliveira e Victor Castro (Tenores); Maurício Lopes e Nathan Custódio (Baixos). Os Corais foram gravados na Escola de Artes Ligia Aydar, no Shopping Iguatemi em São José do Rio Preto/SP.

Gravação de Cordas.jpg

Além dos convidados nas partes orquestradas, recentemente o Maestrick havia revelado também o nome de umas das faixas do álbum, “Hijos de La Tierra”, bem como sua abordagem conceitual – voltada ao cultivo do amor à natureza e de respeito pelas Américas – e uma lista de sete músicos de quatro países diferentes das Américas do Norte e Sul que participaram das gravações da música. Entre essas participações está a de Cinthia Santibañes, vocalista da banda Crisalida, do Chile, atração do Lollapalooza desse ano. Um vídeo com trechos das gravações que Cinthia Santibañes realizou no Chile para “Hijos De La Tierra” foi disponibilizado no canal oficial do Youtube do Maestrick. No mesmo vídeo, Fabio Caldeira comenta um pouco mais sobre a participação da cantora do Crisalida: https://youtu.be/UC8Z6TPcx3Y

“Espresso Della Vita: Solare” será lançado em 2017 em data a ser divulgada. Novas informações sobre outras participações especiais, capa e tracklist serão divulgadas em breve.

Mais Informações: