Clutch: ícone mundial do Hard Rock/Stoner, volta ao Brasil em abril de 2020

Clutch_photo_2018

Cultuada banda norte-americana faz show único em São Paulo, dia 26/4, para divulgar o aclamado disco “Book of Bad Decisions”

O Clutch é cult. Desde a década de 1990 na estrada e com 12 discos lançados, é nome recorrente da cena Hard Rock/Stoner mundial – do alto escalão! É o tipo de banda que está sempre em voga na grande mídia especializada, que recebe altas notas e coleciona elogios nas resenhas de álbuns e apresentações ao vivo, além de andar no mesmo hall dos figurões do Kyuss, Truckfigters, Red Fang e Monster Magnet, sempre com suporte de produtores requisitados em estúdio. E está de volta ao Brasil, dia 26 de abril de 2020, para show único em São Paulo, no Fabrique Club. A realização é da Powerline Music & Books junto à Abraxas.

O retorno do Clutch ao Brasil acontece seis anos após a apresentação em chamas da banda – em 2014 – no festival Converse Rubber Tracks, em São Paulo, junto à também norte-americana The Sword. À época, o Stoner ganhava espaço no país e este evento ajudou a consolidar o cenário ao estilo. Não à toa aquele show do Clutch é ainda comentado pelos fãs. A espera, enfim, terminou.

A nova passagem pela capital paulista é anunciada em boa hora, com o Clutch com mesmo o brio e peso dos velhos tempos. É a turnê do 12º disco, “Book of Bad Decisions”, lançado em 2018 e que, somente na primeira semana disponível no mercado, vendeu mais de 26 mil cópias nos Estados Unidos, o que rendeu à banda o terceiro Top 20 consecutivo na Billboard 200.

Book of Bad Decisions, tão sólido e impactante quanto o já clássico Earth Rocker (de 2013, eleito pela Metal Hammer como o melhor disco daquele ano), foi gravado no famoso Sputnik Sound, em Nashville (Tennessee), com o premiado produtor Vance Powell, o homem que carrega consigo seis Grammys e a mente criativa por trás de disco de Jack White, The Raconteurs e Arctic Monkeys.

O Clutch chega ao ano de 2020 como potência do Rock. Começou em 1990, em Maryland (EUA), e chegou a lançar o primeiro EP – Pitchfork – pela primeira gravadora do Metallica, a Megaforce Records; desde então, se mantém na ativa com composições bombásticas, que mistura Stoner Rock, Blues, Hard, Rock n’ Roll a la Mortorhëad (um dos hits, “One Eye Dollar”, já foi considerada o “Ace of Spades” do Clutch pelo lendário e saudoso Lemmy Kilmister, do Motörhead) e tem até mesmo uma pitada de country. O groove é marcante, seja no instrumental refinado como no vocal enérgico de Neil Fallon.

Nem mesmo começou e a agenda de shows internacionais de 2020 no Brasil já está repleta de atrações imperdíveis e lendárias, como Black Flag dia 8/3 e Converge dia 21/3 (ambos no Carioca Club, em São Paulo), e certamente o do Clutch também merece destaque e um grande público para prestigiar este aguardado retorno do quarteto à capital paulista.

Além de São Paulo, a turnê sul-americana do Clutch passa pela Argentina dia 28/4 (Uniclub, em Buenos Aires) e dia 30/4 no Chile (Club Chocolate, em Santiago).

IG SAOPAULO VERTICAL POST

Serviço:
Clutch em São Paulo dia 26/4 no Fabrique Club
Evento: https://www.facebook.com/events/2935176716501026/
Data: 26 de abril de 2020
Local: Fabrique Club (rua Barra Funda 1071, Barra Funda/SP)
Ingresso: R$ 110 (1º lote | meia promocional e estudante)
Venda online: https://pixelticket.com.br/eventos/4981/clutch-em-sao-paulo-sp
Venda física: Locomotiva Discos (rua Barão de Itapetininga, 37 – SP/SP)
Classificação etária: 16 anos

Deicide: ícone do Death Metal se apresenta pela primeira vez no Rio de Janeiro

deicide

Clássica e ex-polêmica banda norte-americana toca dia 8 de abril, no Kubrick

O Death Metal atingiu o ápice da criatividade e brutalidade no final da década de 1980 e ao longo dos 90. Foi um período em que bandas do Brasil, Estados Unidos e Europa mostraram ao mundo como a música pesada soa versátil, inteligente e afrontosa. Dentre os grandes nomes desta safra está o Deicide, que está de volta ao Brasil e, enfim, pela primeira vez no Rio de Janeiro. Com produção da Onstage Agência, os reis do Death Metal se apresentam dia 8 de abril de 2020, no Espaço Kubrick.

A estreia no Rio de Janeiro acontece em ótimo momento do Deicide, que traz na bagagem o novo disco, “Overtures of Blasphemy”, o 12º da carreira e que saiu ano passado pela Century Media. É, em suma, um trabalho que carrega a sonoridade clássica da banda, com peso, blast beats, vocalizações guturais extremas e, claro, o inigualável sarcasmo presente nas letras do outrora polêmico vocalista/baixista Glen Benton – vivíssimo para manter o legado do Death Metal sempre altivo.

O sucessor do brutal In The Minds Of Evil, de 2013, foi produzido por Jason Suecof (The Black Dahlia Murder, Trivium) no AudioHammer Studios em Sanford, Flórida, exatamente onde o Deicide foi criado, em 1989, na cidade de Tampa, considerada a meca do Death Metal.

Além de Benton, que é um dos melhores frotmen da música pesada de todos os tempos, o Deicide hoje também conta com Chris Cannella, o novo guitarrista e que toca pela primeira vez junto à banda na América Latina – ele é também um experiente músico da cena Death Metal e requisitado produtor. Completam a banda o outro membro-fundador, o avassalador baterista Steve Asheim, e o guitarrista, Kevin Quirion.

A turnê que passará pelo Rio de Janeiro em 2020 é uma extensão do giro mundial que levou o Deicide a shows lotados pela Europa, além de Estados Unidos e México. Esta nova turnê pela América Latina passará por oito países.

“O Deicide está no seu melhor momento, com sua melhor formação, e estamos tocando melhor do que nunca. Esses shows serão intensos e serão mais longos”, contou Asheim, já na expectativa para tocar no Rio de Janeiro e em todos outros cantos da América Latina em 2020.

Deicide-PostPadrao

Serviço
Deicide pela primeira vez no Rio de Janeiro
Evento: https://www.facebook.com/events/807814179663212/
Data: 8 de abril de 2020
Local: Espaço Kubrick (avenida Mem de Sá, 66, Lapa – RJ)
Classificação etária: 18 anos (Entre 14-17 anos somente acompanhado por pai ou mãe munidos de documentos)
Ingresso: R$ 120 (1º lote, meia e promocional) e R$ 130 (2º lote, meia e promocional)
Venda online: bit.ly/DeicideRJ

Ingresso Meia-Entrada| Quem Tem Direito?
Válido para estudantes, doadores de sangue, acompanhantes de cadeirantes, funcionários da rede pública, maiores de 60 anos.

Ingresso Promocional | Quem Tem Direito?
Qualquer pessoa mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

Ingressos Limitados:
Ponto de venda sem taxa de serviço (apenas para pagamento em dinheiro):
Loja Sheherazade (Subloja 209, Rua Conde de Bonfim, 346 – Tijuca)
Tour: Solid Music Entertainment
Realização: OnStage Agência

Between the Buried and Me: grupo vem pela primeira vez ao Brasil em março de 2020

BTBM_foto

São Paulo, no dia 15/3, recebe o último show da extensa turnê latino-americana com 9 datas; banda norte-americana tocará dois sets numa mesma noite

A banda norte-americana Between the Buried and Me, mundialmente consagrada há duas décadas devido à inusitada mistura de Progressivo com elementos de diversas vertentes do Heavy Metal (do Rock ao Death Metal), além de jazz e até de música eletrônica, enfim anuncia a estreia no Brasil. Com show único dia 15 de março de 2020 em São Paulo, o Fabrique Club receberá a sexteto com sua turnê especial em que executam, numa mesma noite, dois diferentes sets. A realização é da Powerline.

Moderno, pesado, às vezes introspectivo, mas sempre extremamente virtuoso e criativo, o Between the Buried and Me nunca se repete e propõe uma viagem sonora a cada música, por meio de brilhantes e bem encaixados dualismos: da calmaria ao caos, da tensão à redenção, e da vagarosidade a velocidades incríveis – as mudanças rítmicas e compassos são constantes. Tem guitarras distorcidas, melodia, agressividade, mas tem guitarras limpas, dedilhados e sutis, uso constante de teclados, junto a vocais limpos e passagens com guturais.

Apresentar dois diferentes sets numa mesma noite pode soar excêntrico, mas não para uma banda como Between the Buried and Me, que sempre fugiu de padrões e abusou de experimentações e misturas ao longo dos 20 anos de história. Trata-se de uma ótima solução para, numa primeira vez no Brasil, tocar músicas de distintas fases da excepcional e diversificada discografia – são 10 discos de estúdio, três ao vivo e um EP (com 30 minutos de música!). As músicas são tocadas em ordem cronológica.

Conheça Between the Buried & Me:

 

Em entrevista a uma mídia europeia no começo deste ano, sobre a turnê mundial com dois sets, o baixista Dan Briggs explica que optar por uma apresentação mais extensa justamente neste momento da carreira é uma forma da banda explicar a própria evolução ao longo dos anos. “Às vezes, entender a dinâmica do Between the Buried and Me reside em respirar nova música e exalar material antigo”.

O baixista ainda assegura aos fãs que esta é a oportunidade experimentar a imersão sonora da banda: existe uma coesão ímpar na forma como constroem o repertório duplo com músicas de 2002 a 2019, em alusão ao primeiro disco, homônimo, e ao último lançamento “Automata II”, passando pelo conceitual e inspirado “Coma Ecliptic”, o monumental e cultuado “The Great Misdirect” e o intrincado “Alaska”.

Não resta dúvida de que uma apresentação ao vivo do Between the Buried and Me dia 15/3/2020 é, especialmente, para fãs de música complexa e reflexiva, feita por músicos talentosos e minuciosos. Um deleite para fãs de Dillinger Escape Plan, TesseracT, Opeth e Devin Townsend Project.

WhatsApp Image 2019-10-10 at 3.48.34 PM 1

Serviço:
Between the Buried and Me em São Paulo
Evento: https://www.facebook.com/events/1010476025966484/
Data: 15 de março de 2020
Horário: 18 horas (portas)
Local: Fabrique Club (rua Barra Funda, 1071 – Barra Funda, São Paulo/SP)
Ingresso: R$ 110,00 (1º Lote, meia promocional, mediante entrega de 1 quilo de alimento no dia do evento, e estudante)
Venda online: https://pixelticket.com.br/eventos/4500/between-the-buried-me
Venda física: Locomotiva Discos – sem taxa, somente em dinheiro (rua Barão de Itapetininga, 37 – SP/SP)
Classificação etária: 16 anos

Tourniquet: banda divulga line-up para turnê na América Latina.

torniquete

Após cerca  de 25 anos, o lendário Tourniquet retornará ao Brasil no mês de setembro para uma série de shows numa turnê conjunta com as bandas Narnia e Stryper, porém existiam algumas dúvidas a cerca de qual seria a formação utilizada nos shows.

Confirmando a suspeita de alguns, o Tourniquet no Brasil (e também nos demais shows já confirmados na Bolívia, Argentina, Chile e Peru) será formado de Ted Kirkpatrick na bateria e Aaron Guerra na guitarra e vocais, sendo eles acompanhados de Andy Robbins (Holy Soldiers) no baixo, CJ Grimmark (Narnia) na outra guitarra e Les Carlsen (Bloodgood) nos vocais principais. Essa formação foi utilizada quase por completo em uma apresentação na Holanda em 2018 (na ocasião um outro guitarrista estava presente no lugar de CJ) e será experimentada de vez em 2 shows marcados para o mês de julho na Suécia e Noruega.

Confiram abaixo um trecho de “Broken Chromossomes” durante a apresentação no Brainstorm Fest 2018 na Holanda:

Serviço:
Stryper + Narnia e Tourniquet em São Paulo
Data: 14/09/2019
Local: Tropical Butantã
Endereço: Av. Valdemar Ferreira, 93. Butantã, São Paulo/SP
 
Stryper + Narnia e Tourniquet no Rio de Janeiro
Data: 15/09/2019
Local: Circo Voador
Endereço: Rua dos Arcos, s/n – Lapa, Rio de Janeiro/RJ
 
Stryper + Narnia e Tourniquet em Brasília
Data: 17/09/2019
Local: Toinha Brasil Show
Endereço: SOF, Quadra 9, Guará, Brasília/DF
 
Stryper + Narnia e Tourniquet em Belo Horizonte
Data: 19/09/2019
Local: Mister Rock
Endereço: Av. Tereza Cristina, 295 – Prado, Belo Horizonte
 
Turnê produzida por: Ev7 Live
Assessoria de Imprensa: Lex Metalis Assessoria
 
Links relacionados:
Instagram: @lexmetalisaa
 

Natural Hate: banda baiana faz em junho sua primeira tour internacional

natural tour

A banda baiana de Thrash/Death Metal, Natural Hate, faz em junho sua primeira tour internacional, com o apoio da No Class Agency.
 
A “Underground Latin America Tour”, faz parte da divulgação do mais recente disco lançado pelo grupo intitulado “Welcome To Underground”, e passará por cidades da Colômbia e Equador.
 
Fiquem ligados na página da banda e da No Class para todos os detalhes e novidades da tour!
 
A banda também está concorrendo no concurso EDP Live Bands Brasil 2019 e conta com o seu apoio nessa empreitada. Para votar no grupo, basta acessar o link abaixo e deixar seu voto no final da página. Dê essa força! https://edplivebands.edp.com/brasil/banda/natural-hate
 
Em outras notícias, a banda liberou em janeiro deste ano o videoclipe para a faixa título do álbum “Welcome To Underground”, lançado em 2017. Confira:

 

O Natural Hate é formado por: 
Vinícius Toledo – (Vocal/Guitarra)
Nawdson Leite – (Baixo)
Helber Carvalho – (Bateria)
 
Links relacionados:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Real Friends: turnê inédita começa dia 22 de fevereiro no Rio de Janeiro

Real-Friends-940

Banda sensação do Pop Punk vem pela primeira vez ao Brasil no ápice da carreira, na turnê do terceiro disco, “Composure”

Após iniciar as atividades em 2019 no começo deste mês com o eufórico show do icônico Saosin, numa noite inspiradíssima do vocalista Anthony Green, a Onstage Agência apresenta no dia 22 de fevereiro a sensação mundial do Pop Punk, Real Friends. Ainda têm pouquíssimos ingressos que dão direito tanto para assistir à apresentação como participar do Meet & Greet com a banda. Garanta já o seu, apenas online no site da Pixelticket.

O quinteto norte-americano de Illinois, subirá ao palco do Teatro Odisseia para o primeiro de uma inédita série de três shows no Brasil, e depois segue viagem para Argentina, Chile e México na divulgação do terceiro e mais recente disco, “Composure, lançado em meados do ano passado e responsável por impulsionar de forma astronômica a carreira da banda.

Assista o vídeo de “From The Outside”:

Composure, sucessor de “The Home Inside my Head” (2016) e “Maybe this Place is the Same and we’re Just Changing (2014), revigorou o Pop Punk, ou Emo, qualquer que seja a denominação da sonoridade explosiva, altamente cativante e com refrões pegajosos, de fácil assimilação e para cantarolar junto ao carismático vocalista Dan Lambton.

Lambton, aliás, está empolgadíssimo com a estreia do Real Friends no Brasil. À época do anúncio, em 2018, escreveu em uma rede social. “Mal podemos esperar, a gente vem recebendo o famoso ‘Come to Brazil’ todos os minutos nas nossas redes sociais, eu acredito que vai ser inesquecível, mal posso esperar”.

OnStage-RealFriends-PostInstagram

Antes do Real Friends, sobe ao palco do Odisseia a local Phone Trio. Com influências do Hardcore Melódico típico da década de 1990, o power trio lançou ano passado o EP “Sundae Tracks”, elogiado em diversos sites nacionais pela excelente produção e composições sólidas do material, que faz jus à vitoriosa trajetória do grupo, há 15 anos na estrada.

Serviço:
Real Friends + Phone Trio no Rio de Janeiro
Evento: https://www.facebook.com/events/262555554404612
Data: 22 de fevereiro de 2019
Horário: a partir das 20 horas
Local: Teatro Odisseia
Endereço: Avenida Mem de Sá, 66 – Lapa/RJ
Ingresso online: https://pixelticket.com.br/eventos/2829/real-friends-no-rio-de-janeiro
Meia/promocional de 2º lote: R$ 95,00
Inteira: R$ 170,00
Censura: 16 anos

 

Ektomorf: banda da Hungria estreia no Brasil com três shows em fevereiro

ektomorf_russia

Na ativa desde 1994 e influenciada pelo Sepultura, banda é considerada uma das formações mais emblemáticas da música pesada do Leste Europeu

O quarteto de Thrash Metal Ektomorf enfim se apresentará no Brasil. Após turnês canceladas em anos anteriores, a experiente banda da Hungria se prepara para desembarcar na América do Sul para três shows em território nacional, com produção da No Class Agency.

O giro para divulgar o pesado último disco “Fury” e o recém-lançado single “Eternal Mayhem” começa dia 7/2, no Rio de Janeiro (Teatro Odisseia), com abertura das bandas nacionais Tamuya Thrash Tribe, Maieuttica e Controle. Passa também por São Paulo no dia 8/2 (Sesc Pompeia) e termina na cidade paulista de São José dos Campos no dia 9/2 (Hocus Pocus), em ambas as datas com a banda carioca de Death Metal Lacerated And Carbonized como co-headliner. O Ektomorf ainda toca em Buenos Aires (Argentina) no dia 10/2.

Ao longo de 25 anos, o Ektomorf construiu uma sólida carreira na música pesada e é um nome mundialmente conhecido e respeitado, inclusive com diversos álbuns da extensa discografia lançados no Brasil.

Aliás, a icônica banda brasileira Sepultura, principalmente do início de carreira até o clássico “Roots”, foi por anos a grande inspiração de Zoltan Farkas (guitarra e vocal), o mentor e principal compositor da banda húngara. Hoje, no entanto, o Thrash Metal recheado de groove do Ektomorf também tem espaço para batidas próximas do Death Metal e raivosos riffs de outras escolas do Heavy Metal, clássicas e contemporâneas.

A diversidade funciona – e muito bem! – ao vivo. O Ektomorf é tanto uma banda que compõe e constantemente grava discos, como um agrupamento que coloca o trabalho à prova nos palcos mundo afora, como nos concorridos festivais Wacken, Summerbreeze, With Full Force e Bang Your Head. É quando o peso, o groove e atitude puramente metal deste quarteto húngaro é levado à exaustão em apresentações energéticas e altamente cativantes.

Para esta inédita turnê pelo Brasil e Argentina, o Ektomorf promete um longo repertório especial, com músicas de “Fury” intercaladas aos tantos hits de discos anteriores, como Gypsy, I Know Them, Outcast, Show Your Fist, Black Flag, entre outras.

Serviço:
 
Ektomorf no Rio de Janeiro
Data: 7 de fevereiro de 2019 
Horário: a partir das 19 horas 
Local: Teatro Odisseia 
Endereço: Avenida Mem de Sá, 66 – Lapa 
 
Ektomorf em São Paulo 
Data: 8 de fevereiro de 2019 
Horário: a partir das 20 horas 
Local: Sesc Pompeia 
Endereço: Rua Clélia, 93 
Ingresso: R$ 9 a R$ 30: bit.ly/ektomorf-sescpompeia
 
Ektomorf em São José dos Campos
Data: 9 de fevereiro de 2019 
Horário: a partir das 18 horas 
Local: Hocus Pocus Stúdio & Café 
Endereço: Rua Paraibuna, 838 – Jardim São Dimas 
 
 

Mineral: grupo precursor do Emocore, se apresenta em agosto no Rio de Janeiro

mineral

Banda do Textas (EUA) comemora 25 anos em 2019 com inédita e aguardada turnê pela América do Sul

A MGB Entertainment orgulhosamente traz ao Rio de Janeiro no dia 23 de agosto a influente banda norte-americana de Emocore Mineral, que na segunda metade da década de 1990 revolucionou o Rock Alternativo com uma sonoridade completamente diferente e empolgante, entre guitarras distorcidas repletas de reverbs.

Nesta inédita turnê pela América do Sul, justamente no ano em que comemoram 25 anos de história, os texanos prometem tocar todos os clássicos dos discos “The Power Of Failing” e “endserenading”, além das duas novas recém lançadas.

Ouça a nova música “Aurora” do Mineral:

O show do Mineral na capital fluminense será no Teatro Odisseia e os ingressos já estão à venda no Clube do Ingresso. A carioca CineDisco será a banda convidada neste evento que tem tudo para ser antológico! O Real Emo é eterno!

Mineral-PostInstagram.png

Serviço: 
Mineral dia 23 de agosto no Teatro Odisseia (RJ)
Evento: https://www.facebook.com/events/604916499943355
Data: 23 de agosto de 2019
Horário: 19 horas (abertura da casa)
Local: Teatro Odisseia
Endereço: avenida Mem de Sá, 66 – Lapa/RJ
Ingresso: https://www2.clubedoingresso.com/evento/mineral-rj 
1º Lote – R$ 100,00 (Meia entrada promocional)
2º Lote – R$ 110,00 (Meia entrada estudante e promocional)
1º Lote Pista – R$ 200,00 (Inteira)
2º Lote Pista – R$ 220,00 (Inteira)

[Ingresso meia-entrada – quem tem direito?] 
Válido para estudantes, doadores de sangue, acompanhantes de cadeirantes, funcionários da rede pública, maiores de 60 anos

[Ingresso promocional – quem tem direito?] 
Qualquer pessoa mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

 

L7: banda fará dois shows no Brasil em dezembro

L7_2018 (credito Marina Chavez)

Pioneiras do movimento feminista norte-americano no Punk/Grunge e do Riot grrrl lá no início da década de 1990, e detentoras de uma das sonoridades mais autênticas do Rock, o L7 está de volta ao Brasil para dois shows em dezembro deste ano.

Desde o retorno em 2014, após um hiato de 14 anos, a banda se mostra revigorada e tocando ao redor do globo com explosivos shows sold-out.

O quarteto de Los Angeles, à época comparada à versão feminina do Nirvana, foi uma das mais reverenciadas bandas no antológico Hollywood Rock de 1993, num show que até hoje é lembrado pela legião de fãs brasileiros.

Desta Vez, se apresenta dia 1º de dezembro no Rio de Janeiro (Circo Voador) e dia 2/12 em São Paulo (Tropical Butantã). Antes, no dia 30 de novembro, a banda inicia a rápida turnê sulamericana em Santiago, no Chile.

Desde que gravaram o primeiro disco em 1987, dois anos após a formação da banda, o L7 contabiliza seis discos de estúdio, três registros ao vivo, um disco de covers, entre um monte de hits que tocaram – e tocam – à exaustão pelas rádios de todo o mundo, lançados por grandes gravadoras como Epitaph, Sub Pop, Slash Records e Warner.

Após o retorno, Donita Sparks (guitarra/vocal), Suzi Gardner (guitarra/vocal), Dee Plakas (bateria) e Jennifer Finch (baixo) já lançaram duas novas músicas, ‘I come back to bitch’ (que ganhou um videoclipe com ares de produção caseira, no melhor espírito grunge noventista), e a anti-Trump ‘Dispatch from Mar-a- Lago’.

Legalização do aborto, defesa das liberdades civis e feminismo, temas como estes cada dia mais retumbantes, já eram abordados pelo L7 no início da carreira, pulverizadas em forma de músicas atemporais, raivosas e provocativas, não raramente cheias de sarcasmo, mas ao mesmo tempo encorajadoras.

“Bricks are Heavy”, o terceiro álbum do L7 e que impulsionou o quarteto ao estrelato mundial, foi considerado pela edição norte-americana da revista Rolling Stone como um dos 100 discos “indispensáveis” dos anos 90. É neste registro que gravaram o hit “Pretend We’re dead”, um sucesso comercial que ultrapassou as barreiras do Rock e levou a banda a outros públicos, do pop ao metal.

O retorno do L7 ao Brasil é uma realização da Powerline Music, produtora que este ano já trouxe o Wavves e o Quicksand, e está à cabo das novas turnês – ainda em 2018 – do H20, The Toy Dolls, Built to Spill e Circa Survive. Também promove a inédita vinda da influente banda de Punk Rock norte-americana Against Me!, liderada pela vocalista transgênero Laura Jane Grace.

Sem preconceitos, e longe do politicamente correto, junto aos contemporâneos do Nirvana, Pearl Jam e Soundgarden, o L7 ainda é um furacão na indústria musical.

L7 tour.jpeg

Serviços:
L7 no Rio de Janeiro (Circo Voador)
Data: 1º de dezembro/2018
Local: Circo Voador
Horário: 19 horas
Endereço: Rua dos Arcos, s/n – Lapa
1º lote – R$ 90 (promocional/meia entrada)
1º lote – R$ 180 (inteira)
Censura: 16 anos
 
L7 em São Paulo (Tropical Butantã)
Bandas de abertura: Pin Ups e Deb and The Mentals
Data: 2 de dezembro/2018
Horário: 17 horas
Local: Tropical Butantã
Endereço: Avenida Valdemar Ferreira, 93 – Butantã
1º lote – $110,00 (promocional/meia entrada)
2º lote – 130,00 (promocional/meia entrada)
Camarote 1º lote – $180,00 (promocional/meia entrada)
Camarote 2º lote – $200,00 (promocional/meia entrada)
Censura: 16 anos
 
Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)

Brujeria: chega ao Rio de Janeiro na próxima semana

Brujeria-2018-por-divulgação

Na primeira metade da década de 1990, “Matando Gueros” (1993) e “Raza Odiada” (1995) revolucionaram a música pesada mundial com um Death/Grind violento, sujo, com letras em espanhol repletas de ironia. O enigma em torno da identidade dos músicos e os rumores de que se tratavam de personagens conhecidos do cenário, o Brujeria de imediato construiu uma carreira de sucesso, hoje consolidada com mais dois discos – “Brujerismo” (2000) e “Pocho Aztlan” (2016). Agora com status de banda clássica, retorna ao Rio de Janeiro no dia 17 de maio (quinta-feira), em apresentação no Teatro Odisseia.

O Brujeria tem quase 30 anos. Foi formado em 1989, no México, por músicos locais e norte-americanos com descendência latina. À época, sem a urgência em que a internet expõe os fatos nos dias atuais, ocultar os nomes reais dos músicos e alimentar boatos sobre seus rostos e também quanto a temas polêmicos e ilícitos, ajudou a criar uma mística em torno da banda, que logo estava fazendo muitos shows, com clipes na MTV e contrato com a Roadrunner.

Sempre capitaneada pelo vocalista Juan Brujo, o Brujeria já teve inúmeras formações, com músicos do alto escalão do Heavy Metal na linha de frente. Hoje, é completada por Hongo Jr. (pseudônomo do baterista Nick Barker, ex-Cradle of Filth, Dimmu Borgir), El Sangrón (vocal), Fantasma (vocal), Hongo (baixo), Pinche Peach (vocal), Bruja Bichie (vocal) e Guero III.

O novo show do Brujeria na capital carioca acontece dois anos depois da bem-sucedida F*** Donald Trump Tour, que ainda passou por outras cidades da América Latina. Matando Güeros, La Migra, Brujerizmo e Consejos Narcos são alguns dos clássicos absolutos da banda que prometem incendiar o Rio de Janeiro na próxima semana.

Junto ao Brujeria, se apresentam no Teatro Odisseia a partir das 19 horas as nacionais No Trauma e Ataque Periférico. A produção local é da Obscur. Produções, que já co-realizou a última turnê do Kadavar (Alemanha), foi a responsável pela passagem do lendário Pestilence ao RJ e trará o Mayhem à capital carioca no dia 8 de junho.

Brujeria - cartaz

Serviço:
Brujeria dia 17 de maio/2018 no RJ
Data: 17 de maio de 2018
Horário: a partir das 19 horas
Local: Teatro Odisséia
Endereço: Avenida Mem de Sá, 66 – Lapa/RJ
Ingresso: 3º lote antecipado promocional: R$ 90 (até a véspera do show, online ou nos pontos de venda)
Na hora: R$ 110 meia ou meia social com 1kg de alimento não perecível / R$ 220 inteira.
Pontos de venda física
Méier – Loja Inside Rock – Av Amaro Cavalcanti, 157 – dinheiro e cartão
Barra – Loja Rockn Roll – Shopping Via Parque – somente dinheiro
Catete – Sempre Música Discos – Rua Corrêa Dutra 99 sobreloja 216 – somente dinheiro
Niterói – Kasamata – Rua da Conceição, 101, SL 55 – somente dinheiro
Classificação: 18 anos
 
Mais informações:
55 (19) 99616-2999 (cel e whatsapp)